domingo, dezembro 27, 2015

[Primeiras Impressões] Tudo e todas as coisas - Nicola Yoon - Editora Novo Conceito








SINOPSE: "Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa nunca sai em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostuma com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

Oi neblineiros, tudo bem?

Como foi o natal de vocês? Espero que tenha sido divertido! O meu foi bem especial e como estava inspirada, arrumei um tempinho pro blog e cá estou! 

Então hoje vim trazer para vocês minhas primeiras impressões sobre o aguardado lançamento da Editora Novo Conceito: Tudo e todas as coisas.

Assim que comecei a leitura eu me lembrei do filme Jimmy Bolha. Vocês já devem ter assistido esse filme, ele é antiguinho, 2001 se não me engano. A nossa protagonista vive em uma espécie de bolha devido a sua falta de imunidade, também.

O enredo da história, assim como a protagonista, te cativam rapidamente, já no primeiro capítulo. Você se entristece pela situação de Madeline e logo quer saber mais sobre sua vida, seus pensamentos e torce para que, de alguma forma, ela consiga se envolver com seu novo vizinho, Olly. 

Li as primeiras 30 páginas da obra e elas já foram mais do que suficientes para a autora ganhar minha atenção. A escrita de Nicola Yoon já mostra sua qualidade nas primeiras páginas, então não haveria como não se empolgar com a história. Estou mais do que ansiosa para ler esse lançamento da Editora Novo Conceito em 2016.
  


domingo, dezembro 20, 2015

[Primeiras Impressões] Once Upon a Time 5ª Temporada

Olá neblineiros!

tudo bem com vocês? Hoje vamos, falar um pouco do que achamos dos 2 primeiros capítulos da nova temporada de Once Upon a Time.

A nova temporada estreiou no Brasil no dia 29.11 às 21:30 no canal Sony.





Sinopse:
A temporada acompanha Emma Swan, Branca de Neve, o Príncipe Encantado, a Rainha Má, o Capitão Gancho, Rumplestilskin e todos os outros personagens, moradores ou não de Storybrooke, que lidam com o recém-adquirido papel de Emma como a Senhora das Trevas e sua busca pelo Feiticeiro Merlin.

Para quem não se lembra no final da 4ª Temporada Emma, salva regina e se torna a nova Senhora das Trevas . (Não podemos nem considerar que é spoiler, devido a enxurrada de fotos e sneek peak que temos na internet.)



Atenção: Contem Spoilers

1º Episódio



Nesse episódio não temos um revival do que aconteceu no final da temporada, somos apresentados a nova personalidade de Emma, e ao desespero de seus familiares para encontra-la. Só existe um porém, para onde ela foi? Pois, como encontrar alguém que não temos ideia da onde se encontra? Por sorte, Regina tem essa resposta, e somos levados novamente a Floresta encantada. 

Enquanto, Emma luta para não se tornar definitivamente a Senhora das Trevas, Rumple, em forma de consciência, (já que ele foi o último senhor das trevas) tenta arrebata-la para o lado sombrio. 

Somos apresentados brevemente a Merida, e levados para Camelot, onde se entende que Emma e sua família devem procurar Merlin.

Porém, estamos falando de OUAT, e nada termina muito bem no primeiro Episódio e somos levados de volta a Storybrooke, e as coisas não terminam muito bem, afinal Emma está completamente transformada.





2º Episódio

Nesse episódio, vamos descobrindo o que aconteceu com as nossas queridas personagens enquanto estiveram em Camelot, e o porque de Emma ter se transformado, o que acontece quando eles atravessam a linha da cidade etc, etc.

O episodio é bem dinâmico  entre o mundo real e Camelot, falando em Camelot, descobrimos que Arthur perdeu a sua espada e descobrimos onde ela foi no final do episódio.




Estou gostando bastante dessa nova temporada, ela tem trazido muitas surpresas para os fãs da série. Apesar de já ter lido comentários bem negativos, vamos esperar os próximos episódios e tirar conclusões depois. E vocês o que estão achando? Nos digam nos comentários. Até a próxima.

domingo, novembro 22, 2015

[Livro] A teia de Aranha

Olá neblineros!

Como estão? Hoje temos, mais uma resenha da Raiha do Crime, Agatha Christie, de um romance praticamente inédito aqui no Brasil.


Título Original: Spider's Web
Autora: Agatha Christie
Páginas: 176

☁ ☁ ☁



Sinopse: Como foi que o corpo do desagradável Oliver Costello apareceu na sala da casa de campo do distinto casal Henry e Clarissa Hailsham-Brown? A chuvosa tarde de março decorria tranquila, e nenhuma das pessoas lá presentes parecia ter interesse no crime. Acreditando tratar-se de um acidente, Clarissa decide esconder o cadáver. Está às voltas com a penosa tarefa quando surge o inspetor Lord, um diligente policial que recebeu um telefonema denunciando o homicídio.

