quarta-feira, maio 27, 2015

Gelo Negro

Boa tarde, meus queridos leitores. 

Confesso que estou em um humor maravilhoso hoje por dois motivos.

Primeiro: está caindo uma chuva torrencial em Londrina e o céu está cinzento daquela forma que eu adoro, como vocês já sabem. 
Tenham desde já o conhecimento de que a resenha de hoje vai sair mais longa do que eu esperava. É sempre assim quando a chuva me inspira! 

Segundo: Terminei há 5 minutos a leitura da mais nova obra da autora Becca Fitzpatrick: Gelo Negro.

Segunda-feira aproveitei um curto tempo livre para ir a livraria tomar um café e comprar algum livro novo ( porque livros e bolsas nunca são demais né?) e acabei me deparando com o lançamento da Becca Fitzpatrick e já pirei para ler.

Quando eu li a saga Hush Hush ( Sussurro no Brasil) da autora eu ainda não tinha o blog para poder compartilhar minha euforia pós leitura com vocês, mas com o ânimo que Gelo Negro me deu, quem sabe eu não faça uma releitura da obra e poste aqui através da tag Relendo para compartilhar com vocês? 

Se a PUC me permitir eu farei!! #pucprdêferiasparaabruna

Desde que li a primeira obra da autora eu me viciei completamente em sua escrita. Becca sempre cria personagens que considero completos: eles sempre tem algo mistério em volta de si que nos instiga a ler o livro para descobrir junto com a protagonista o que os torna tão sombrios e interessantes. Além disso, seus personagens nunca começam como mocinhas indefesas e heróis encantadores. A autora trabalha muito bem com a questão do anti-herói que, aos poucos, com uma certa dose de humor e carisma caprichado, vai nos mostrando sua verdadeira essência. Os considero completos pois ninguém nos livros de Becca Fitzpatrick é completamente bom ou completamente mau. Um claro exemplo disso é Korbie,  a amiga da protagonista em Gelo Negro. Creio que isso traz uma dose de realidade a mais a obra e me sinto mais presa a histórias com personagens construídos desta maneira. 







Sinopse:
“Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança.Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.”

A obra foi lançada aqui no Brasil em 08 de maio e confesso que agora fico me perguntando quando a autora lançará seu próximo livro. Sua escrita é um vicio, não tem jeito! Já quero poder ler mais.


Eu não sou do tipo que costuma ler Thrilers, mas para uma autora querida sempre se abre uma exceção, não é? E neste caso, eu não me arrependi um segundo sequer. Novas experiências são sempre esplêndidas, pois graças a elas nos descobrimos um pouco mais e comigo não foi diferente. Tenho certeza que um bom número de livros em minha próxima compra serão Thrilers, pois eu adorei!

A obra de Becca Fitzpatrick realmente te prende, assim como Sussurro me fixou em sua época.
Somos apresentados a Britt Pfeiffer, uma adolescente de 17 anos, sem mãe, que vive tranquilamente em sua cidade pacata com o pai e o irmão até que decide fazer uma trilha em uma Cordilheira com sua melhor amiga Korbie e por conta disso passa meses se preparando para a viagem. 

Antes de partir, a protagonista se depara com Calvin, seu ex- namorado e irmão de sua melhor amiga Korbie, que nos últimos momentos a avisa da inclusão do irmão na viagem. Já gostei da protagonista por aqui, pois ela se mostrou forte mesmo antes dos desastres começarem a acontecer.

Um problema? As duas garotas nunca chegariam a seu destino. Presas por uma tempestade seguida de uma rigorosa nevasca, elas se embrenham na floresta buscando ajuda e acabam por encontrar um problema pior ao serem feitas de reféns por dois homens ( Shaun e Mason) que buscavam fugir da policia. Isso poderia piorar? Haveria luz após a escuridão? 

