domingo, setembro 29, 2013

O Teorema Katherine

Oi leitores!

Trago mais uma resenha para vocês. Deu para perceber que esses dias foram agitados pra mim neh? Férias é assim mesmo, colocando a leitura em dia.

E como não podia ser diferente que tal conferir a resenha de mais um livro do nosso autor do mês?


Não é a Culpa é da Estrelas, que a Lua resenhou no inicio do ano aqui e que recentemente a Bruna também releu o livro aqui.

Eu escolhi um livro diferente para ler, afinal eu NUNCA tinha lido nada do Jhon Green, e o cara me surpreendeu.

Sinopse: Se o assunto é relacionamento, o tipo de garota de Colin Singleton tem nome: Katherine. E em se tratando de Colin e Katherines, o desfecho é sempre o mesmo: ele leva o fora. Já aconteceu muito. Dezenove vezes, para ser exato.
Depois do mais recente e traumático término, ele resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e um melhor amigo bem fora de forma no banco do carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar pés na bunda, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam.
Uma descoberta que vai mudar para sempre a história amorosa do mundo, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Eu achei muito legal O Teorema Katherine, tirando o lado da matemática... Isso mesmo o livro tem matemática.

Porque afinal, o Colin é um prodígio, e como o título do livro diz, ele vai nos trazer um pouco de matemática, mais nada que tire a leveza do livro e que nos deixe pensando no final.

Eu me identifiquei com a personagem principal, em muitos casos eu já fui a Terminado da situação e também tive algumas “Katherines” na minha vida RS.. Vamos manter o nome do rapaz incógnito ok? 

Jhon Green escreve com uma leveza que não sei descrever, talvez nem exista palavra para o meu sentimento. Mais, sim adorei a sua escrita. Admito que quando comecei não esperava tanto do livro, mais sempre somos surpreendidos não?

Eu só não gostei de uma coisa... o final meio previsível, mais mesmo assim não estragou o livro.

Vamos a parte matemática, porque  não posso finalizar essa resenha sem falar dela não é? Não pense que eu sou uma entusiasta da área, negativo, eu era a aluna que tirava notas medianas na época do colégio e na faculdade consegui sobreviver com o meu entendimento. Mais a criação do teorema nos leva a rever gráficos “boca de sino”, equações longas, e com “X” a se buscar.  E não, você não sai um expert na área, mais ajuda a entender a cabeça do Colin.

Moral da história... o futuro não é previsível, porque ele não ocorreu e muda constantemente com as nossas escolhas, o passado é compreensível porque como o nome já diz é passado.


E com isso termino por aqui esperando ter o meu momento eureka. Se você ler...vai entender o que eu quis dizer. ;)

sábado, setembro 28, 2013

Conto: O filho de Sobek

Oi leitores!

Aproveitando que eu estou no pick do tio Rick Riordan, segue um conto que ele escreveu unindo duas séries que amamos.


 Sinopse: Percy Jackson encontra Carter Kane em mais uma eletrizante aventura do autor best-seller Rick Riordan. Ao investigar os ataques de um crocodilo imenso contra pégasos em Long Island, o grande herói do Olimpo conhece o líder da casa do Brooklyn, que também está no rastro da fera. Os dois se unem para combater o terrível filho de Sobek, mas as dúvidas são muitas:por que há um monstro egípcio atacando mitos gregos?
Será que a união de forças dos dois heróis será suficiente para derrotar a fera? E a mais importante: quem estaria por trás desse terrível evento?

Eu admito que estava na dúvida quando comecei a ler esse conto. Porque unir Gregos e Romanos é uma coisa, agora unir gregos e egípcios!? Acredite se quiser, eu estava com um pé atrás quando iniciei a leitura.

E mais, uma vez eu fui surpreendida. Afinal, é o Rick certo?

Para você ler o filho de Sobek deve ler as Crônicas de Kane, porque o Carter, bom ele não é bom em guardar spoilers para si.