Se você for novo na leitura aqui no blog, saiba que eu sou uma grande fã da Agatha, só que vai achar um pouco estranha a minha opinião sobre esse livro, mais não se assuste, temos várias resenhas dela aqui no blog que você pode conferir  indo no nosso campo de busca.

Esse, foi um dos livros da Ágatha, mais difíceis para eu ler. A teia de Aranha, é um livro inédito aqui no Brasil, pois ele foi adaptado do teatro para a forma de livro por Charles Osborne.

O começo do livro não é do tipo que prende a tenção do leitor, mas, conforme vai avançando a leitura você começa a se prender um pouco na história graças a personagem de Clarissa, que faz a vez de Hercule Poirot nessa trama.

A trama se desenvolve muito bem depois que o assassinato acontece, pois é a apartir desse momento que a história ganha forma. A escrita de Ágatha é é tão Ágatha que até o caso se desenvolver, você fica tentando descobrir junto a Clarissa quem assassinou Oliver Costello, e a conclusão pega o leitor de surpresa.

Na minha visão de fã, talvez o livro não tenha me prendido tanto pelo simples fato de ter sido adaptado por outra pessoa  (Charles Osborne) e não a própria Ágatha, e talvez isso tenha prejudicado a leitura. Tirando isso, vida que segue, temos uma assassino a solta e um cadáver, a visita do primeiro ministro é aguardada na casa de Campo de Henry e Clarissa, e até o caso ser solucionado, ninguem pode sair.

Aconselho a você ler, quando estiver com vontade de dar uma pausa nos livros longos ou até nas Sagas, pois é uma leitura indicada para um final de semana.

Ao finalizar a leitura, não esqueça de nos contar o que achou ok? Boa leitura e até a próxima.

domingo, novembro 15, 2015

[Filme] Pixels

Olá neblineiros!

Tudo bem com vocês? Hoje eu trago a resenha de um filme do Adam Sandler para vocês. 

Título Original: Pixels
Diretor: Chris Columbos
Nacionalidade: Estados Unidos
Duração: 1h46min

☁ ☁ ☁ ☁ ☁



Sinopse: A humanidade sempre buscou vida fora da Terra e, em busca de algum contato, enviou imagens e sons variados sobre a cultura terrestre nos mais diversos satélites já lançados no universo. Um dia, um deles foi encontrado. Disposta a conquistar o planeta, a raça alienígena resolveu criar monstros digitais inspirados em videogames clássicos dos anos 1980. Para combatê-los, a única alternativa é chamar especialistas nos jogos: Sam Brenner (Adam Sandler), Eddie Plant (Peter Dinklage), Ludlow Lamonsoff (Josh Gad) e a tenente-coronel Violet Van Patten (Michelle Monaghan).

Eu não sou mega fã do Adam Sandeler, para começo de conversa, e eu não li e ouvi críticas muito boas desse filme, mas mesmo assim eu me arrisquei a assistir e achei muito bom por sinal.

O filme tem início da década de 80 quando a moda era a molecada ir para os famosos fliperamas e passar o dia lá jogando videos games. Logo conhecemos Sam, um garoto que é muito bom em fliperama principalmente no Pac - Man. 

Na intenção de incentivar o seu amigo, Will o leva para 1ª Competição de Fliperama , no qual ele estava indo muito bem até Eddie aparecer na competição, apesar das coisas não irem muito bem para Sam a competição foi gravada pela Nasa e enviada para o Espaço como mensagem para os extra-terrestres.

Como um bom filme de ficção científica é claro que os alienigenas respondem e de uma forma nada esperada, convidando os terráqueos para uma partida de fliperama. É a partir desse momento que toda a trama se desenvolve, e em 1h e 46min de filme, você vai encontrar ação e comédia como Adam Sandler sabe fazer.

O que me chamou atenção nesse filme foram os efeitos visuais utilizados para dar "vida" a jogos como "Pac- Man", "Frog" (esses eu jogava), isso nos mostra como a tecnologia tem avançado para nos trazer sensações e imagens para a tela do cinema.

Abaixo você confere algumas imagens do filme.




Com uma trilha sonora nostálgica dos anos 80 e atuações excelentes, Pixels é um filme para toda a família, ou para assistir sozinho e dar boas risadas, afinal, quem nunca quis encontrar uma dessas personagens pessoalmente?