Mason não parece ser tão ruim quanto Shaun, já que em alguns momentos ele parece querer ajudá-la, mas a protagonista vive um dilema interno durante a obra inteira sobre confiar nele ou não, o que chega a ser consideravelmente irritante em algumas cenas, principalmente quando a obra se aproxima de seu final. Creio que foi o que mais me incomodou na obra inteira.

O livro é cheio de cenas de ação que considerei bem elaboradas e que conseguiram prender completamente minha atenção. A protagonista é um personagem inteligente, então a leitura se manteve interessante mesmo em cenas onde só a tínhamos caminhando mais e mais pela nevasca sem fim.

Achei o desenrolar da história um pouco previsível, consegui desconfiar do ocorrido ainda na metade da obra, mas, vale a leitura pois os detalhes que Becca Fitzpatrick insere na obra completam o quadro imaginário que tanto buscamos para concretizar a cena em nossas mentes.

Achei o último capítulo um pouco desapontador, mas o epílogo conseguiu me deixar feliz novamente, apesar de eu ter sentido falta de mais informações. Odeio desapegar da história!

Um ponto negativo? Nada foi dito acerca de Korbie no fim da obra e senti falta de uma finalização mais completa para personagens, além dos protagonistas.

O livro aborda temas interessantes como a confiança que devemos ter em nós mesmos, a necessidade de se buscar independência mesmo quando pode ser tão mais cômodo permitir que cuidem de nós e ainda a misoginia cultural. Eu gostei da forma como a autora nos fez pensar nesses temas pelo decorrer da história!

Ademais, eu considerei a história envolvente e leria de novo, uma vez que a escrita de Becca Fitzpatrick nunca decepciona e continua tão fantástica quanto eu me lembrava.

Quem ai apostaria em uma continuação? Creio que a autora não a fará, mas se o fizesse eu com toda certeza correria para a livraria mais próxima para comprar a obra.

Nota: 9 ( perdeu um pontinho pela falta de informações acerca dos outros personagens no fim do livro).

p.s: já estou sentindo falta dos personagens =/

E ai, quem já leu Gelo Negro? Gostou? Odiou? Conta pra mim!

Beijos

terça-feira, maio 26, 2015

[ Livro] A playlist de Hayden - Michelle Falkoff - Editora Novo Conceito



Sinopse: A playlist de Hayden - Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente.Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A PLAYLIST DE HAYDEN é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

 



Neblineiros eu confesso que a leitura desse livro foi dificil pra mim. Tudo que envolve bullying é dificil. Lembram quando li os 13 porquês? Então, com A playlist de Hayden eu senti a mesma coisa me travando. Quem já sofreu bullying consegue sentir tudo que é narrado e, as vezes, isso faz nosso coração doer de novo, como se estivéssemos vivendo tudo aquilo mais uma vez, junto com nossos queridos personagens, mas eu prometi para mim mesma que iria até o fim com a leitura e eu consegui! 

A Editora Novo Conceito foi uma fofa e me mandou fones de ouvido e um potinho lindo para guardá-los com o nome da obra. Olha que amor! Tem foto no meu insta para vocês! (@brunacconstantino).

O livro já começa de forma chocante. Nos deparamos com Sam lidando com o suicídio de Hayden. Dá pra imaginar? É um ponto de vista novo pra mim. O que seus amigos sentiriam se você partisse? Achei interessantíssimo embarcar nessa linha de pensamento. 

Eu não sei é pelo fato do livro ser tão sonoro, mas eu me senti tão ligada com a história! Com vocês foi assim também?  Cada música que eu parava para ouvir como Hayden pediu me levava a ser Hayden, ser Sam, ser Astrid, ser sentimento, ser dor, ser amor. Músicas fazem isso conosco, não é? É uma arte muito especial, os sons. <3

O tema abordado no livro é tão importante! Quando terminei, me senti aliviada! Não consegui não comparar a história com a do suicidio de Hanna da obra os 13 porquês, que já mencionei nesse post e no blog anteriormente. Eu acho que te ajuda a ser mais empático com os outros ler esse tipo de obra, sabe? Todos deveriam ler, é uma trama linda a escrita por Michelle Falkoff.