Enfim, o que achei legal desse livro foi o fato dos dois se unirem e tentarem destruir um monstro que segundo Carter é impossível e o Cabeça de Algo insiste que é possível sim enviá-lo para o Tártaro.


Você consegue ler em aproximadamente em 1 hora ou menos depende do seu ritmo de leitura e o que você tem que fazer, pois o conto só possui 34 páginas.

Ou seja, é uma leitura leve e divertida, e o final.... Bom, acho que esses dois ainda vão se encontrar  novamente, resta esperar.


Eu fico por aqui.

terça-feira, setembro 24, 2013

A Sombra da Serpente

Oi leitores demorei mais voltei! rs  O fato é..tentem ler dois livros de autores diferentes e de épocas diferentes ai a gente conversa sobre a minha demora. XD

Tirando isso eu trago para vocês o final da Série.... As Crônicas de Kane: A Sombra da Serpente.


Sim, eu embalei na mitologia egípcia essa semana. Também depois de ler o Trono de Fogo (resenha da Bruna aqui e relendo aqui) é claro que eu ia correr para ler a Sombra da Serpente.

Eu não sei vocês, mais eu sou do tipo de leitora que quando gosta da escrita de um autor continua a ler TUDO o que ele escreve, e foi por esse motivo que eu comecei a ler as Crônicas de Kane. E assim que terminei o Trono de FOGO eu tive uma certeza, precisava saber se o mundo ia entrar em um apocalipse ou não.

E esse livro me pegou de vez hein.. Carter e Sadie saem do Brooklin e dão um tour pelo Egito atual e antigo, só lendo para entender o que estou dizendo.


 Queria contar TANTA coisa mais se fizer isso vira mega SPOILER e isso não ia ser legal.

Mais...vamos, vê se consigo fazer um resumão da obra:

Depois de tentar encontrar vários aliados em TODOS os nomos do Mundo, e sofrer grandes baixas, Carter e Sadie, com a ajuda de Cléo descobrem que para derrotar Apófis, é preciso usar o Livro de Setne.  E a partir daí...começa a bagunça... Ah... e Sadie descobre que tem que se afastar de Anúbis, graças a Isis, que lembrou que deuses e mortais não podem ficar juntos, tirando isso ela também descobre que Walt tem pouco tempo de vida.

Tirando isso está tudo certo. Afinal, eles tem novos iniciados na casa do Brooklin, e Carter está preocupado com Zia que ficou responsável por cuidar de Rá.

É as coisas não estão nada fáceis para esse pessoal.  E as coisas  não param por ai... Depois de despachar os iniciados para o Primeiro Nomo para ajudar Amós, Carter, Sadie, Zia e Walt vão para os domínios de Osires...ou Julius Kane, para pedir uma ajudinha.  

E ela é aceita, ao poder dos jovens fica o antigo Mago Setne, que pode ajudar a por fim ao apocalipse.

SETNE


Setne, ou príncipe Khaemuaset é o filho de Ramsés II, e é um mago muito poderoso. Isso no livro. Porém, o sujeito realmente existiu , você pode conferir a biografia dele aqui.

Enquanto, Carter, Zia e Setne vão embusca do livro de Tot. Sadie e Walt vão procurar a sombra de Bes, para testar se é possível realizar um feitiço com a sombra de um deus e com isso fazer a mesma coisa com a Sombra de Apófis e depois realizar uma excreção.

E ai gente, uma batalha começa. E eu fico por aqui. Muhamuamhua

Confiram abaixo a sinopse oficial abaixo e depois se tiverem curiosidade confiram o livro e me digam o que acharam.