Curiosidades

  • Do curta ao longa

Pixels desenvolve a história do premiado curta-metragem de mesmo nome, dirigido por Patrick Jean e distribuído pela One More Productions, em 2010.


  • Criador do Pac-Man

O personagem do Professor Iwatani baseia-se no real criador do Pac-Man, Toru Iwatani.


  • Contagens verídicas


As pontuações mais altas dos vídeo-games no filme são baseadas em contagens reais. A pontuação de Sam Brenner (interpretado por Adam Sandler) de 3.333.360 é a mais alta possível (perfeita) do Pac-Man, primeiramente alcançada por Billy Mitchell. A pontuação de Ludlow Lamonsoff Centipede (interpretado por Josh Gad) de 16.389.548 é apenas um ponto superior ao real recorde mundial de Jim Schneider. A pontuação de 1.068.100 de Eddie Plant (interpretado por Peter Dinklage) no Donkey Kong é apenas 100 pontos a mais do que o ex-recordista mundial Hank Chien.

Fonte: AdoroCinema

quarta-feira, novembro 11, 2015

[LIVRO] Romances de Cora Carmack - Editora Novo Conceito



Perdendo-me (Cora Carmack)

Bliss, incentivada pela amiga do curso de teatro, decide perder sua virgindade a qualquer custo. Para isso, veste-se de forma mais ousada e vão à um bar à caça do cara certo. Depois de alguns flertes infrutíferos, conhece um inglês misterioso que acaba no fim da noite em sua cama. Na hora H, desiste com a desculpa de buscar uma gata que não existe. O que ela não poderia prever é que daria de cara com o mesmo sujeito na aula do dia seguinte: Garrick era seu novo professor. Com a aproximação se vê obrigada a adotar uma gata para sustentar a mentira. Sutilmente clichê, a história prende o leitor do começo ao fim intercalando momentos de intensa paixão com cenas engraçadas.


Mantendo-me (Cora Carmack)

Depois de oito anos morando fora, Garrick volta a Londres para apresentar Bliss, sua noiva, à seus pais. Novos desafios colocam em xeque a escolha de Garrick viver de teatro. Assim como no primeiro livro da sequência, a autora recorre a cenas constrangedoras que deixam a leitura leve e divertida, mas com um toque a mais de maturidade nas reflexões e dilemas vividos pelos personagens.


Fingindo (Cora Carmack)

Cade supera sua paixão por Bliss ao conhecer Max que entra em sua vida de forma veloz e intensa. Tudo começa quando ele finge, a pedido dela, ser seu namorado. O problema é que ele não faz um personagem, comporta-se de forma verdadeira, conquistando a confiança de seus pais. E Max, que não é um tipo de garota comum (roqueira, cabelo rosa, tatuagens e piercing), sente seu coração arrebatado pelo rapaz perfeito aos olhos dos pais tradicionais; bem diferente dos diversos tipos que já passara por sua vida. No entanto, o passado de Max volta a todo o momento para atormentá-la, deixando-a vulnerável e insegura em manter um relacionamento com Cade. Ele por sua vez, resignado no passado, agora precisa aprender lutar por ela. Esse terceiro livro da sequência apresenta uma trama mais elaborada, destacando a evolução de Cora Carmack como autora.


Encontrando-me (Cora Carmack)

Após a formatura, Kelsey viaja sozinha pela Europa. Depois de conhecer muitos países se hospedando em albergues, muita bebida e sexo casual, ela conhece o misterioso Hunt que praticamente se torna seu anjo da guarda. Ela tenta de todas as formas o seduzir, mas ele parece resistir aos seus encantos por algum motivo que Kelsey desconhece. Hunt aos poucos derruba as barreiras dela e a faz por para fora um passado que ela queria esquecer, mas que a impede de ter relacionamentos duradouros; em contrapartida ele não divide com ela seus próprios segredos. Uma leitura que no início é entediante precisará de um pouco mais de paciência do leitor que será conduzido para uma paixão de carga explosiva e avassaladora.


No geral gostei muito da leitura. O primeiro livro “Perdendo-me” tem todo um frescor e leveza que agrada muito os leitores na casa dos vinte anos, mas destacaria o “Fingindo” como a melhor trama (foi que mais me agradou e o que li com mais velocidade). No entanto, mesmo com um começo arrastado (que me fez por várias vezes ter vontade de desistir da leitura), o melhor final, sem dúvida, é o do último livro –– bem clichê, do jeito que eu gosto! 

Escrito por Maria Angélica Constantino, nova colunista do Blog Livro e Neblina.

segunda-feira, novembro 02, 2015

[FILME] Ponte dos espiões

E ai, neblineiros? Como foi o Halloween de vocês? Espero que tenha tido sua dose de terror! 