Fiquei me perguntando se sou maluca ou se realmente a historia vai continuar em outros livros. Eu espero que sim!!

Vocês gostam de sick-lits? Vem me contar! Beijos.





segunda-feira, maio 11, 2015

[Livro] Tragédia em três atos

Olá neblineiros!

Prontos para uma tragédia? Espero que sim!


Sinopse: Uma pessoa morre durante um jantar oferecido pelo ator Sir Charles Cartwright. Todos, inclusive Poirot, acreditam que tenha sido um acidente. Porém, logo ocorre outra morte nas mesmas circunstâncias, o que faz com que Poirot desconfie que há um envenenador à solta.

Agatha, mais uma vez nos presenteia com uma obra espetacular. E quem imagina que logo nas primeiras paginas já sabe quem é o assassino, novamente é enganado por ela.

O livro nos é apresentado em forma de teatro, o que pode gerar uma estranheza para o leitor desavisado, mas conforme a leitura vai fluindo você entende todo o cenário da história.

Sir Charles, é um ex ator de teatro tentar seguir com uma vida tranquila agora que se aposentou, porém em um jantar oferecido por ele ocorre uma morte, é a partir desse instante do livro que começam as especulações. Foi assassinato? Foi um acidente? Até o homenzinho belga (Poirot) acredita que foi um acidente.

A jovem Egg tenta ajudar Sir Charles, porém ele acaba interpretando mal as atitudes da moça e "foge" para o exterior, durante a viagem descobrimos que houve mais um assassinato .

Até esse momento o nosso amigo belga tinha dado uma sumida, mas é nessa viagem que ele aparece e começa a ficar intrigado com os assassinatos.

O terceiro ato, começa com nosso amigo Sir Charles retornando  para casa, já que o caso aparentemente não tem solução e parece que foi um acidente. Mas, Egg, ainda quer descobrir o que houve e dejxa Sir Charles assumir o papel de detetive e nosso amigo belga, fica apenas assistindo o desenrolar da história.

De forma magistral, Agatha nos apresenta o assassino através de Hercule de forma teatral.

Apesar disso, o livro tem um ritmo lento que te deixa um pouco desanimado para seguir com a leitura, mas com um pouco de paciência, você consegue chegar ao final .

Então é isso, aos fãs de Agatha, esse não é o meu favorito, mais valeu cada página lida. Ainda não é fã? Que tal ler e depois me contar o que achou?

Beijos e até a próxima leitura.






Especial Mães

Olá, pessoal!

Como vocês sabem, o segundo domingo de maio é o Dia das Mães e claro que não deixaria esse dia passar sem uma postagem bacana sobre elas que são Anjos na Terra.
Mães às vezes são tão iguais, né? Dão os mesmos conselho, falam às vezes as mesmas coisas... Podem até não te deixar fazer nadinha de nada, mas saiba que ela é a pessoa que mais te ama. Sua mãe carregaria o peso do mundo nas costas por você.
E também mãe não é apena aquela que lhe dá o DNA, aquela que te gesta no ventre. Avó, tia, madrasta, aquela que não tem laços sanguíneos, mas te cria, também são mães. Pai, tio avô, padrasto, pai do coração também podem ser mães. Ainda mais hoje que o conceito de família não se limita a homem, mulher e criança(s).

Pois então, falarei sobre algumas mães da ficção que devem ser lembradas.
Lill Evans
Fã de Harry Potter que sou, não poderia deixar de falar da mãe do protagonista, que se acrificou para que Harry pudesse sobreviver.
"Dumbledore: Sabe por que o Profº Quirrel não suportou que você o tocasse? Foi por causa de sua mãe. Ela se sacrificou por você, e uma atitude como essa deixa uma marca. Não, não, é uma marca que não pode ser vista. Ela está entranhada em sua pele.
Harry: Que marca é?
Dumbledore: Amor, Harry. Amor."
(Harry Potter e a Pedra Filosofal.)
Esse sacrifício protegeu Harry durante toda a sua vida. Mesmo longe, Lily protegeu seu filho do Voldemort, apesar dos perigos que Harry correu. E ela esteve com ele quando ele mais precisou.