Sinopse Oficial: Apesar de seus melhores esforços, Carter e Sadie Kane parecem não conseguir abater Apófis, a cobra do caos. Agora Apófis está ameaçando mergulhar o mundo na escuridão eterna, e os Kanes se deparam com a tarefa impossível de destruí-lo de uma vez por todas. Infelizmente, os magos da Casa da Vida estão à beira de uma guerra civil, os deuses estão divididos, e os jovens iniciados da Casa do Brooklyn lutam quase sozinhos contra as forças do caos. A única esperança dos Kanes é um feitiço antigo que pode transformar a própria sombra da serpente em uma arma, mas a magia esteve perdida por um milênio. Para achar a resposta que precisam, os Kanes devem contar com um fantasma assassino de um mago poderoso que pode ser capaz de levá-los à sombra da serpente… ou pode levá-los à morte nas profundezas do mundo inferior.

Nada menos que o mundo mortal está em risco quando a família Kane cumpre seu destino nessa conclusão eletrizante das Crônicas dos Kane.

quarta-feira, setembro 18, 2013

Relendo: O Trono de Fogo

Oi leitores! Tava um pouquinho sumida, tudo isso por causa do trabalho, e enquanto eu estou de férias, vou trazer algumas resenhas dos livros que estou lendo.

Você lembra do Rick Riordan? Então ele traz mais uma aventura para os seus fãs: As Crônicas de Kane: e o Trono de Fogo.



Não você, não está pirando a Bruna já fez uma resenha e você pode conferi-la AQUI. Isso só está ocorrendo porque a Equipe do Livro e Neblina decidiu criar a Tag: Relendo/Re assistindo. Então nada de pânico.

Caso ainda não tenha lido o primeiro livro da saga pode conferir a resenha de a Pirâmide Vermelha AQUI.

Então vamos a mais uma aventura?

Sinopse: Neste segundo livro, Carter Kane e sua irmã Sadie vivem mergulhados em problemas. No primeiro livro descobrem ser descendestes de uma linhagem muito antiga de Faraós e possuem poderes especiais. Seus pais pertenciam a Casa da Vida, uma organização de magos egípcios de milhares de anos, que aprisionaram os deuses Egípcios existentes, pois viram que os deuses eram muito perigosos. Após seu pai libertar os cinco deuses e passar uma grande aventura para derrotar o deus Set, descobrem que um inimigo maior está por trás ameaçando o equilíbrio da vida: Apófis, que está se erguendo, e em poucos dias o mundo terá um final trágico. Refugiados na casa da sua família no Brooklyn, tentarão reunir outros magos iniciantes e aprender a controlar seus poderes, assim correm contra o tempo pois o perigo está próximo. Para terem alguma chance de derrotar as forças do caos, os irmãos Kane precisam encontrar e acordar o deus do Sol, Rá. E despertá-lo não será tarefa fácil: nenhum deus ou mago jamais conseguiu, não se sabe aonde Rá está. Carter e Sadie terão de se aventurar no mundo em busca das três partes do livro de Rá, para então decifrar seus encantamentos. E assim encontrar e despertar o grande deus.

Se você é que nem eu e surta com uma apenas com uma sinopse, é melhor ler esse livro!

1º Porque é do Rick Riordan
2º Porque tem mitoligia
3º Porque é bom mesmo!

O livro mantem o esquema, de capítulos sendo narrados pelos Kane, mas não tira em nada o charme do livro. Pois, quando um deles esquece algo, o outro complementa:

“Devo mencionar que Carter estava usando uma saia.
[Ha! Você não está segurando o microfone. É a minha vez.]
Ele se esqueceu de dizer isso, mas assim que entramos no Duat, a nossa aparência mudou,e  nós nos vimos usando antigos trajes egípcios.” Sadie, O Trono de Fogo

É dessa forma sutil que ocorrem as correções da Sadie, ou algum comentário sobre sapatos. Bem coisa de menina mesmo.

Nesse livro, também temos novas personagens, isso inclui Deuses e Magos o que torna a coisa ainda mais complicada.
 Vou falar um pouco das personagens que tem importância para a trama:

BES

Na mitologia egípcia, era uma divindade representada por um anão robusto e monstruoso. Era o bobo-da-corte dos deuses, senhor do prazer e da alegria. Fonte Wikippedia.

