sexta-feira, julho 31, 2015

Lançamentos do mês: Editora Novo Conceito

Olá, meus queridos neblineiros! Como estão?

Vamos falar de novidades? Vamos falar de histórias novas?

Então vou trazer pra vocês os lançamentos da Editora Novo Conceito!



Sinopse:
Até que ponto você estaria disposto a se sacrificar por amor?
Mara Nichols é uma advogada bem-sucedida, esposa e mãe dedicada. Ela está doente. Uma doença devastadora. Ela precisa colocar um fim ao sofrimento dos últimos tempos.
Scott Coffman é um professor do ensino fundamental que precisa cuidar de um garoto de oito anos enquanto a mãe do menino cumpre pena na prisão.
Mara e Scott têm apenas cinco dias para dizer adeus àqueles que amam. Essa talvez seja a maior prova de amor que poderiam dar a essas pessoas.



Sinopse:
A última pessoa que Zac esperava encontrar em seu quarto de hospital era uma garota como Mia - bonita, irritante, mal-humorada e com um gosto musical duvidoso.
No mundo real, ele nunca poderia ser amigo de uma pessoa como ela.
Mas no hospital as regras são diferentes. Uma batida na parede do seu quarto se transforma em uma amizade surpreendente.
Será que Mia precisa de Zac? Será que Zac precisa de Mia? Será que eles precisam tanto um do outro?
Contada sob a perspectiva de ambos, Zac e Mia é a história tocante de dois adolescentes comuns em circunstâncias extraordinárias




Sinopse:
O ano é 2018. Quase cinco décadas desde que o homem pisou na Lua pela primeira vez.
Três adolescentes comuns vencem um sorteio mundial promovido pela NASA. Eles vão passar uma semana na base lunar DARLAH 2 - um lugar que, até então, só era conhecido pelos altos funcionários do governo americano.
Mia, Midore e Antoine se consideram os jovens mais sortudos do mundo. Mal sabem eles que a NASA tinha motivos para não ter enviando mais ninguém à Lua.
Eventos inexplicáveis e experiências fora do comum começam a acontecer...
Prepara-se para a contagem regressiva.



Sinopse:
Prometo Falhar é um livro que fala de amor. O amor dos amantes, o amor dos amigos, o amor da mãe pelo filho, do filho pela mãe, pelo pai, o amor que abala, que toca, que arrebata, que emociona, que descobre e encobre, que fere e cura, que prende e liberta. Em crônicas desconcertantes, Pedro convida o leitor a revisitar suas próprias impressões sobre os relacionamentos humanos. A linguagem fluida, livre, sem amarras, faz querer ler tudo de uma vez e depois ligar para o autor para terminar a conversa . Medo, frustração, inveja, ciúme e todos os sentimentos que nos ensinaram a sufocar são expostos sem pudores. Mergulhe de cabeça numa obra que mostra que é possível sair ileso de tudo, menos do amor. Você escolhe a ordem em que vai ler as crônicas do jovem escritor que tem 21 obras publicadas e é sucesso de vendas em Portugal.



Sinopse:Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.
Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.
A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.
O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.


Ai leitores, eu acho super difícil dizer qual livro me deixa mais ansiosa!
 Amei a sinopse do nacional Para Continuar, me apaixonei pela idéia de Zac & Mia e fiquei extremamente curiosa para descobrir a razão do sucesso estrondoso de Prometo falhar. E vocês? Qual obra te conquistou? Na dúvida, leve todas!

Logo eu volto com resenha!

Beijão

domingo, julho 26, 2015

[Livro] Cure meu coração

Vi Cure meu coração em alguns blogs e, quando o vi na livraria no campus da minha faculdade, não resisti e comprei. A culpa é totalmente dessa capa lindíssima (e que tem essa cor que tanto amo). A autora Melissa Walker já tem alguns títulos publicados, como Lovestruck summer e Ashes to ashesCure meu coração é o primeiro livro que leio dela e gostei muito, pois é um YA dramático com bastante romance. 

Título original: Unbreak my heart
Autora: Melissa Walker
Editora: Farol Literário
Páginas: 271
Ano: 2015

Eu sou uma leitora que busca variar bastante o tipo de livros que lê (só não leio terror, pois motivos de: sou medrosa xD), mas quem entra aqui no meu quarto e vê os meus livros pode tirar uma conclusão bem certeira: o que eu mais leio são os YA's, literatura destinada ao público adolescente. Talvez porque a fase da adolescência seja carregada de dramas, anseios e lições, eu acho fácil me identificar com os personagens desse tipo de literatura. E com os personagens de Cure meu coração não foi diferente. 

