quarta-feira, dezembro 31, 2014

#TAG: Oscar Literário

Hoje trago a vocês uma TAG de final de ano: o Oscar Literário. Procurei algumas TAGS sobre o assunto e encontrei essa no Estante Geek


1. Melhor livro do ano
 O Apanhador no Campo de Centeio, sem dúvida, foi a maior surpresa deste ano. Li-o no semestre passado, numa época em que não sabia muito bem o que ler e, por um ímpeto de curiosidade, peguei da biblioteca da minha faculdade. Sei que não vai ser fácil tirar essa história da cabeça por muito e muito tempo. 
O livro é narrado por Holden Caulfield, um cara que acabou de abandonar a escola para viver sua angústia nas ruas de NY. A princípio, é uma história muito pacata, mas bate fundo na gente. Quem amou As Vantagens vai se identificar muito com O Apanhador. 



2. Melhor autor do ano
Vladmir Nabokov é um gênio, Não há outra definição. Tive a oportunidade de ler Lolita e tive a maior surpresa (boa). A história é muito bem arquitetada (começando pelo fato de o personagem-narrador tentar nos convencer a toda hora de que sentir atração por ninfetas é totalmente aceitável). O que mais rondou a minha cabeça é que não apenas o personagem masculino é o culpado de se envolver com a menina, pois a própria Lolita - a meu ver - tem uma grande parcela de culpa. Este clássico é imperdível! 





3. Melhor protagonista masculino
Holden Caulfield se tornou o meu grande amor platônico. Ele é um garoto muito angustiado e depressivo, não vê positividade em nada e está sempre reclamando de algo e chamando seus conhecidos de "filhos da mãe". Um pouco apático, Holden também analisa todos a sua volta. E, para ele, ninguém merece sua atenção, pois se sente alguém mais vencedor na vida, simplesmente por não "se fazer a todo instante". Desde o início do livro, senti uma ligação muito forte com ele, acho que porque eu e ele temos pensamentos parecidos e, de um jeito ou de outro, nos comportamos quase da mesma forma. 

4. Melhor protagonista feminina 
Eleanor, de Eleanor & Park,  é a ruiva mais fofa de todas! Toda tímida e meio largada, ela me conquistou muito. Ela é meio inocente e esquiva, devido aos problemas familiares que tem. Vi-me muito nela durante a leitura. 









5. Melhor personagem coadjuvante masculino
O Rodrigo, de As Batidas Perdidas do Coração, é um doce. Irmão de Vivi, a protagonista, ele é muito preocupado e superprotetor com a família. Por vezes, um pouco revoltado e rebelde, mas, ainda assim, é incrivelmente fofo. 









6. Melhor personagem coadjuvante feminino
Morgana é a filha de Igraine e sobrinha da Grande Sacerdotisa de Avalon. Depois me muita insistência da Senhora do Lago, Morgana é mandada para Avalon, com o objetivo de ser criada para tomar o "trono" de Viviane (a sacerdotisa) quando for a hora. Muito encantada com a magia, Morgana é privada de muita coisa em Avalon, mas é uma menina muito obediente. Depois de uma profecia cumprida, no entanto, resta-lhe muito rancor e raiva da tia. Não é à toa que Morgana não pode ser tachada de uma só palavra: ela é uma Deusa, uma bruxa, uma fada... 




7. Melhor arte de capa
Princesa Adormecida, de Paula Pimenta, não é o melhor livro de todos. Mas essa capa, meio impressionista, me encantou completamente. Eu sou completamente louca por capas (confesso que muitas vezes compro um livro somente pela capa), e essa é, de longe, a mais linda! Gostei da combinação de cores e, especialmente, da técnica usada. 







8. Melhor ambiente/mundo criado
As Brumas de Avalon, de Marion Zimmer Bradley, é um universo tal qual Harry Potter. Aliás, desde Harry Potter que não me sentia tão encantada com uma série de fantasia! As Brumas, para quem não sabe, é uma série narrada pela perspectiva feminina sobre a Lenda do Rei Arthur. Assim como em HP existe a rixa trouxas vs. bruxos, em As Brumas existe o embate entre os druidas (sacerdotes da magia, como a Senhora do Lado e Merlin) vs, cristãos. O livro é muito interessante devido ao aspecto histórico e religioso, pois nos abre os olhos para diversas questões. O ambiente de Avalon é cheio de magia (da Natureza) e muito místico, com certeza, incrivelmente trabalhado e arrebatador. 