 

Molly Weasley


Outra mãe do mesmo universo? Sim, por que esta vale a pena também. Molly acolheu Harry como se fosse seu filho. Hospedou-o n'A Toca, dava-lhe comida, lavava-lhe as roupas e principalmente, dava-lhe amor. Se preocupava com Harry tanto quanto se preocupava com os filhos. Sem falar na cena do gif, não é? Experimente triscar nos filhos de Molly Weasley pra você ver o que acontece xD

Sarah Connor



Uma mãe um tanto diferente, não? Não que ela fosse uma má mãe, mas por que não era delicadinha, dona-de-casa. Bem, ela até que podia ser um pouco disso até que sofreu diversas tentativas de assassinato.
Ela é da série de filmes Terminator, cujo primeiro filme é de 1984. A cena do gif é do segundo filme, com a famosa fala "Hasta la Vista, baby".
No primeiro filme, um robô (Arnold Sawrzenegger) vem do futuro para matar Sarah Connor (Linda Hamilton), assim impedindo o nascimento de John, que é a esperança da humanidade se libertar do domínio das máquinas. E um tenente (Michael Biehn) também vai ao passado para protegê-la. Pois é, a Skynet quer"cortar o mal pela raiz". O resto vocês sabem - ou não.
Durante toda essa lita pela vida e a vida de seu filho, vemos que Sarah é uma mulher forte e determinada e proteger a si e seu filho da Skynet.

Catelyn Tully - As Crônicas de Gelo e Fogo/ Game of Thrones



Mãe de Robb, Sansa, Bran, Arya e Rickon; Esposa de Eddard Stark, filha de Hoster Tully, senhor de Correrio, lady de Winterfell e mãe do Rei do Norte. Após seu casamento, assumiu a postura forte dos Stark, até por que Winterfell é frio e duro. Isso fez com que se tornasse mais corajosa e zelosa. Não hesitou em procurar o culpado pelo que aconteceu ao Bran e foi capaz de ir até o fim. Embora eu ache que deveria ter prestado mas atenção nos outros filhos. Afinal, ela deixou Sansa, Arya, Bran e Rickon sozinhos em Winterfell e seguiu Robb na busca pelo culpado da queda de Bran. Enfim, quem assiste sabe no que deu.
Mesmo assim, Catelyn é maravilhosa <3

Frannie Lancaster



Mãe de Hazel Grace, d'A Culpa das Estrelas. Deixou de trabalhar para cuidar da filha quando esta foi diagnosticada com câncer na tireoide e metástase nos pulmões. 
Ver seu(a) filho(a) doente desse jeito deve ser horrível pra uma mãe. Todas as mães querem seus filho bem, não é mesmo? Mas, olha só, ela faz o que pode para fazer a filha feliz, e ainda tenta ajudar outras mães na mesma situação.
Sra. Lancaster é uma mãe maravilhosa <3 E teve sorte de também ter o apoio do marido. 


Rosa Humberman



Mãe adotiva de Liesel em A Menina Que Roubava Livros. Ela e o Hans, seu marido, não tiveram filhos, até que a mãe biológica de Liesel a traz. Rosa pode não ser tão carinhosa com a filha, se bem que naquela época as mães eram assim, mais rígidas, mas dava-lhe a pouca comida que tinham (eram a família pobre, bem como as outras), roupas, e, sim, dava-lhe amor. Rosa se importava com Liesel, apesar de ser mais rígida que o marido. Ela a acolheu, para a começar.

domingo, maio 10, 2015

[Livro] Os Instrumentos Mortais - Cidade dos Ossos

Olá neblineiros?