Clementina é uma garota de 16 anos que está prestes a entrar de férias com a família. Para o verão, seus pais planejaram um roteiro afastado da terra firme: passarão quase três meses dentro de um barco com 42 pés de comprimento e três cabines. Por um lado, ela acha isso um porre, pois não pode curtir sozinha a fossa na qual se encontra; mas, por outro, percebe que o melhor que pode fazer no momento é se afastar das lembranças. Desde o começo, Clem cita sua melhor amiga, Amanda, mas logo dá a entender que elas não são mais amigas. Então, o mistério é justamente esse: o que houve entre Clem e Amanda antes das férias? 
Este é o Meu Verão, para que eu descubra quem sou, quem são meus amigos e como consertar as coisas que aconteceram no último ano.
p. 69
A narração é feita pela própria Clem, mas no tempo presente. Antigamente, esse ler algo no presente me incomodaria, no entanto, como me acostumei a escrever neste tempo não houve problemas. Gosto de ler neste tempo, pois dá a sensação de que a cena está ocorrendo bem diante dos meus olhos. Apesar de a família querer Clem sempre por perto (digamos que não há para onde ela correr, além de se jogar no mar, rs), seus pais e sua irmãzinha Olive entendem que a garota está passando por uma fase esquisita. O único momento no qual ela se vê sozinha é quando escreve no diário. Isso fez com que eu me identificasse bastante com ela, pois me lembrei da época em que eu mesma mantinha diários (tive durante três anos). Em alguns começos de capítulos, há alguns pensamentos de Clem no diário, tentando explicar para si mesma e para a melhor amiga o que houve durante o ano letivo. É aí que entram os flashbacks. Eles proporcionam ao leitor uma perspectiva da situação que afastou as meninas, assim como o que Amanda significava para Clem. Apesar de Clem ter outros amigos, Amanda era a pessoa que esteve com ela desde o jardim de infância, então, é compreensível a dor que ela sente por causa da separação. 

Paralelamente aos flashbacks, há a narração da viagem. Em poucos dias, ela acaba conhecendo James, um garoto engraçado e animado, que está fazendo com seu pai a mesma rota marítima que sua família. Além deles, há o casal de idosos Ruth e George. James, desde o princípio, se mostra um ótimo personagem. Ele tem carisma, é engraçado e maduro. Trata bem todos e, por isso, é muito querido. Ele poderia facilmente passar como um "personagem bonzinho clichê", mas ele é muito mais do que isso, pois sua personalidade ensolarada é incrível. Ele é muito positivo e, apesar dos problemas familiares pelos quais está passando, não se deixa abalar. James e Olive (a irmãzinha de Clementina) foram, majoritariamente, os meus dois motivos para adorar essa história. Olive, apesar de ter 10 anos, é aquele tipo madura demais para a idade e muito boa observadora, além de ser muito fraterna e solidária com Clem. 
– Clem, você sabe que nós te amamos – minha mãe diz.
– Amamos – É a vez do meu pai – E você não é uma má pessoa. Só está tentando descobrir quem é.
p. 154
É lógico pensar que James e Clem iniciam uma amizade. A relação deles é muito real e convincente, nem um pouco forçada. O garoto a ajuda a passar pelo momento ruim de sua vida e, aos poucos, percebe que - como todo romance adolescente - ele é legal demais para querer somente ser seu amigo. E mesmo a transição da amizade para o romance é feita de maneira muito verossímil e leve. O que mais gostei da relação deles é que nada é apressado, como muitos romances por aí. E o James é, definitivamente, um dos personagens masculinos adolescentes mais fofos e queridos (e ainda por cima é ruivo ).

De forma geral, minhas expectativas foram super atendidas. A única resenha que li sobre ele tinha me desanimado um pouco, pois havia um big spoiler nela (que revelava o porquê Clementina e Amanda não são mais amigas). Realmente, o motivo da separação delas foi bastante tosco, mas consegui relevar isso para que não atrapalhasse o andamento da leitura. Gostei muito de Cure meu coração, pois os personagens são muito verdadeiros. Mesmo Clem, que passa boa parte do livro se martirizando e sendo exagerada, conseguiu me agradar. Achei que ela seria uma personagem muito mais mimizenta, mas, como já passei por uma situação parecida com a dela (todo o drama de perder a melhor amiga), consegui compreender bastante a reação dela. A leitura não cansa em momento algum, e até fiquei chateada por ter esse número de páginas (por mim, teriam mais umas duzentas, rs). É um romance dramático muito gostoso de ler e muito envolvente, super recomendo! :)

Love,
Nina 

sexta-feira, julho 24, 2015

[Filme] Homem Formiga

Oi neblineiros!

Quem me segue no instagram (se não segue, vem seguir! @brunacconstantino), viu que eu falei que assisti Homem Formiga domingo e que escreveria review do filme pra vocês, então cá estou!


Eu não estava acreditando muito no potencial do filme. Confesso que o trailer não havia me ganhado, mas fui surpreendida.

Pra quem não viu o trailer, assiste aí! 




O filme é, acima de tudo, engraçado! 

Vamos a história. O filme nos apresenta inicialmente a Scott Lang, um engenheiro especialista em roubos que acabou de sair da prisão e a Hank Pym, um brilhante cientista que criou partículas que permitem o encolhimento de corpos, inclusive do nosso. São as partículas Pym.

Hank foi o primeiro homem formiga, mas agora, com a idade avançada, este escolhe Scott para continuar seu legado e salvar o mundo, uma vez que um ex pupilo de Pym, Darren esteve obcecado por anos em recriar a fórmula das partículas Pym e lucrar absurdamente com elas.

Quando esse finalmente consegue e decide vender um traje composto por elas sob o nome de yellow jacket para a Hidra, o mundo precisa de ajuda.

Homem formiga é cheio de ação, frases engraçadas, cenas bem formuladas e tem até cenas fofas protagonizadas por Cassie, a filha do Scott.

A pequena cena com o Falcão foi ótima! 

Homem formiga é meu filme preferido do ano. Superou Avengers: A era de Ultron! É claro que o filme diverge dos HQ'S, mas qual filme, não o faz? O cinema cobra adaptações. Isso é fato e eu gostei do que fizeram com Homem Formiga.