Vocês lembram do Guilherme Garbin? Ele foi colunista aqui do blog por um tempo. Nós somos bons amigos e hoje o Guilherme estava afim de assistir o filme Ponte dos espiões e eu fui ver com ele. 







Quando ele me falou a sinopse do filme e de seu teor jurídico eu já me interessei e tive ótimas impressões sobre o filme. Com a direção de Steven Spielberg não poderia ser diferente, não é?

Inicialmente somos apresentados a Rudolf Abel ( Mark Rylance), contudo, como protagonista temos o personagem James Donovan ( Tom Hanks), um advogado de seguradoras que é convidado pela Ordem a defender Rufolf da acusação de ser um espião soviético roubando informações dos EUA. 

Já em um primeiro momento, é fácil de se notar que todo o judiciário deseja que James faça a defesa de Rudolf apenas como um cumprimento a uma mera formalidade, apenas para fornecer superficialmente o devido processo legal ao acusado, evitando a alegação de cerceamento de defesa, contudo, não é isso que James Donovan faz. Mesmo se tornando uma pessoa publicamente odiada e indo contra os desejos de sua família e sócios, ele abraça a causa e representa dignamente seu cliente. 

Frisa-se que a história retratada na obra de Spielberg é baseada em fatos reais ocorridos na época da Guerra fria, o que torna a postura adotada por Donovan ainda mais admirável.

Mesmo apresentando um precedente na defesa dos direitos de seu cliente ( ah, como é interessante o Common Law!) e defendendo a ausência de um mandado, que tornaria as provas encontradas ilícitas, o juízo ignora toda a argumentação de Donovan e de forma completamente pavorosa e parcial informa em júrí que condenaria Rudolf Abel, assim como o júri o fez.

Demonstrando persistência, James Donovan busca reformar a decisão na Suprema corte, entretanto, é curioso notar como estas tendem a fornecer decisões políticas e não necessariamente técnicas e assim, ele recebe mais um insucesso. 

Após alguns acontecimentos, Donovan se vê embarcando para a Alemanha Oriental afim de realizar uma negociação de troca de prisioneiros: Rudolf Abel por Francis Gary Power, um jovem piloto americano feito prisioneiro pela URSS após a queda do U2. 

Ao descobrir que eles estão com Frederic  Pryor, mais um norte-americano, James Donovan faz de tudo para conseguir através de negociações diplomáticas sair o mais rápido da Alemanha Oriental levando os dois norte-americanos consigo, mesmo não sendo esse o interesse dos EUA. Questões éticas e morais são levantadas aqui, o que torna a análise do filme ainda mais interessante.

O cenário é bem detalhista e a  ambientação é muito bem feita, merecendo o filme nota 5. 

domingo, novembro 01, 2015

Especial Halloween - 5 seriados de terror/suspense

Ontem foi Dia das Bruxas, ou, como é mundialmente conhecido, o Halloween. Infelizmente, esse não é um feriado popular, digamos assim, no Brasil, porque eu simplesmente adoro a ideia de festa a fantasia ainda mais nessa temática de terror.

Como já confessei anteriormente aqui pelo LeN, quando era pequena costumava assistir MUITO filme de terror. Conforme cresci, entretanto, eu passei a ficar impressionada facilmente, coisa de não dormir rs. Mesmo que hoje em dia isso tenha diminuído um pouco, filmes de terror baseados em fatos são coisas que eu evito de QUALQUER forma.


Mas, hoje, não estou aqui para falar de filmes e sim de seriados. Por mais estranho que pareça, eu simplesmente amo seriados que sejam do gênero terror e/ou suspense... vai entender hehe Porém acredito que como as séries de TV envolvam um enredo mais elaborado e não se construam apenas em cima do terror e suspense, propriamente ditos, como nos filmes, eles acabam ficando mais """"leves"""".

Preparei então uma listinha de 5 seriados do gênero. Deixe a luz acessa e vamos lá o/

1. Penny Dreadful

Sinopse: Em Penny Dreadful, alguns dos personagens mais famosos e assustadores da literatura mundial, como o Dr. Frankestein e sua criação, o eternamente jovem Dorian Gray e icônicas figuras do romance Dracula, estão todos vivendo nos cantos obscuros de Londres Vitoriana.

Essa é uma das minhas preferidas atualmente. Com bruxas, vampiros, mortos-vivos e demônios, ela traz uma mistura deliciosa de terror e suspense. Ainda por cima tem a maravilhosa da Eva Green, cuja atuação é impecável (destaque forte pro episódio 2 da 1ª temporada). Sério, gente, Evinha é muito amor <3 A série encaminha-se para a terceira temporada e eu mais que indico.