E sim, segundo a descrição do livro o cara parece com essa imagem ai acima e bate com a descrição de sites como o Wikippedia, enfim ele é enviado por Bastet para proteger e ajudar os irmãos Kane em busca dos papiros de Rá. No final desvenda um papel importante que se eu falar vira spoiler e não queremos isso aqui.

ZIA RASHID


É uma maga, treinada no Primeiro Nomo, e consegue manipular o fogo além de ter várias habilidades com a magia.

Eu sei que a Zia já apareceu na Pirâmide Vermelha,  mas para que leu sabe que não era a Zia verdadeira e sim um shabti uma escultura mágica feita de argila.

Em o trono de Fogo, Carter descobre o local em que ela está escondida e a acorda. Zia também tem um papel importante a desempenhar mais até agora não foi revelado, quem sabe no próximo livro?

WALT


Descende da família de Akhenaton e sofre da mesma maldição do Rei Tut.
E Walt, mexe com o coração da nossa Sadie. Por enquanto não tenho muito a dizer sobre ele, mais seus amuletos são muito legais.

ANUBIS


Deus dos funerais e da morte. O que dizer sobre ele? Primeira paixão de Sadie e aparece com mais freqüência nesse livro, vamos ver o que ocorre com ele no decorrer da história.

E temos um vilão...não estou falando de Apófis, no momento ela não é o maior dos problemas dos Kane, e sim esse cara aqui :

Vladimir Menshikov



Líder do Décimo Oitavo Nomo (São Pertersburgo – Rússia). Ficou cego após tentar ler uma das partes do livro de Rá, e com isso orientou a casa da Vida a tentar destrui-lo. Porém, Carter e Sadie descobrem que na verdade ele é um traidor, pois mantém contato com SET e tenta também libertar Apófis de sua prisão.

Vou adiantar um pouquinho... eles encontram Rá, mais ele não está na sua melhor forma, e isso pode ser um problema para os problemas que estão vindo.

Agora, só nos resta ler a próxima aventura.  

sexta-feira, setembro 06, 2013

Um conto Gótico

Oi leitores!

Faz um tempo que terminei de ler um livro que me deu um pouquinho de trabalho. Foi aquele tipo de livro que o inicio é meio massante, mas que depois você se apaixona pela leitura.


Sinopse: Catherine Morland, dezessete anos, coração puro, é uma mocinha ingênua, viciada em livros repletos de desventuras horripilantes e amores trágicos. Sabendo sobre a vida apenas o que leu nos romances, ela sai de seu obscuro vilarejo natal para passar uma temporada em Bath, estação balneária frequentada pela aristocracia inglesa, onde conhece bailes excitantes, uma amiga amabilíssima, um cavalheiro encantador e outro insuportável. E sai de Bath para ser hóspede, como num sonho, de uma abadia. A antiga construção, porém, revelará sinais misteriosos, indícios de que foi cenário, no passado, de um crime medonho. Exatamente como ela lera nos livros. Primeiro romance concluído por Jane Austen (1775-1817), A abadia de Northanger só foi publicado postumamente, em 1818, na edição que também apresentou Persuasão aos leitores ingleses. É o livro mais leve e francamente cômico de uma das escritoras mais lidas de todos os tempos. Paródia dos romances góticos (os best-sellers da época), a história de Catherine Morland também retrata com argúcia uma sociedade que se transformava e um mundo em que quase todos faziam tudo por dinheiro.

Esse é o enredo de Persuasão,  admito que no inicio nada me lembrava Orgulho e Preconceito, ou os outros livros da Jane Austen, e depois de muita briga  consegui avançar na leitura, e acreditem as personagens me cativaram. Afinal. O Sr Tilney é tão amável que seria impossível não se encantar com ele, ou sua irmão Eleonor. 