Tivemos ainda duas cenas extras super legais pós créditos. Uma traz uma informação importante sobre o próximo filme do Capitão América. Já há a confirmação de que o Homem Formiga estará presente em Capitão América; Guerra Civil! Yeay! 



Pelo que nos foi mostrado na outra cena extra, Hope Pym, a filha de Hank será a nova Vespa, lutando ao lado do Homem Formiga nos próximos filmes. Aguardo ansiosamente por mais aparições do mesmo. E vocês, o que acharam de Homem Formiga??



quarta-feira, julho 22, 2015

23 Noites de Prazer

Pare TUDO o que você está fazendo e venha ler esse livro:


SinopseNahia era uma garota tímida, insegura e insatisfeita com o seu trabalho em uma editora. Até conhecer, literalmente, o homem dos seus sonhos. Ao visitá-la durante as noites, Amadeo libertou seus desejos sexuais mais profundos e, desde então, ela teve as experiências mais sensuais, quentes e inusitadas que uma mulher poderia ter!
Essas aventuras ardentes a transformarão em uma mulher confiante e deslumbrante, pronta para desafiar todos ao seu redor para fazer a coisa certa e publicar o livro mais cobiçado do momento!

Gente, sério, eu olho pro teclado e não sei nem o que escrever, nem o que sentir... "23 Noites de Prazer", como podem imaginar, é um livro hot, um romance hot, porém diferente de toda literatura erótica que faz sucesso por aí. O melhor, a autora é brasileira!!!! <3 Quase automaticamente procuramos por livros de autores estrangeiros e acabamos esquecendo o ouro que temos em casa.

"Tudo no mundo está relacionado a sexo, menos sexo. Sexo está relacionado a poder." - Oscar Wilde

"23 Noites de Prazer" conta a história de Nahia (adorei esse nome!), uma mulher cansada de sua vida de mesmisses. As coisas começam a mudar quando Amadeo, uma espécie de guru do sexo, a princípio, começa a visitá-la durante a noite, em seus sonhos, provocando-lhe uma verdadeira libertação sexual. Você pode duvidar desse enredo, mas migxs, deu muito certo! Que escrita, que enredo, que desenvoltura!

Acho que o que me deixou mais empolgada com este livro foi o fato de ele, como comentei anteriormente, não ser como 90% dos romances hots vendidos atualmente. A mocinha da história é insegura no início da história? Sim. Mas o que acontece com Nahia vai além de libertação sexual... "23 Noites de Prazer" realmente fala sobre um super tabu: a sexualidade feminina, mas trata como um aspecto mais amplo. Ele fala sobre sexo, e muito bem por falar nisso, já que as cenas hots são deliciosas e bem escritas, mas não só sobre sexo...
É uma verdadeira história de empoderamento. Sobre se sentir a vontade com o tema, com seu próprio corpo e se libertar de um conservadorismo hipócrita tão presente em nossa sociedade no que diz respeito a esse assunto.

"Os homens não gostam de se responsabilizar pelo nosso prazer, mas querem que a gente se responsabilize pelo deles."

Cada visita de Amadeo recebida por Nahia é uma nova aventura, algo diferente de tudo que ela havia vivido até agora, e com o passar das noites ela vai se tornando uma mulher cada vez mais confiante, aprendendo a fazer o que quer, sem se importar com o que os outros vão achar dela. E não é nenhuma dessas balelas que tentam vender, no sentido de "faça o que quiser e o resto que se dane". Tem isso, mas em nenhum momento ela se desresponsabiliza de seus atos. Ela faz o que quer porque é uma mulher adulta. Porque ela tem capacidade de julgar as situações e de decidir o que quer pra si e o que não quer, quais oportunidade valem a pena e quais é melhor deixar passar. Os erros fazem parte.

"...A vida é uma filha da puta, Nahia - olhou para mim de relance. -Vida é aquela coisa que acontece quando você não está olhando. Quando você acha que tem algo mais importante que exige sua atenção. Aí ela vai e acontece. E se você não estiver atento, perde sua chance..."

Nahia é uma personagem ótima, muito fácil de se identificar e muito fácil de querer ser. E tem ainda o Kio, o vizinho escritor de hentai, por quem também facilmente nos apaixonamos. A construção do romance dos dois é lenta, mas acontece num ritmo satisfatório. Só lendo para entender.

Bem, eu poderia ficar aqui o resto do da noite rasgando seda para o livro, mas vamos falar dos defeitos também, né? Na verdade, o livro só teve um defeito digno de nota. A história começa com Nahia indo à uma psiquiatra e a questão é que faz tanta pouca diferença para o livro, que seria muito melhor tirar essa parte. Todavia essas partes são bem pequenas, então não chega a atrapalhar de fato.

Então é isso, galera! Leiam esse livro e depois me digam o que acham. Vale muito a pena, mesmo. Eu pretendo lê-lo novamente num futuro próximo. Detalhe: fiquei empolgadíssima ao descobrir o "4 Semanas de Prazer". Não, não é uma continuação. São outros personagens. Pretendo ler e resenhar aqui, então fiquem ligados ;)

Enquanto isso, só queria dizer uma coisa para Julianna e seu livro:


Nota: 5,0/5,0

segunda-feira, julho 20, 2015

Dia do Amigo

Olá, neblineiros!
Hoje tem mais uma postagem pra vocês.
Como vocês sabem, hoje é dia do amigo, então, o L&N vai celebrá-lo falando de diversos amigos da ficção cuja amizade supera qualquer coisa. O dia tá acabando, mas ainda vale.
Vou dividir entre livros, filmes e séries.
Comecemos pelos amigos dos livros.