9. Melhor título do Ano
Extraordinário, de R. J. Palacio, é um livro muito inspirador e encantador. Narrado por Auggie, um garotinho de 10 anos que sofre de uma doença que o fez ficar com o rosto com um aspecto pouco "bonito", Extraordinário merece o título que ganhou. Uma trama, um personagem e uma lição de vida completamente extraordinários. 







10. Melhor final de livro
Eleanor & Park, de Rainbow, é um livro que te pega pela simplicidade. O romance dos protagonistas é muito envolvente, apesar de tímido e leve. E, sem dúvida, o final é - por falta de palavras melhores - desesperador. Devido a ele, tive um enorme ressaca literária. Ele fica martelando na nossa cabeça e me fez ficar com muita raiva da autora (haha). 

______________


Espero que tenham gostado da TAG! 



Para quem gosta de sorteios literários, eu estou fazendo um no meu blog pessoal em parceria com outras blogueiras. CLIQUE AQUI para saber mais e para participar! 

Feliz ano novo a todos!


Love
Nina  

domingo, dezembro 28, 2014

Melhores séries que assisti em 2014

Como o ano passou rápido, não é? 

Meus caros leitores, hoje venho aqui buscando fazer uma espécie de retrospectiva dos melhores meios de entretenimento que tive neste célebre ano. As séries de tv! 

Friso que essa é apenas minha opnião ok? 

No gênero Ação/drama:  The Flash


Diretamente dos HQs para as telas da tv temos o super herói criado pela DC Comics, Barry Allen, um cientista forense que após ser atingido por um raio acaba ganhando uma supervelocidade que ele passa a utilizar para combater os criminosos que vão surgindo pela cidade. Sempre considerei o Flash um dos super heróis mais engraçados dos quadrinhos então nem preciso dizer o quanto The Flash prende minha atenção e me diverte não é? O universo da série nos lembra um pouco Smalville, mas a pegada é mais leve, o drama não está se sobrepondo a ação da série. Como bônus ainda temos sempre a aparição de algum personagem das HQs nos episódios. ( O crossover maravilhoso com Arrow nem se fala então!!)



No gênero Comédia: Jane The Virgin


Jane é uma jovem de 23 anos que fez uma promessa séria a sua avó: permanecer virgem! Tudo vai bem em sua vida e com sua promessa até o dia em que Jane é inseminada acidentalmente após ir em uma clinica realizar apenas um exame de rotina. Para piorar o bebê é do seu chefe, Rafael, por quem Jane já teve uma paixão platônica no passado. Seu pai que ela desconhece, mas nós sabemos ser um astro de Tv, sua mãe cantora e agitada e Petra, a mulher de Rafael, arrancam risadas de nós a cada cena em que são vistos. O que dizer? Jane The Virgin é um colirio para os olhos. Faz muito tempo que uma série de comédia não me vicia assim! Não me levem a mal, eu adoro seriados de comédia, mas eu gosto de vê-los, assim, de vez em quando. Eles são minha válvula de escape depois que fiquei saturada de tanto ver um seriado de drama ou ação, mas Jane The Virgin não. Com ela foi diferente. Não sei dizer se é a pegada de novela mexicana, se são as loucuras feitas por todos os personagens ou a fala engraçada do narrador, mas Jane, querida, se precisar de uma madrinha para o seu bebê, eu estou aqui! 