Como estão nesse domingo chuvoso? Bom, pelo menos aqui em São Paulo está  molhado.
Trago, para vocês a resenha de um livro que já virou longa metragem e você pode conferir a resenha que a Milla fez do filme aqui e  a resenha do filme que eu também fiz aqui.

Vamos conhecer um pouquinho do universo da Cassandra Clare?


 Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

Vamos dizer que eu fiquei interessada por esse livro desde que vi o filme, mais a falta de tempo e coragem para comprar não estavam deixando, apesar de eu ter pego o livro na empresa. Porém, nada que uma mega promoção não resolva os nossos problemas certo?

Cassandra nos apresenta uma Nova York cheia de mistérios, onde demônios, vampiros, lobisomens e outros seres fantásticos coexistem, sem que os mundanos (Seres humanos sem poder de visão) consigam velos.

E através da visão da mundana (nem tão mundana assim) Clary Fray, somos apresentados a esse mundo de forma um pouco abrupta e dramática, no momento em que Clary conhece o Caçador de Sombras Jace.

Depois desse encontro, Clary começa a ficar mais atenta as coisas ao seu redor. Enquanto isso, seu melhor amigo Simon, percebe que algo mudou no comportamento da amiga. Nossa aventura tem inicio nesse ponto.

Com uma linguagem leve e de fácil compreensão vamos conhecendo um pouco mais sobre o mundo dos Caçadores de Sombra.  As personagens de Cassandra, são em alguns momentos egoístas e pensam apenas em si mesmas (normal quem nunca passou por isso?), mas ao mesmo tempo são humanas, como na passagem abaixo:

" Ela era apenas um membro do Submundo - Ele disse.
Os olhos de Clary queimavam.
- Não diga isso."
(Cidade dos Ossos - página 402)

Como toda boa história fantástica, temos um vilão, que nos é apresentado pela própria mãe de Clary, Jocelyn, Valentim, um Caçador de sombras que está em busca do famoso Cálice Mortal, muitas vezes chamado de Cálice do Anjo.

O Cálice é um dos três instrumentos mortais, que são apresentados ao longo da saga. 

Ao ler o livro identifiquei algumas diferenças no filme, como sempre, mais nada muito gritante que perca a essência da obra.

É um .livro para você degustar Nova York e as personagens muito bem descritas pela autora e acabar se maravilhando com esse novo mundo.

Aproveitem a leitura e depois me contem o que acharam.

Beijão e até a próxima.



sábado, maio 09, 2015

[Filme] Simplesmente acontece

Boa noite, neblineiros!

Hoje vim resenhar mais um filme para vocês.




Rosie e Alex são melhores amigos inseparáveis desde a infância. No filme acompanhamos a jornada de vida dos dois, que mesmo com a distância e a inclusão de outras pessoas,  nunca deixam a amizade se esvair.

Fica claro para nós, meros observadores da história, que os personagens se gostam, mas tudo se complica quando Alex vai embora para estudar Medicina e Rose não pode ir estudar devido a uma gravidez acidental.

A partir de então os personagens passam a se encontrar de tempos em tempos e segredos começam a surgir entre os dois, mas nada consegue os manter afastados por muito tempo.

Simplesmente Acontece é uma dramédia romântica muito boa para ser vista naqueles dias chuvosos em que a chama da sua esperança em finais felizes está pedindo para ser reacendida.

O filme é uma adaptação cinematográfica da obra Onde terminam os Arco-Íris da escritora Cecília Ahern, ( relançado como Simplesmente Acontece)  já famosa pela adaptação de seu livro P.S: Eu te amo.

Pra quem não viu o trailer ainda, segue ele abaixo.




Adoro a Lily Collins, ela é tão delicada e fofinha. Não poderiam ter escolhido atriz melhor para interpretar Rosie.