Harry Potter e Ronald Weasley.


Potteriana que sou, não poderia deixar de falar desse dois rapazes, cujas história me despertaram para o mundo literário.
Se conheceram quando Ron, vendo que as cabines do Expresso de Hogwarts estava cheio, foi à cabine de Harry e perguntou-lhe se podia ficar ali, Harry, que estava sozinho, aceitou. E assim começou uma das amizades mais bonitas do livro. Quem leu e/ou assistiu aos filmes sabe que essa amizade durou por muitos anos.

Jace Wayland e Alec Lightwood



Mais do que amigos. Mais próximos que irmãos. Jace e Alec são o que chamam de parabatai na saga Os Instrumentos Mortais. São amigos tão próximos que lutam juntos, crescem juntos, vivem juntos e passam por tudo juntos. É um compromisso para vida toda, tem um ritual, onde os dois fazem uma marca no corpo. Eles não podem se envolver romanticamente, nem fica longe um do outro. E se um morre, a marca de parabatai do que viveu fica mais clara.
É algo sério e vitalício, por isso devemos escolher muito bem quem será nosso parabatai.

Augustus Waters e Isaac



Personagens de A Culpa É Das Estrelas. São amigos tem tempo, e os dois tiveram câncer: Isaac no olho, e Augustus nos ossos. Foi Isaac que pediu pra Gus ir à reunião do Grupo de Apoio na qual Hazel comparece. Gus fica do lado ele, dando-lhe apoio, quando Monica termina com Isaac, e deixa-o destruir seus troféus de basquete. Não é todo amigo que faz isso, né?

Quentin, Ben e Radar



Personagens de Cidades de Papel. São amigos da escola, não fazem todas as matérias juntos, mas sempre estão juntos após a aula. São amigos há anos, e Ben e Radar dão apoio quando Quentin vai procurar Margo após elas sair de casa e deixar certas pistas. Se bem que os dois são um pouco mais pé no chão que o Q, já que , se não fossem eles, q ia imediatamente procurar Margo, mas foi convencido a esperar um tempo (algumas horas, acho).

Lúcia Pevensie e Mr. Tummus



Personagens das Crônicas de Narnia. Lúcia é a caçula dos Pevensie e foi a primeira a entrar no guarda-roupa para Narnia, e o Sr. Tummus foi o primeiro habitante de Narnia que ela conheceu. Daí se desenvolveu uma amizade sincera e bonita.

Jon Snow e Samwell Tarly



Se conheceram na Patrulha da Noite, organização que proteger o Westeros na Muralha dos Outros, Selvagens e outras ameaças. Jon é habilidoso. Bom espadachim, inteligente e forte. Sam é desastrado, mal sabe pegar numa espada, apesar da ajuda de Joan. Prefere penas, pergaminhos e corvos à ir à guerra. Mas é inteligente também, tem bom coração e ajudouJon e outros patrulheiros diversas vezes.

Frodo Bolseiro e Samwise Gangee



Do universo criado por JRR Tolkein: a Terra-Média, do Senhor dos Anéis. Frodo Bolseiro vivia uma vida pacata com Condado, Sam era seu jardineiro, até que sua vida mudou. O Um Anel, o anel do poder, o anel de Sauron, o senhor do escuro, foi parar na sua casa e agora Frodo, com ajuda da Sociedade do Anel - na qual Sam também está - levar o Anel para as Montanhas da Perdição e destruí-lo.
Se não fosse Sam, o Anel já teria tomado conta de Frodo há tempos. Se não fosse Sam, Frodo morreria antes de cumprir sua missão. Se não fosse Sam, Frodo seria enganado facilmente. Mesmo quando Frodo o expulsa após Gollum dizer que ele comeu toda a comida, Sam não desiste e tenta provar (e prova) sua inocência e prova que Gollun não era confiável. Se não fosse Sam, o Anel estaria com Golum, ou até com Sauron.

Diversos outros amigos estão espalhados pela literatura: Clary e Simon em Os Instrumentos Mortais, Eragon e Brom, Percy e Grover, Katniss e Gale, Tyrion e Bronn, Daenerys e Missandei... Seria impossível citar todos, então escolhi apenas alguns.

Agora, os dos filmes.

James Kirk e Spock



Capitão e imediato da nave USS Enterprise, do universo Star Trek. No começo, pelo menos no filme de 2009, eles não eram amigos, mas com o tempo foram se afeiçoando uma ao outro, se tornando companheiros inseparáveis. Não tem como não se tornar amigo quando se viajava para "aonde nenhum homem jamais esteve".
Na foto tem os primeiros Kirk e Spock: William Shatner (Kirk, de dourado) e Leonard Ninoy (Spock. Saudades <3).

C3PO e R2D2



Da franquia Star Wars. São dois robôs. Um foi criado por Anakin Skywalker para relações humanas. ele é fluente em seis milhões de idiomas de comunicação, é dourado e tagarela. O outro estava na nave na qual a Rainha Padmé viajava. É baixo, não fala, mas sabe consertar diversas coisas. Ainda assim, eles se entendem, brigam, mas não conseguem ficar longe um do outro.