2. Hannibal

Sinopse: Will Graham (Hugh Dancy) é um talentoso fornecedor de perfis criminosos que está em busca de um serial killer, com a ajuda do FBI. A forma única de Graham pensar dá a ele a habilidade de ter empatia com qualquer um – até mesmo psicopatas. Ele parece saber o que os afeta. Entretanto, a mente do homem procurado é muito complicada, até mesmo para Graham, portanto, ele busca pela ajuda do Dr Hannibal Lecter (Mads Mikkelsen) – um dos maiores psiquiatras do país. Armado com o conhecimento do brilhante doutor, Will e Hannibal formam uma parceria brilhante, da qual nenhum criminoso escapa.

Pra mim, uma das maiores injustiças de 2015. Devo dizer que o piloto dessa série não me agradou. Mas graças a Merlim eu dei continuidade. Eu amo o tema "serial killers", mas "Hannibal" não era apenas sobre isso. Em alguns momentos, sim, ela exagerava em termos de complexidade, com diálogos um tantinho difíceis. Mas visualmente era um deleite só. Os efeitos visuais eram hipnotizantes e as atuações muito boas. Preciso falar que me apaixonei pelo Mads. Eu não conheço muito/não sou super fã da história de Hannibal, apenas vi os filmes (pretendo ler os livros um dia), mas prefiro o jeito como o enredo foi retratado na série. Infelizmente, após três temporadas, devido a baixa audiência (eu não consigo entender...), ela foi cancelada </3.

3. The Walking Dead

Sinopse: A série inicia com o xerife Rick Grimes sendo ferido após travar um tiroteio com criminosos armados. Ele entra em coma e desperta semanas depois, em um hospital abandonado e danificado. Ao sair do hospital, Rick descobre-se em um mundo pós-apocalíptico dominado por mortos-vivos. Rick inicia uma perigosa jornada para Atlanta, onde acredita-se que o 'Centro de Controle e Prevenção de Doenças' tenha criado uma zona de quarentena onde sobreviventes podem ficar a salvo. Ao chegar a Atlanta, ele logo descobre que a cidade foi dominada pelos mortos.

Eu preciso dizer algo sobre essa série? Zumbis, zumbis, morte, zumbis, drama, fim do mundo. É meio isso rs Agora sério, TWD está na sua sexta temporada e é cada vez mais um grande sucesso. Apesar de alguns episódios serem mais mortos (piadinha hehe), outros são tão cheios de tensão e suspense, onde você quase ganha um ataque de coração. Fora que é de arrepiar os cabelos e meio impossível pensar "e se fosse eu ali?". Sinceramente, acredito que não ia durar muito. Minhas pernas sedentárias iam me entregar na primeira corrida necessária. E esses zumbis, hein? Imagina só encontrar um desse enquanto anda pela rua? Credo!

4. Salem

Sinopse: No Século XVII, Mary Shibley é a ex-namorada de John Alden, um homem que há dez anos partiu para a guerra, sendo capturado pelos índios. Agora ele volta para Salem onde encontra Mary casada com George, um homem mais velho que ela, porém rico e membro do Conselho da cidade. Mas sua maior surpresa é descobrir que a cidade está dominada pelo delírio da caça às bruxas, liderada pelo aristocrata Cotton Mather.

Por enquanto, desta série, eu só assisti o piloto, um tempinho atrás. Eu gostei médio do episódio e acabei deixando de lado por conta de outras prioridades. Contudo, fato é que o bicho pega. Com cenas fortes, sem medo de ser feliz, a série traz terror sim e se reclamar ainda te deixa sem dormir. Quero muito voltar a ver, ainda mais porque tenho conhecidos no facebook que colocam a mão no fogo dizendo que ela melhorou significantemente.

5. Scream Queens

Sinopse: Assim como “American Horror Story”, cada temporada contará uma história diferente. A 1ª temporada será centrada em uma série de assassinatos que ocorrem em um campus universitário. Novas configurações e histórias serão apresentadas nas temporadas subsequentes da antologia.

"Scream Queens" está para um estilo mais trash de suspense. Eu to acompanhando aos poucos e tenho gostado. Porém vejo muitos reclamando... Enfim, realmente não é uma série que tem o potencial de "agradar massas", acredito que justamente por ser mais trash. O humor está presente e claro, deixa as coisas mais leves. Além disso, os personagens são bem forçados e estereotipados, digamos assim e o Ryan consegue brincar bastante numa linha entre o humor e um suspensezinho. "Scream Queens" já foi renovada para a segunda temporada.