Não faço o tipo de garota que chora assistindo romances e com esse não seria diferente, mas definitivamente Simplesmente Acontece é um bom filme, com pitadas de humor, cenas fofas ( e com muita luz solar envolvida!) e ao mesmo tempo que a obra traz alguns fatos surreais ( como o pai da filha de Rosie aparecer e desaparecer na trama inteira quando bem quer e uma melhor amiga engraçada e maravilhosa! ) ela aborda a realidade. 

O que é mais concreto e real que pedras no caminho de duas pessoas? A história não gira em torno de um romance adolescente, mesmo tendo começado através de um. Temos pessoas adultas como personagens e consequentemente suas crises também o são. E isso foi o que mais me surpreendeu no filme.

p.s: Que coisa fofa que é a história reacontecendo com as crianças!
p.p.s: Quero uma melhor amiga engraçada e leal como a Ruby!


Nota 4/5


quarta-feira, maio 06, 2015

[Filme] Star Wars - Episódio IV: Uma Nova Esperança

Olá!
No dia 04/05, segunda, foi comemorado o Star Wars Day!
Mas o que é isso?
É o dia de relembrar uma das sagas de ficção científica mais famosas do mundo. E o dia vem do trocadilho com a frase "May the force Be With You", pois a pronúncia de "may the force" se parece com "the fourth" no inglês, e "may" também significa "maio" na língua inglesa.
Já se passaram dois dias, eu sei, mas não poderia deixar de passar em branco. Assim sendo, falarei de um dos filmes da saga. Não quaisquer dos seis, mas falarei do quarto. Primeiro a ser lançado e quarto por ordem cronológica na história.



Resultado de imagem para star wars a new hope logo


O filme é Star Wars - Episódio IV: Uma Nova Esperança.

Apertem os cintos, pios lhes contarei uma história que aconteceu...

Resultado de imagem para a long time ago gif
Há muito, muito tempo, em uma galáxia muito, muito distante.

A nave da Princesa Leia (Carrie Fisher) é atacada pelas tropas imperiais por ser suspeita de participar da Aliança Rebelde, uma organização que luta contra o Império Galático, e também é acusada de roubar os projetos da Estrela da Morte, uma estação bélica com poder de fogo capaz de destruir um planeta. A princesa é capturada por Darth Vader (David Prowse/ James Eral Jones), porém, ela consegue por os projeto da compartimento de memória do R2D2 e o manda, junto com C3PO, para Obi-wan Kenobi (Alec Guniness) com um pedido de socorro (Obi-wan já serviu com o pai dela noutros tempos).

Chegando em Tattooine, os dois robôs acabam por ser comprado por Owen, tio de quem? De quem?
Do Luke Skywalker!

Luke (Mark Hammil) era um rapaz que queria ir à Academia como os amigos, mas seu tio não deixava, pois temia por Luke se tornar igual ao pai. Assim, o garoto passa os dias trabalhando com o tio. mas a chegada dos robôs muda tudo.

Após uma série de acontecimentos, eis que Luke e os robôs acham Obi-wan, Luke conhecia como Ben. Ao ouvir a mensagem de socorro de Leia, Obi-wan o convida para partir para Aldeeran em socorro dela, mas Luke hesita, pois tinha de trabalha. mas o destino muda as coisas e Luke parte com Obi-wan, C3PO e R2D2 para ajudar Leia. nessa jornada, Luke descobre mais sobre seu companheiro de viagem e sobre si mesmo.

O ideal é que se comece a assistir Star Wars por este filme, pois o episódio I (A Ameaça fantasma) é antes desse. E não tem tanta graça assistir sabendo tudo. Ok que as imagens de 1977 não são tão boas, mas hoje em dia elas foram bem melhoradas, principalmente em Blu-ray.

Todos devem conhecer a frase "Luke, eu sou seu pai", mas saber quem a diz, quem é Luke, o contexto no qual a frase é dita é muito bom. Sem falar que é uma oportunidade de desfrutar um filme maravilhoso e que influenciou muito a cultura de hoje.