Justin McLoed e Charles "Chuck" Norsdatd



Do filme O Homem Sem face, mostra a amizade entre um homem solitário e uma criança determinada a entrar na Marinha. Sr. McLoed era um professor, até que um acidente acabou com sua reputação e o deixou deformado. O Charles - e todo mundo - tinha medo dele, mas na verdade ele era apenas um homem solitário, que se sentia culpado pelo acidente com o aluno anterior. Mas após conhecer Justin melhor, Charles vê o homem por trás do semblante deformado. Foi o primeiro filme dirigido por Mel Gibson, que também estrela o filme.

Hiro e BayMax



Do filme Operação Big Hiro. Hiro é um rapaz de doze anos, muito inteligente e que adora robôs. BayMax é um robô criado por seu irmão, Tadashi, que é um "agente pessoal de saúde". Hiro toma para si o BayMax e o ajusta, tornado-o um lutador.

Milo e Atticus


"-Meu nome é Milo.
-Atticus"

Milo (Kit Harington <3) era um menino do povo celta, massacrado pelos romanos quando ele era criança. Foi tomado como escravo e, quando adulto, levado para Pompéia durante as festividades, e lá conhece Atticus (Adewale Akinnuoye-Agbaje), um gladiador veterano prestes a ganhar a liberdade. eles chegam a lutar contra o outro, mas Vesúvio os faz se unirem para lutarem juntos por suas vidas (ah, e pela vida de Cássia, o amor de Milo). quem se lembra das aulas de história sabe como isso acaba.

Viúva Negra/Natasha Romanoff e Gavião Arqueiro/ Clint Barton



Segundo minhas pesquisas, eles se envolveram quando ele era vilão do Homem de Ferro (Tony Stark), mas o relacionamento não deu certo. Como eu não li os quadrinhos, isso me deixou meio surpresa, nunca os imaginei como casal, apenas como amigos. E pra mim continuam amigos. Não os shippo, prefiro-a com o...Com outro cara.
Enfim, eu gosto bastante deles dois.

Woody e Buzz Lightwear


"-Buzz, está voando!
-Isso não é voar. Isso é cair com estilo"

Amigo, estou aqui (8
Toy Story fez a infância de muita gente (a minha, por exemplo). Quem não quis um Woody? Ou um Buzz? Eu queria rs
No começo Woody tinha ciúme do Buzz, por que Andy começou a brincar mais com o outro do que com ele. as, após uma acidente, eles nutrem uma amizade sincera um pelo o outro. E assim continuou.

Claro que tem diversos outros exemplos de amizades bacanas e sinceras nos livros, filmes e séries, e não dá pra citar todos. Esses são apenas alguns exemplos.

Feliz dia do amigo, pessoal!

domingo, julho 19, 2015

[Livro] Bound by Hatred

Fala, pessoas! Hoje eu trago para vocês a resenha de "Bound by Hatred", da autora Cora Reilly:


SinopseQuando Gianna assistiu sua irmã Aria se casar com um homem que ela mal conhecia, ela prometeu a si mesma que não iria deixar a mesma coisa acontecer com ela.
Matteo - The Blade - Vitiello pôs seus olhos em Gianna no momento em que a viu no casamento do irmão dele, Luca, e Rocco Scuderi está mais do que disposto a dar sua filha para ele, mas Gianna não tem intenção de sequer considerar a proposta. Poucos meses antes do casamento, Gianna escapa de seus guarda-costas e foge. Ela tem dinheiro suficiente para fugir para a Europa e começar uma nova vida. Mas ficar sem ser detectada quando uma multidão está procurando por ela é um desafio que leva tudo, especialmente quando um dos melhores caçadores e assassinos está atrás dela: Matteo Vitiello..

"Bound by Hatred", na verdade, é o terceiro livro de uma série chamada "Born in Blood: Mafia Chronicles", contudo isso não impede que os livros sejam lidos fora de ordem, o que eu comecei a fazer (algumas informações ficam meio perdidas, mas você acaba pegando ao decorrer do livro). Nele, acompanhamos Gianna Scuderi, filha de um dos membros mais importantes da máfia de Chicago. Ela leva uma vida que ela não deseja, da qual ela quer colocar a maior distância possível. Gianna sonha com a liberdade, mas sabe que tratando-se da máfia, é tarefa quase impossível. Pra ajudar a atrapalhar, Matteo Vitielo, membro da máfia de Nova Iorque, toma como missão conquistá-la. Contudo, apesar de ter uma ótima aparência, Gianna não consegue superar o fato de que suas mãos, ou melhor, seu corpo inteiro, está coberto do sangue de muitos. A capa é bem fiel ao livro.

Bom, começo dizendo que a história é previsível. Ela é previsível no momento em que você lê a sinopse. Logo de início, também, nas primeiras páginas, achei o livro fraco (parecia que ia ser uma história rasa), mas o ritmo foi logo pegando e por fim eu até gostei.

No que diz respeito aos personagens, eu fiquei dividida com a protagonista Gianna. Ela sempre teve um comportamento arisco, desafiador, e o que as vezes era engraçado, por outras ela era chata e infantil. Porém é resultado de seu desgosto pela vida que não escolheu e que todos ao seu redor fazem questão de lembrar que ela não tem nenhum controle sobre. E é isso que ela procura: liberdade. Ou o que ela acha que isso significa.