Quem mais curte seriados do gênero?



sábado, outubro 31, 2015

Especial Halloween - Filmes nada apavorantes

Olá neblineiros, como estão nesse sábado? Já saíram desejando "Gostosuras ou travessuras? Ou está mais a fim de ver um filminho hoje? Mas, se você como eu não for fã dos clássicos de terror que tal aproveitar o clima de hoje é assistir a filmes mais Lights? Confira na lista a baixo filmes que não dão nem um pouquinho de medo para assistir nesse sábado.



 Abracadabra 



Sinopse: Winnie (Bette Midler), Sarah (Sarah Jessica Parker) e Mary (Kathy Najimy) são três bruxas do século XVII, que chegam ao século XX após seus espíritos serem evocados no Dia das Bruxas. Banidas há 300 anos devido à prática de feitiçaria, elas estão dispostas a tudo para garantir sua juventude e imortalidade. Porém precisarão enfrentar três crianças e um gato falante, que podem atrapalhar seus planos.

 Que atire a primeira pedra quem nunca assistiu ao filme na Seção da tarde. O filme conta a história de três irmãs (bruxas é claro) que matam criancinhas para ficarem jovens. Como um bom filme da Disney temos um mocinho Binx que tenta salvar a irmã  Emily e tudo dá errado. 300 anos depois conhecemos Dany um virgem que sem querer trás as bruxas Winnie, Sarah e Mary de volta a vida, a partir daí, o que tira muitas risadas do espectador.


 O estranho mundo de Jack


Sinopse: Jack Skellington (Chris Sarandon) é um ser fantástico que vive na Cidade do Halloween, um local cercado por criaturas fantásticas. Lá todos passam o ano organizando o Halloween do ano seguinte mas, após mais um Halloween, Jack se mostra cansado de fazer aquilo todos os anos. Assim ele deixa os limites da Cidade do Halloween e vagueia pela floresta. Por acaso acha alguns portais, sendo que cada um leva até um tipo festividade. Jack acaba atravessando o portal do Natal, onde vê demonstrações do espírito natalino. Ao retornar para a Cidade do Halloween, sem ter compreendido o que viu, ele começa a convencer os cidadãos a sequestrarem o Papai Noel (Edward Ivory) e fazerem seu próprio Natal. Apesar de argumentos fortes de sua leal namorada Sally (Catherine O'Hara) contra o projeto, o Papai Noel é capturado. Mas os fatos mostrarão que Sally estava totalmente certa.

Serei sincera com vocês, eu nunca assisti a esse filme, mas... tem como não adorar um filme que foi co-escrito pelo Tim Burton? 

 A noiva Cadáver

Sinopse: Em um vilarejo europeu do século XIX vive Victor Van Dorst (Johnny Depp), um jovem que está prestes a se casar com Victoria Everglot (Emily Watson). Porém acidentalmente Victor se casa com a Noiva-Cadáver (Helena Bonham Carter), que o leva para conhecer a Terra dos Mortos. Desejando desfazer o ocorrido para poder enfim se casar com Victoria, aos poucos Victor percebe que a Terra dos Mortos é bem mais animada do que o meio vitoriano em que nasceu e cresceu.

Esse eu assisti e amei... nesse filme vemos o contraste de cores no mundo dos vivos X o mundo dos mortos. Na minha humilde opinião um ótimo filme para esse Halloween.

 Saga Harry Potter


Em um especial Halloween, é claro que não deixariamos de fora a Saga de maior sucesso nos cinemas. Harry Potter, tem magia e bruxaria envolvidos nos 8 filmes. E claro, a luta do BEM X MAL... não podia ficar de fora não é?


 E para encerrar.. 

Da Magia a Sedução



Sinopse: As mulheres da família Owens tem poderes mágicos. Mas uma maldição as persegue há mais de duzentos anos: qualquer homem que se apaixona por uma delas, morre. Descendentes da bruxa que começou este feitiço, Sally (Sandra Bullock) e Gillian (Nicole Kidman) são duas irmãs que foram criadas por suas tias (Dianne Wiest e Stockard Channing). Já adultas, enquanto Sally se mostra bastante reservada, Gillian foge de casa para ter o primeiro de muitos namorados. Após algum tempo, Sally se casa e tem duas filhas, mas seu marido acaba morrendo atropelado. Até que chega o momento em que ela deve ajudar Gillian, que se envolveu com Jimmy Angelov (Goran Visnjic), um búlgaro agressivo que as ameaça. Sentindo que correm perigo, as duas o envenenam, mas, temendo as conseqüências de tal ato, Gillian convence Sally que o melhor é trazê-lo de volta a vida. Uma decisão que trará uma série de complicações com polícia e com seus próprios poderes.