Em alguns momentos fiquei com raiva de uma certa personagem, pois ela sempre estragava os plano de Catherine, mais de forma divertida Jane nos mostra como a sociedade estava mudando. Além do fator sociedade ela nos traz autores góticos muito famoso como a Sra Radcliffe, autora do Livro Os mistérios de Udolfe que é citado a vários instantes do livro. 

O final é daqueles que estamos acostumados, mais vale muito a pena ler. Curiosamente o titulo do Livro seria Susan, porém em 1802 um livro de Maria Edgewort foi publicado sob o título de Simple Susan, e devido a problemas de edição (o editor Benjamin Crosby, comprou os direitos de edição mais não publicou o livro)  não foi publicado em 1803. Após sua morte o título pode ter sido alterado pelo seu irmão Henry recebendo o título atual, e também foi nessa edição  que os fãs ficaram sabendo quem era a autora.

E como todo livro de Jane,  o mesmo foi adaptado:

1949 - adaptado para a Radio BBC
1895 - Primeira peça teatral por Miss Rosina Fillip e em 2008 pela Dorset Corset Theatre Company
E para as telas em 1986 pela BBC pelo Screen Two, com Katharine Schlesinger no papel de Catherine Morland e Peter Firth no papel de Henry Tilney e o mais recente em 2007 pelo ITV com com Felicity Jones no papel de Catherine Morland e J.J. Feild no papel de Henry Tilney.

Abaixo confira o trailler




Eu fico por aqui, logo trago novas resenhas para vocês e como sempre se gostou ou não deixe o seu comentário.

quinta-feira, setembro 05, 2013

Autor do Mês - John Green

Oi leitores! Desse vez a culpa é minha pelo atraso do autor do mês. Mas, imagino que fizemos uma ótima escolha.

John Green


Nascimento: 24 de Agosto de 1977 
Morte: -

Mini - biografia

Nasceu na cidade Indianópolis, Indiana, em 24 de Agosto de 1977,como John Michael Green

Fonte: Wikipedia

Obras

Livros

Quem é você, Alasca? (2005)
O Teorema Katherine (2006)
Cidades de Papael (2008)
Let It Snow: Three Holiday Romances - com Maureen Jhonson e Lauren Myracle (2008)
Will e Will, Um nome, um destino (2010)
A culpa é das Estrelas (2012)

Histórias Curtas

The Approximate Cost of Loving Caroline (2006)
The Great American Morp (2007)
Freek the Geek (2009)
Reasons (2001)

John também é um vloguer, ou seja ele tem um canal no Youtube com o seu irmão Hank Green. O projeto chamado Brotherhood 2.0 tinha como objetivo  passar todo o ano de 2007 sem se comunicar por forma de texto com o dito irmão, ambos se compromissando a postar vídeos em dias alternados (excluindo o sábado e domingo).

Ao longo desse projeto, os irmãos passaram a se dirigir a sua audiência como "nerdfighters", já que, supostamente, ela era toda composta por nerds. Depois do sucesso do vídeo July 18: Accio Deathly Hallows , a popularidade do seu canal passou a aumentar cada vez mais e o público que assistia já não se restringia a nerds.
Dia 31 de dezembro de 2007 Brotherhood 2.0 chegou ao fim com sucesso. Atualmente os irmãos Green postam três vídeos por semana, segundas, quartas e sexta-feiras, de maneira que em uma semana há dois vídeos de John e um de Hank, e na semana seguinte o inverso. 
A comunidade, chamada de "nerdfighteria", continua crescendo e ganhando importância na internet.

Ficou curioso? Confira um dos videos dos irmãos Green abaixo.



Fiquem ligados no blog em breve teremos mais resenhas, enquanto isso você pode conferir a resenha do livro A culpa das Estrelas feito pelo Lua aqui e a da Bruna aqui.

quarta-feira, setembro 04, 2013

Divergente

Olá! Depois de um tempo sem vir, cá estou para mais uma resenha.
Trago pra vocês Divergente.