Já Matteo é uma delícia (deixando de lado o fato que ele mata pessoas haha). Seu senso de humor, seu jeito sexy (também adora um desafio!) e sua afeição/paciência com Gianna (e QUE paciência, viu!) fazem um bom personagem, embora as vezes ele termine parecendo um bobão e não um membro perigoso da máfia, como todos os conhecem.

O relacionamento dos dois, como podem bem suspeitar, é mais que complicado. O circo pega fogo. Seja porque estão desafiando um ao outro, seja porque estão se pegando. As cenas hots são boas, por acaso. O que me irritou no livro é que, na maior parte dele Gianna permanece teimosa e eu fiquei meio frustrada com o ritmo do relacionamento dos dois.

Em resumo: é um livro legal de se ler, mas sem muitas expectativas. Procurava por algo hot para passar o tempo e o livro cumpriu seu papel.

Livros da série:

#1 Bound by Honor (Aria & Luca)
#2 Bound by Duty (Valentina & Dante)
#3 Bound by Hatred (Gianna & Matteo)
#4 Bound By Temptation (Liliana & Romero)
#5 Bound by Vengeance

Fiquei interessada em ler o livro 1, que conta a história da irmã de Gianna, Aria, casada com Luca, irmão de Matteo, bem como o 4, também de uma irmã de Gianna. O 2 eu dei uma lidinha rápida e não gostei muito e o 5 parece interessante, mas enfim, é isso :)

Nota: 3,5/5,0

sábado, julho 18, 2015

[Filme] Cidade de Papel

Dias e dias sem postar, dias e dias sem escrever uma palavra. Coisas da faculdade, enfim. Sem falar que não tenho lido nem visto tantos filmes.
Mas eis que hoje eu fui ao cinema assistir Cidades de Papel, mais uma adaptação de mais um livro do John Green.


Sinopse do livro:

"Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. 
Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia."
Li algumas semanas antes de estrear atrás e devo dizer que gostei, apesar de preferir A Culpa É das estrelas e Quem É Você, Alasca?, mas a história é bacana, me fez querer ler pra saber o final logo (que me surpreendeu de leve). e fiquei esperando o filme um tanto ansiosamente.
 Bem, ele não vai logo procurá-la, já que ele não sabia dos planos dela. Até que, como tem na sinopse do livro, ele começa a ver certas pistas e aí chama seus amigos Radar e Ben, que chamam Angela (namorada do Radar) e Lacey (amiga de Margo) para irem até onde as pistas terminavam.
O livro não se trata apenas de procurar Margo. Se trata de sair da zona de conforto e de ver que as pessoas não são exatamente como você imagina. Conhecendo a pessoa melhor, você pode ter uma ideia totalmente diferente dela.


No filme, Quentin é interpretado por Nat Wolff (A Culpa É Das Estrelas - ele fez o Isaac, o que teve câncer nos olhos e amigo do Augustus, interpretado por Ansel Elgort) e Cara Delenvigne, que também é modelo. É o primeiro filme com ela que assisto, então não falar tanto da atuação dela. Acho que ela combinou com a personagem. A adaptação ficou bem fiel, apesar da leve (?) mudança no final. Algumas cenas foram deixadas de fora, mas isso não faz o filme ser ruim. As cenas que passavam na minha cabeça enquanto lia foram bem semelhantes às que vi na tela, mas imaginei Radar e Ben um tanto diferente, bem como a Angela. Sobre o Nat: gostei da atuação dele n'A Culpa e também achei que ele fez um bom Quentin. Quando eu li, eu imaginava-o agindo como no filme. Pra mim, ele consegui captar bem a personalidade do Q. O mesmo digo para os atores que fizeram radar, Ben, Angela e Lacey. Se saíram muito bem. Gostei também da trilha sonora, achei muito boa, e o humor está excelente, até em dose maior que no livro.
Cidade de Papel funciona bem como adaptação, mesmo com as eventuais mudanças na ordem de alguns fatos ou de diálogo.

segunda-feira, julho 13, 2015

Novidades no seriado Once Upon a Time

Hoje o Livro e Neblina vem compartilhar uma super notícia do seriado Once Upon a Time


Se você gosta de contos de fada e/ou da Disney, com certeza vai adorar a releitura e, inclusive, a novidade. Durante a San Diego Comic-Con 2015, foram divulgados três vídeos que revelam algumas das surpresas da quinta temporada, que tem data de estreia para o dia 27 de Setembro nos EUA.

O seriado, a cada nova temporada, traz novos personagens à trama e, para a quinta, foram confirmados a Princesa Merida (que será vivida pela atriz Amy Manson) e figuras conhecidas de Camelot, como Merlin (Elliot Knight), Rei Arthur (Liam Garrigan) e Guinevere (Joana Metrass). A próxima temporada também irá revelar a fase sombrio de Emma Swan (Jennifer Morrison).

Veja a Princesa Merida no vídeo divulgado pela página do Adoro Cinema

Gostaram das novidades? :) 
Eu só vi até a segunda temporada, então, com certeza, farei um esforço para conseguir voltar a acompanhar o seriado! 

Love, 
Nina 

sábado, julho 11, 2015

[Livro] Tocando as estrelas - Rebecca Serle - Editora Novo Conceito


 Quando Paige Townsen deixa de ser uma simples aluna do ensino médio para se tornar uma celebridade, sua vida muda do dia para a noite. Em menos de um mês, ela troca as ruas da sua cidade natal por um set de filmagem no Havaí e agora está conhecendo melhor um dos homens mais sexies do planeta segundo a revista People. Tudo estaria perfeito se o problemático astro Jordan Wilder não fincasse o pé em uma das pontas desse triângulo cinematográfico. E Paige começa a acreditar que a vida, pelo menos para ela, imita a arte.