No genêro sobrenatural/fantasia: The Originals



Apesar de The Originals não ter estreado em 2014 como as outras séries que citei até o momento, ela prendeu minha atenção o ano todo. The Originals é um spin-off do seriado The Vampire Diaries onde acompanhamos o híbrido original Niklaus por New Orleans sempre orquestrando planos para reaver o domínio da cidade que ajudou a construir e proteger de todos os seus inimigos sua filha, a linda bebê Hope. Eu sempre adorei história que trazem tramas familiares. The Originals, Twilight, Revenge, Game Of Thrones... tão diferentes e mesmo assim, todas chamam minha atenção. Por que? Há familias aí. Isso basta para eu me interessar, não pergunte o porquê, pois não saberei te dizer. Entretanto, The Originals é bem mais que isso. Julie Plec traz um roteiro envolvente e que te surpreende a cada cena! A pitada de romance impossivel que paira em torno da vida dos irmãos Originais traz o toque de drama que necessita da nossa esperança tão viciante em toda trama.  Mal posso esperar por novos episódios!


No gênero Drama/comédia teen: The Carrie Diaries 



Baseado na protagonista de Sex and the City, Carrie Bradshaw, The Carrie Diaries nos mostra como a maravilhosa e fashion Carrie viveu sua adolescência em 1984. Baseado em obra honônima da autora de Sex and the City, o seriado é engraçado, bem ambientado e tem uma boa dose de drama sentimental que toda série teen pede. Adoro a moda retrô trazida pela série também e convenhamos, nunca haverá personagem mais Badass que Donna LaDonna! Nada partiu mais meu coração do que o cancelamento da série, mas ainda assim, para quem não viu super vale a pena assistir! 

Por fim, no gênero Romance: Beauty and the Beast


Essa foi a categoria mais difícil de escrever aqui. Adoro séries românticas e Beauty and the Beast é uma das minhas favoritas desde o ano passado! Catherine é salva por Vincent Keller no momento em que sua mãe é assassinada. Ela nunca esquece a fera sobrenatural que a salvou e 10 anos após o ocorrido acaba encontrando vestígios da misteriosa fera. Estou irritadíssima com o Hiatus da série, mas confesso que os episódios da 2º temporada acabaram me entediando um pouco, porém isso não tira o encanto que a série lançou sobre mim em seu inicio.



Bom, esses foram meu top 5 de séries assistidas em 2014. E vocês? Em quais séries viciaram esse ano?

Beijinhos.

quinta-feira, dezembro 25, 2014

Meus filmes preferidos para ver no Natal

Olá! Neblineiros!

Hoje eu venho aqui especialmente desejar a todos vocês um Natal cheio de paz, amor e harmonia em família!

E depois da resenha da dos filmes favoritos da Bruna , agora eu deixarei aqui os meus como dicas para vocês.

A minha seleção 

1. Um herói de Brinquedo 

É uma comédia estadunidense estrelada por Arnold Schwarzenegger, de 1996. 


Ele conta a história de um pai que é muito atarefado e que esquece de comprar o presente do filho. É a partir dese ponto que o filme se desenvolve, já que o presente desejado já está esgotado em todas as lojas. Então, a partir da ai você morre de rir  com as trapalhadas desse pai.

2. Anastácia

Não é bem um filme natalino, mas adoro assistir a ele no Natal.


O filme é uma animação, e musical ao mesmo tempo não dirigida pelos estudios Disney. E conta a história da Gran Duquesa Anastácia.  Tem aventura, amor, e você da muitas risadas com Bartoc o morceguinho do Rasputin.

3. Toy Story

Eu amo filmes de animação, e acho que Toy Story é um dos melhores até agora. 


Nem preciso dizer sobre o que é esse filme! Tem Wood...tem Ao infinito e além... 

4. Harry Potter e  Pedra Filosofal


Tem um lado fã, tem um lado vício.... mas... no Natal nada melhor do que recordar .


Então neblineiros, essa é a minha dica, espero que gostem... E qual os de vocês ? 

domingo, dezembro 21, 2014

[Filme] O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos



Olá, pessoas!
Cá estamos. Muitos meses depois da última resenha, estou aqui novamente. E a resenha é de um dos filmes mais esperados do anos.
O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos.