Único filme de romance da lista... Não é só plo romance que ele está na lista, mas sim por todo ar de mistério que envolve ao filme. Se você nasceu antes dos anos 2000 concerteza já assisti algumas vezes e deve  ter se encantado com Sally e Gillian. 

Agora é a vez de vocês, qual filme nada apavorante você assistirá nesse sábado?

quinta-feira, outubro 29, 2015

Autor do mês : Stephen King

Olá neblineiros!

O mês está acabando, mas não podíamos deixar de homenagear um autor nesse mês de Outubro.


Nascimento: 21 de Setembro de 1947

Stephen Edwin King nasceu em Portland, Maine, no ano de 1947. Foi o segundo filho de Donald e Nellie Ruth Pillsbury King. Após a separação de seus pais, Stephen e seu irmão, David, foram criados pela sua mãe. Stephen passou a infância em Fort Wayne, Indiana, onde moravam parentes de seu pai, e também em Stratford, Connecticut. Quando Stephen completou 11 anos, sua mãe voltou com ele e o irmão para Durham, no Maine, pois avôs viviam lá e precisavam da ajuda de sua mãe.
Stephen frequentou aulas em Durham e na Lisbon Falls High School, onde se graduou no ano de 1966. Então foi para Universidade de Maine, onde mantinha uma coluna semanal para o jornal escolar que tinha o nome de The Maine Campus. Stephen foi um estudante ativo, colaborando em questões políticas e servindo como membro do Student Senate. Ele se graduou em 1970 e obteve qualificação para lecionar.
O escritor casou-se com Tabitha Spruce no ano de 1971. Eles se conheceram na biblioteca da universidade quando ainda eram estudantes. Enquanto vendia pequenas histórias para algumas revistas, Stephen escreveu seu primeiro conto profissional “The Glass Floor” para a Startling Mystery Stories em 1967. Muitos destes contos foram compilados posteriormente na coletânea Night Shift (Sombras da Noite) ou apareceram em outras antologias.
No ano de 1973, a editora Doubleday & Co. aceitou a novela Carrie. A partir daí, Stephen consegue subsídio para deixar de lecionar e dedica-se à escrita em tempo integral. Neste mesmo ano, o escritor consegue sua segunda aceitação com a novela Salem’s Lot (A Hora do Vampiro). Neste período, a mãe do escritor morre de câncer aos 59 anos.

Um ano após a aceitação da editora, a novela Carrie é publicada, ao mesmo tempo em que Stephen se muda com a família para o Colorado. Viveram lá aproximadamente um ano, e nesse tempo Stephen escreve The Shining (O Iluminado), que foi levado aos cinemas pelo diretor Stanley Kubrick no ano de 1980. Retornam para Maine em 1975, onde o escritor finaliza The Stand (A Dança da Morte).

O escritor tem três filhos com sua esposa: Naomi Rachel, Joe Hill e Owen Phillip. Em 2003, Stephen recebeu um título distinto da The National Book Foundation por contribuir com a literatura americana


Fonte: Infoescola

Fiquem ligads aqui no Livro e Nelbina para resenhas do autor.

quinta-feira, outubro 15, 2015

[LIVRO] Para Continuar - Felipe Colbert - Editora Novo Conceito

Oi neblineiros, tudo bem? 

Deixa eu perguntar uma coisa para vocês. 

o fofuxo do muchu tinha que estar aqui, né?


Vocês são fãs da cultura oriental? Se a resposta for afirmativa, se preparem. A resenha de hoje é sobre um livro que irá conquistar seus corações pois a primorosa obra de Felipe Colbert,  Para continuar, te leva a um mergulho cultural no mundo japonês. Nossa protagonista reside mais precisamente em Liberdade- SP, ou seja, na maior colônia japonesa do mundo depois do Japão e graças a isso a história é envolta de lugares, objetos e referências a maravilhosa cultura oriental. 

Vem ver o Book trailer da obra! 



Eu sou fissurada em luminárias! Não teria a mínima chance da capa não me ganhar e o sub-título já me deixou curiosa, então aproveitei o feriado para começar a leitura de Para Continuar.



Sinopse: Para continuar - Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.
Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.
A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.
O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.



Com o inicio do livro somos apresentados ao protagonista Leonardo. Ele é um garoto tranquilo, que possui um problema de saúde que limita razoavelmente sua vida, mas que conquista você. Sabe aquele personagem que você simpatiza? Você começa a ler e já sabe que ele é uma boa pessoa? É essa a impressão que Leonardo meu deu assim que a história começou. Léo vive sob os cuidados super protetivos de seus pais, visto o risco de vida que sua doença gera para o mesmo e isso fez com que eu me identificasse com ele. Filho único. Gente boa. Super protegido. Problemas cardíacos. É quase minha versão masculina, gente! 