Eu posso dizer que ri horrores com esse livro? Gente, acho que foi a leitura mais divertida do ano pra mim até agora!

A protagonista me faz rolar de rir com seu drama pessoal!

O livro é totalmente um YA/ Chick-lit, mas é justamente por isso que ele é maravilhoso!

Que adolescente não piraria ao conseguir realizar o sonho de largar o ensino médio para virar uma estrela do cinema? E ainda por cima poder viver um triângulo amoroso maluco com dois outros astros da tv? Tadinha da Paige! Eu a entendo e a adoro por tudo que ela passa!!

O livro é curtinho. Li em dois dias. A leitura é leve e fácil, justamente por ser engraçada! Haha

Você fica o tempo todo mudado de opnião sobre com quem Paige deve ficar. Rainer ou Jordan? Jordan ou Rainer? Vocês sabem que eu curto bem mais um bad boy então eu confesso que tenho um favorito! Leiam e descubram se concordam comigo ou não, mas aviso logo que a disputa é acirrada!

Tocando as estrelas é o que costumo chamar por aqui de 'tipico livro de fim de tarde chuvoso.' Então eu indico que o leiam o mais rápido possível nessas férias! Quem curte YA e Chick-Lit vai gostar!

P.S: A história tem continuação e estou louca para saber quando a Novo Conceito vai lançá-la!

Beijos




quarta-feira, julho 08, 2015

[Série] Supergirl - Primeiras impressões

E eu assisti ao piloto da série Supergirl que só estréia em novembro!



Vamos falar da série! 

O episódio se inicia em Krypton, onde vemos uma nave partir com o pequeno bebê Kal-El ( Clark) dentro dela. Em seguida somos apresentados a Kara Zor-El, prima de Clark que é mandada a Terra para protegê-lo. 

Ocorre que a nave de Kara se perde no espaço e fica presa na Zona fantasma por anos e esta só chega a nosso planeta quando Kal-El já está adulto. Este que a encontra e a coloca em um lar adotivo para crescer e tentar levar uma vida humana normal. Os Danvers a adotam e ela ganha uma irmã adorada, Alex.
,
Logo vemos Kara aos 24 anos, trabalhando em um jornal, o National Geografic na cidade de National City, como assistente de Cat Grant, uma insuportável e poderosa mente dos jornais, mas Kara se sente infeliz nessa vida,uma vez que não sente que está colaborando para o mundo fazendo o que faz.

Diante de um desastre que ocasiona um perigo iminente a vida de sua irmã, Kara decide agir como seu primo e salvar vidas. Ela começa salvando um avião que estava caindo ( com sua irmã nele!). Depois do ocorrido Kara não tem dúvidas de que essa é a missão de sua vida.

Ainda conhecemos Winn, colega de trabalho de Kara no National Geografic completamente apaixonado pela mesma e que irá ajudá-la em suas missões como super heroina, mas Kara se apaixona a primeira vista por James Olsen, o novo fotógrafo do jornal, famoso por tirar a primeira foto nítida de seu primo, superman.

O jornal a nomeia como Supergirl e Kara descobre que sua irmã protetora trabalha para uma agência secreta dedicada a proteger a Terra de alienigenas. É através deles que Kara consegue sua primeira missão importante: Salvar as pessoas de alíens  que haviam sido condenados e presos na zona fantasma por sua mãe e que conseguiram chegar a Terra junto de sua nave e que agora buscam vingança!

E é assim que conhecemos a Supergirl! 

Eu achei a atriz carismática e a série é engraçada. Eu estava torcendo o nariz para a atriz escolhida, mas mudei de opinião sobre Melissa como Kara. Aprovei Supergirl!

É bom ver as super heroinas tendo seu devido espaço nas séries de tv sobre HQ! E que venham mais episódios. Estou ansiosa para ver o trabalho que a CBS vai produzir! 

Senti falta de uma cena de ação mais longa. pra mim pareceu que tudo rolou rápido demais, mas vou relevar já que a série está nessa vibe de fazer a protagonista passar pela fase de trainee de superman. Espero que isso não se prolongue demais. 

Espero ver as trapalhadas de Kara quando não está salvando o mundo, que me parecem tão promissoras quanto seu dever de heroína. 

Torço também para que a série não deixe de trabalhar sua relação com seus pais adotivos. Senti falta deles no episódio. 

Em suma, supergirl parece uma série que vai engrenar. Tomara! Viva o mundo das HQ's nas telinhas! 

O que vocês acharam de Supergirl? Vamos papear! 

até a próxima!

domingo, julho 05, 2015

[Filme - Clássicos]: Flashdance

E eu vi Flashdance!!

Gente, que complicado fazer esse post, viu?






Flashdance conta a história de Alex, uma jovem soldadora durante o dia e dançarina de boate a noite que sonha em dançar em uma academia de ballet. Ela conhece Nick, seu chefe na fabrica e acaba se envolvendo amorosamente com ele. Fim.

Apesar da estupenda trilha sonora do filme, enquanto assistia eu me senti jogada em cenas aleatórias envolvendo a mesma pessoa. 