Como disse, esse foi um dos filmes mais esperados do ano. Pelo menos pra mim rs Estava ansiosa para saber como Bilbo Bolseiro (Martin Freeman), do Bolsão, terminaria nessa jornada em busca da terra natal dos anões,, do tesouro roubado por Smaug (Benedict Cumberbatch) e retomada da Montanha Solitária.
O filme começa piuco após o fim do anterior. Depois que Bilbo e a Companhia dos Anões lideradas por Thorin Escudo de Carvalho (Richard Armitage) afugentam o temido dragão Smaug, a Cidade do Lago core perigo, já que Smaug pensa que foi vítima de conspiração entre a Cidade e a Companhia. Assim, Smaug ataca a cidade, enquanto a Companhia se entoca na Montanha.
Enquanto isso, mais ao norte, Galadriel (Cate Blanchet), Gandalf (Ian McKellen) e Saruman (Christopher Lee) tentam encontrar o misterioso comandante o exército dos orcs.
Com a conquista a Montanha, os elfos da floresta, liderados por Tharnduil (Lee Pace), desejam um colar "feito da mais clara luz da estrelas" seja passado a eles por serem deles. O humanos da Cidade do Lago, liderados por Bard (Luke Evans), querem o que lhes foi prometido por Thorin caso ajudasse a Companhia. Os orcs, liderados por Azog, o Profano (Manu Bennet)...Bem, querem destruir tudo.
Dominado pela chamada Doença do Ouro, Thorin se nega a dar qualquer meda. E assim, todos se preparam para a batalha.
A batalha em si toma boa parte do filme. O cinco exércitos mencionados são: anões, humanos, elfos, orcs e wargs. 
No começo, achei ps efeitos especiais bem ruins, mas talvez tenha sido minha sessão. Depois, o efeitos melhoraram, com a qualidade jacksoniana que esperamos. As atuações e a fotografia ficaram sensacionais, e fiquei impressionada com a organização dos exércitos. A sincronia de movimento do exército dos elfos e dos anões primos de Thorin era perfeita. Sem falar nas batalhas ao redor. Muita luta, muitas baixas, enfim.A conclusão da Jornada de Bilbo Bolseiro em busca na terra dos anões foi concluída com sucesso.

Nota: 4/5

Estou super ansiosa para o lançamento no Brasil de Shopaholic to The Stars!!!




Oi neblineiros!!!

quem aqui é fã de chick-lit?? quem já leu algum livro da consumista Becky Bloom?

Bom, o ultimo livro lançado foi Mini Becky Bloom em 2011, mas a agonia dos fãs da Becky terminaram porque esse ano foi lançado SHOPAHOLIC TO THE STARS!

pelo que pude ler sobre o novo livro, Becky acompanhará look para Hollywood e dessa vez suas confusões e loucuras de consumo ocorrerão por lá! Estou ansiosíssima para o livro chegar ao Brasil!!

E vocês? sentem saudades de ler mais sobre Becky Brandos ( née Bloom) ?



domingo, dezembro 14, 2014

[Livro] Se eu ficar - Gayle Forman

E vamos falar hoje do livro queridinho do ano: If i stay ou aqui em nossas terras, Se eu ficar.




Desculpem pela demora em resenhar o livro, mas preferi ler a continuação e ver se não me decepcionaria com a história em seu fim.

Bom, como vocês podem notar cá estou eu.... hoho

Eu me interessei por ler Se eu ficar depois de assistir ao trailer do filme, eu confesso. ( aqui para quem ainda não assistiu). 



Sou fã de música clássica, sou fã da atriz Chloe Moretz desde que a mesma interpretou Carrie White na última adaptação de Carrie, a estranha e achei interessante uma história contada por alguém que está tendo uma experiência fora do corpo.

O livro em seu inicio nos apresenta Mia: uma adolescente tímida, de poucos amigos, estudiosa e extremamente apaixonada por música clássica, principalmente a que produz com seu violoncelo. Esta tem uma melhor amiga, Kim, um namorado Adam e mora com os pais e o irmão menor, Teddy. Seus pais também tem uma extrema paixão pela música, entretanto, eles são rockeiros punk enquanto Mia tendeu sempre para a música clássica.

Logo no primeiro capitulo do livro o ponto chave da trama acontece: um acidente de carro fatal. Diante do caos trazido pelo terrível acontecimento, Mia tem uma experiencia fora do próprio corpo após o acidente e passa a acompanhar tudo que acontece com seu próprio corpo desde então.