Um dia, no metrô, Leonardo avista uma garota oriental e imediatamente cria um interesse por ela. Neste momento conhecemos Ayako. Quando ela e o protagonista se aproximam, nós passamos a conhecer um pouco mais a vida de Ayako e nos encantamos por ela. Ela é uma boa garota. Forte e dedicada, não se cansa de trabalhar e ouvir toda a sabedoria que seu avô, seu Ojii-san, tem para lhe ensinar. Eles tem uma antiga loja de luminárias e juntos guardam um segredo: são guardiões de luminárias especiais que surgem junto com o amor entre duas pessoas e que não devem jamais serem tocadas ou isso pode causar danos irremediáveis ao sentimento das mesmas. 

Ayako e seu avô são personagens que te conquistam. Eu conseguia me ver andando na pequena loja de luminárias de sua família durante a descrição no livro. Fico feliz em poder dizer que a escrita de Felipe Colbert é fantástica e te envolve completamente. Eu me sentia lá! 

No ambiente familiar de Ayako também conhecemos Ho. Um rapaz com capacidades mentais limitadas que vive com Ayako  por estar sob a tutela de seu avô e os ajuda na loja. Ho tem uma paixão platônica por Ayako e isso faz com que ele traga vários problemas para nossos protagonistas, inclusive colocando a vida dos dois em risco, justamente por Ho ter um primo envolvido no mundo da criminalidade, Kong, pra quem Ho sempre liga quando acha que precisa de ajuda. 

Preciso destacar a grandiosidade da escrita do autor nos capítulos narrados sob o pensamento de Ho.  O chinês tem problemas mentais e o autor não precisou deixar isso explícito em seu texto, nós leitores percebemos por seus pensamentos. Eu achei esplêndida a forma como Felipe Colbert nos mostrou isso. Muito bem trabalhado! 

Agora outro ponto que merece ser mencionado é a forma como Leonardo aprende a viver, a se arriscar, quando decide conquistar Ayako durante o desenrolar da trama. Tudo acontece de forma leve, singela, e quando percebemos já estamos diante de um novo personagem, muito mais maduro do que o garoto que conhecemos no primeiro capítulo. Gosto de mudanças sutis. É como se nós leitores evoluíssemos junto com o personagem. 

Durante a trama ainda somos apresentados ao maluco Penken, o melhor amigo de Leonardo. Malu, sua simpática ex-namorada e a seus preocupados Pais. Eu confesso que gostei de todos os personagens. Para continuar é aquele tipo de história onde é fácil visualizar quem é o mocinho e quem são os vilões, sabe? É uma trama que me viciou hoje e que eu sei que também capturaria minha atenção caso eu ainda estivesse na adolescência. A linguagem é fácil, os problemas abordados não. Alguns temas são bem sérios, como a grave doença do protagonista, mas isso  não torna a história exclusivamente adulta, ela não é pesada demais. Pelo contrário é leve, fácil e simples! Faz muito tempo que não termino uma leitura tão rápido quanto terminei de ler Para Continuar e isso pra minha só torna a trama mais positiva, pois nem a senti acabar. 

Fiquei aflita nos seus momentos finais, pois tinha receio de que algo grave tivesse acontecido a algum dos personagens e eles terminassem separados. Esse é um problema quando não conhecemos o tipo de escrita do autor. Nunca se sabe o que esperar. Será que ele gosta de finais arrebatadores? Será que ele gosta de matar os personagens? Será que ele vai dar para eles um final feliz bonitinho como tanto anseio? Leia vocês também e descubram, meus queridos neblineiros, mas garanto a vocês que eu adorei a forma como a história foi finalizada.

Este não é um livro de ação, é um livro sobre a vida e sobre o amor em sua forma mais simples e por isso eu o gostei tanto! A trama é completamente original e muito rica em detalhes culturais, o que considerei maravilhoso. O único ponto negativo que posso lhe atribuir é o fato da mesma ter acabado mais cedo do que eu gostaria! Eu me apego aos personagens e não gosto de sair de suas vidas ( sim, eu sou maluca desse jeito).

Se você se viciou na escrita do autor assim como eu, visite seu site felipecolbert.com.br e saiba mais sobre suas obras.


E ai, você já leu Para Continuar? Me conta o que achou! 

Logo mais eu volto pra conversar sobre Fique forte com vocês. Beijão