É da autoria de Veronica Roth e se passa na futura Chicago. Depois da queda da república, a cidade se dividiu em cinco facções: Abnegação, Amizade, Audácia, Erudição e Franqueza. Cada uma tem um lema e uma virtude que valoriza. Breatrice é da Abnegação, tem 16 anos, época em que todos dessa idade, de todas as facções, passam pela Cerimônia da Escolha. Depois dos teste de aptidão, ela descobre que precisa ficar atenta pra não revelar quem era. Ser o que ela é é perigoso e ela correria risco de vida se revelasse isso alguém.

O livro tem foco narrativo narrador-personagem (primeira pessoa) e a Beatrice nos guia Cerimônia de Escolha, pela ritual de iniciação que ela passa, pela caminho até sua casa, conhecemos seus amigos, não tão amigos, enfim. Veronica Roth nos mergulha em Chicago de forma que você se sente parte dela. Apesar do foco narrativo, conhecemos um pouco sobre cada facção através dos amigos da Beatrice. Acho que a maioria vai gostar da Christina, do Quatro e do Will, entre outros.
Aspectos Físicos do livro.
A capa é mais dura do que o habitual, as páginas são amareladas, facilitando a leitura, e a letra pé um pouco maior do que vemos geralmente (acho que é tamanho 10 ou 11), facilitando bastante a leitura. E o título do livro e da autora vem em alto relevo, amo. ♥ 
Pra quem gosta de ficção e ação, Divergente é um excelente livro. Muito bem escrito, recomendo mesmo!
E vai ser adaptado para o cinema, viu? O filme estreia ano que vem, então dá tempo de ler haha.

domingo, setembro 01, 2013

Relendo...A culpa é das Estrelas

Comecinho do ano, a Lua, colunista aqui do blog resenhou a culpa é das estrelas. vou deixar o link aqui pra quem quiser ler a resenha dela.
Eu não tinha lido A culpa é das estrelas. Tenho uma certa tendencia a fugir de livros tristes, mas todas as minhas blogueiras literárias favoritas falaram tão bem de A culpa é das estrelas e agora com a iminência das gravações do filme..aproveitei os dias que fiquei completamente sem internet na minha nova casa para mergulhar no mundo de Hazel e Gus.




Como resenhar A culpa é das estrelas?
O livro nos prende totalmente. É leve lê-lo em seu inicio, como respirar (esta é uma metáfora cruel aqui, mas que se encaixa perfeitamente ao caso, como um efeito colateral)
Deparamos-nos com a história de Hazel Grace, uma adolescente que tem uma sentença de morte pelo seu câncer em metástase já em mente. E August Waters, Gus para os íntimos. Um cara que perdeu a perna para um câncer que já foi remisso.
Hazel e Gus formam ao longo do livro uma relação de amizade/amor durante todo o livro que vai se intensificando e se modificando conforme vamos virando suas páginas e lendo as linhas tão bem escritas por John Green. 
Eu não sou fã de dramas. Odeio na verdade, porque eu entro no clima do personagem. Se ele afunda, eu afundo junto e isso é péssimo. Mas a Culpa é das Estrelas foi tão falado...Considero-o como o livro do ano de 2013.
E eu não poderia deixar de  ler um livro do ano, mesmo ele sendo um drama. E não me arrependi.
Confesso que consegui presumir o que aconteceria na história quando estava +- na metade do livro, mas isso de forma alguma me fez querer deixar de ler a forma como John Green resolveu finalizar a história. Pelo contrário.

Uma critica?  Eles criticam durante todo o livro a forma como Van Houten terminou o livro Uma Aflição Imperial, mas John acabou por fazer o mesmo conosco. Deixando o livro ser .finalizado após Hazel ler a carta de Gus. É óbvio que nós sabemos que nenhum milagre irá ocorrer e que provavelmente Hazel falece um tempo depois, mas..eu queria mais entende?
O final foi bonito, mas deixou a desejar para mim.
Dou 4,5 estrelas para A culpa é das estrelas então pelo final e porque chorei 2 vezes durante a leitura do livro.