Nunca é tarde - ou demais - assistir Star Wars ;-)

Como o Star Wars Day já passou, só posso lhes dizer...
Que a Força esteja com vocês :)

sábado, maio 02, 2015

Lançamentos da Editora Novo Conceito

Hoje vamos falar de novidades!

Vamos falar dos lançamentos da Editora Novo Conceito? Vamos!

E pra iniciar o papo sobre novidades temos A lista da autora Cecilia Ahern.



Sinopse:Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente.
Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira.
Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

Cecilia Ahern é a autora de P.S. Eu te amo,que se tornou um best-seller internacional e foi adaptado para o cinema, assim como Simplesmente Acontece. Seus outros romances — A Vez da Minha Vida, Onde Terminam os Arco-íris, Aqui é o Melhor Lugar, Se Você Me Visse Agora e As Suas Lembranças São Minhas — foram todos best-sellers nº 1. Legal né? Eu Estou super ansiosa para ler a mais nova obra de Cecilia Ahern!


Bom dia, Sr. Mandela






Sinopse:Bom Dia, Sr. Mandela conta a extraordinária história de uma jovem que teve suas crenças, preconceitos e tudo em que sempre acreditou transformados pelo maior homem de seu tempo. A incrível trajetória de uma datilógrafa que, escolhida para se tornar a mais leal e devotada assessora de Nelson Mandela, passou a maior parte de sua vida trabalhando ao lado do homem que ela passaria a chamar de Khulu , ou avô.



Eu confesso a vocês que não sou muito chegada a Biografias, mas Mandela foi tão importante para a história e isso faz da leitura dessa obra algo essencial para os amantes da história mundial.


Primeiro e Único



Sinopse:Shea tem 33 anos e passou toda a sua vida em uma cidadezinha universitária que vive em função do futebol americano. Criada junto com sua melhor amigas, Lucy, filha do lendário treinador Clive Carr, Shea nunca teve coragem de deixar sua terra natal. Acabou cursando a universidade, onde conseguiu um emprego no departamento atlético e passa todos os dias junto do treinador e já está no mesmo cargo há mais de dez anos.
Quando finalmente abre mão da segurança e decide trilhar um caminho desconhecido, Shea descobre novas verdades sobre pessoas e fatos e essa situação a obriga a confrontar seus desejos mais profundos, seus medos e segredos.
A aclamada autora de Questões do Coração e Presentes da Vida criou uma história extraordinária sobre amor e lealdade e sobre uma heroína não convencional que luta para conciliá-los.

Fiquei extremamente ansiosa por esse romance. Gosto do estilo literário e a autora, Emily Giffin é advogada, então estou louca para ver se encontro alguma semelhança em nosso raciocínio!





Apenas um ano

Sinopse:Em Apenas um Dia, os momentos de paixão entre Allyson e Willem foram interrompidos de maneira abrupta, lançando a jovem em um abismo de questionamentos e dor. Agora a história é contada pela voz de Willem. Sem saber exatamente o que o atraiu na garota de olhos grandes e jeito comportado, o rapaz inicia uma busca obsessiva por pistas que levem até a sua Lulu mesmo sem saber sequer o seu nome verdadeiro.
Enquanto tenta compreender o mistério que os separou, Willem se esforça para costurar relacionamentos desgastados e procura respostas para o futuro. Mais do que uma aventura de verão, o encontro em Paris significou para ele o início da vida adulta. Da mesma autora dos best-sellers Se Eu Ficar e Para Onde Ela Foi,
Apenas um Ano reúne todos os ingredientes de um romance imperdível: viagens, saudade, encontros, desencontros e amor.



Eu adoro a Gayle Forman! A escrita dela nos prende a leitura e não vejo a hora de pegar a obra e não largar mais até ter descoberto o que ocorre que Willem e Allyson!


E vocês? Quais livros te animaram mais? Qual a sua curiosidade escolheu? Se quiser comprar algum desses lançamentos basta clicar AQUI

Nos conte tudo e fique atento as postagens pois sempre estamos postando mais novidades!