Acompanhamos no livro toda a agonia da protagonista por não poder se comunicar com as outras pessoas, não poder ser consolada, ter noticias da sua família ou receber ajuda para superar o grande trauma que o acidente trouxe para sua vida. Descobrimos também,  através de Flashbacks,  pequenos detalhes da vida de Mia com sua família, sua melhor amiga e com Adam que acabam por tocar nosso coração quando nos damos conta que tudo aquilo é passado e que as coisas serão bem diferentes para ela agora.

Nos é mostrado a partir de certo trecho do livro, toda a agonia do namorado de Mia, Adam. Ele corre em seu encontro quando sabe do acidente, tenta invadir a UTI e busca, de alguma forma, tentar trazer Mia de volta. Tocante.

Mia passa por vários momentos nesse péssimo dia de sua vida até perceber que a decisão de ficar e aprender a viver com tudo o que aconteceu ou se deixar ir é uma decisão dela e apenas dela.

O livro nos faz refletir sobre o valor da família, do amor, da verdadeira amizade, dos momentos felizes e da vida que é única e assim como o tempo, jamais volta.

O livro é uma leitura leve e que recomendo a todos pois vale a pena pensar um pouquinho a respeito de alguns valores que devemos sempre manter conosco.

p.s: O final acaba com nosso fôlego e nos deixa com vontade de esganar a autora!

nota: 4,5/5


Pra quem não sabe há uma continuação do livro. Chama-se Para onde ela foi. O primeiro capítulo vem disponibilizado no fim do livro Se eu ficar. Este é narrado através do ponto de vista do Adam. Depois o resenharei para vocês!




domingo, dezembro 07, 2014

Resenha: Crônicas Românticas e outras Histórias


Olá, meus neblineiros,

Venho aqui ~depois de sumir por um século~ deixar uma resenha de uma autora que vocês conhecem muito bem, ela inclusive escreve quando der aqui nesse blog. O nome dela é... TALITA FACCO! Exatamente, uma das nossas blogueira também é escritora, por isso eu venho com orgulho -cumprindo a promessa que eu fiz a ela há meses - falar sobre o primeiro livro dela. <3 
Com lágrimas nos olhos, a mãe o abraçou. Ele sussurrou:
— Feliz Dia das Mães. Eu amo você. 
O nome é simples, se chama Cronicas românticas e outras histórias. O que fala sobre ele? Várias histórias. Isso mesmo, o livro faz jus ao seu nome. São pequenos contos que são separados pela estação do ano e de acordo com algumas datas comemorativas.
Ainda meio sonolento, o jovem arrumou a cama deixando–a organizada e, com passos lentos, foi até as grossas cortinas vermelhas e abriu-as, a claridade que invadiu o ambiente foi tamanha que ele fechou os olhos repentinamente, abrindo-os aos poucos para se acostumar à claridade.
 A leitura é muito gostosa. O livro é pequeno, demorei para ler, confesso, porque eu tinha faculdade e problemas pessoais a resolver, se não fosse por isso eu teria engolido o livro em um dia e meio, ou até mesmo menos do que um dia. É uma leitura simples e dinâmica, não houve palavras que eu desconhecia ou achei difíceis. O enredo da história me prendeu do começo ao fim. E  os personagens são abertos e é fácil se identificar com cotidiano de alguns deles.
 — Falta muito? – Rachel quebrou o silêncio olhando para ele de repente.— Hum... Defina “muito”...  – ele perguntou olhando para ela, assustado.— Não quis dizer a janta, bobo, queria saber se o inverno demora.
Parece que eu estou puxando saco dela, afinal "ah, eu sou amiga dela, tenho que falar coisas boas", nada disso, meus leitores. Eu estou falando coisa boa, falo com toda sinceridade de como eu me senti durante a leitura, por isso eu super recomendo a ler. É algo realmente gostoso de ler e distrair, e ver que os personagens têm uma vida normal e problemas normais como você tem. Além do mais, a nossa querida Talita é iniciante, é bom dar um apoio para que ela continue com a sua função de escritora, e mais importante, sempre a ajudando a crescer como escritora. Elogiando, assim como fazendo boas criticas não ofensivas. Afinal, todos os bons escritores um dia foram iniciantes ;)


Até mais.