A protagonista não me cativou e quando notei que todo o filme girava em torno do medo desta em fazer uma matrícula para um teste de uma academia de ballet, simplesmente me deu sono.

Um ponto chato é que a atriz dança poucas vezes na trama, o que me irritou. Eu estava querendo vê-la dançar e não o restante do elenco! 

O romance de Alex e Nick também não me desceu. Achei fraco e pouco emocionante. Nick até chega a ser um personagem que traz boas cenas a trama, mas Alex com seu jeito irritadinha acabou me fazendo querer largar o filme ainda em sua metade.

Mas, sendo Flashdance um sucesso dos anos 80 eu continuei firme até o fim. 

Imagino que para a década de 1980 Flashdance trouxe danças diferentes e até chocantes. Isso somado a boa trilha sonora deve ter o encaminhado para o sucesso que foi, mas o enredo é tão fraco! 

Não sei se sou muito impaciente com mocinhas que procrastinam por medo, mas a verdade é que nunca odiei tanto uma protagonista antes. O filme me pareceu superficial. 

Outro ponto que me irritou foi o fato de personagens serem jogados aleatoriamente no meio da história, sem explicações sobre quem são ou o que os levou ali e depois, eles simplesmente desapareciam da história, sem uma misera cena sequer ser dedicada a mostrar seu fim. Havia a mocinha, o mocinho e os amigos da mesma que foram tratados como descartáveis. Poxa, o resto também importa! Fiquei me questionando quando o filme acabou, qual o sentido de alguns personagens terem surgido na história, uma vez que sua relevância para a história foi zero. Pura e simplesmente sem nexo.

Flashdance me ganhou em sua parte musical. Fim da história. 

E vocês? Curtiram ou se decepcionaram com Flashdance quando o viram? Contem pra mim!

Até a próxima! 



sexta-feira, julho 03, 2015

[Filme - Clássicos] Sabrina

Ontem eu resolvi retomar minha maratona de filmes clássicos.

Como vocês sabem, em todas as minhas férias eu tiro alguns dias para assistir filmes que marcaram a história cinematográfica. Eu, particularmente, adoro os filmes dos anos 50 e dou preferência a eles, mas aos poucos, quero ver tudo que um dia um grande número de amantes do cinema gostou!






E chegou a vez de Sabrina. Eu sou completamente fissurada em Audrey Hepburn e por isso acabei comprando quase todos os filmes que a mesma estreou. Há muitos anos atrás eu assisti a versão remake de Sabrina, então eu tinha uma leve noção do enredo que me aguardava, mas como todos nós sabemos, a versão original sempre ganha né?

E assim foi com Sabrina também.







Logo no inicio da história conhecemos Sabrina uma jovem que sonha em alcançar um lugar melhor no mundo. Ela é filha do chofer da família bilionária Larrabee e desde inicio notamos sua completa paixão por Holden Larrabee, o mais jovem e irresponsável dos irmãos.

Vendo a filha sofrer com o platônico amor, seu pai a manda para estudar em Paris. Em seu retorno Sabrina se mostra irreconhecível. Agora ela é uma dama charmosa e refinada, capaz de conseguir todo e qualquer amor que desejar, incluindo o de Holden que se encanta pela mesma desde sua chegada.




Acontece que esse repentino interesse de Holden em Sabrina pode atrapalhar os negócios da família, então seu sério irmão mais velho, Bogie resolve intervir e começa ele a sair com a moça na intenção de afastá-la do irmão e de suas vidas, até o momento em que nem ele acredita que a quer tão longe assim...

minha edição de Sabrina <3


Sabrina é uma comédia romântica fofa para se assistir em fins de tarde e se deliciar com a esplêndida atuação de Audrey Hepburn. Eu não poderia dizer que se tornou um de meus favoritos, pois isso não seria verdade. Audrey ainda brilha mais em Bonequinha de Luxo e Cinderela em Paris, mas eu gostei bastante das nuances de humor apresentadas nesse filme. Deve ser uma característica dos filmes dirigidos por este diretor, uma vez que também é ele que dirige Quanto mais quente melhor e vocês sabem o quanto adoro aquele filme!

E vocês, fãs de clássicos, já viram Sabrina? Contem nos comentários o que acham do filme! 

Até o próximo post.






quarta-feira, julho 01, 2015

[Série] How to get away with murder

E ai, neblineiros? Como vocês estão?

Adivinhem só? Eu estou de férias! Eba! Isso significa mais resenhas para vocês e mais leituras pra mim. Yey!






Uma amiga me indicou essa série no inicio do ano ( beijos Mari!), mas como minha vida no período acadêmico é extremamente corrida eu acabei deixando para ver a série inteira nas férias, então fiz uma maratona de How to get away with murder nesse fim de semana e O-M-G foi tão viciante!

Para quem não sabe eu faço direito e assim sendo, tudo na tv relacionado a minha área me interessa, sabe? ( mãaaaaae, tô na tv! Quase, Bruna, Quaase!)

Essa série trabalha questões do direito penal que é a matéria femme fatale do direito, pois quem não é da área ou acabou de iniciar o curso não consegue resistir a ter um interesse imediato pela área penal.

Comigo não foi diferente, mas conforme fui avançando em meus estudos o meu interesse profissional mudou. O direito é um curso muito amplo e cheio de ramos paralelos de estudo. É como um coração cheio de pequenas veias prontas para serem escolhidas e postas a trabalhar! Como gosto de fugir do óbvio e adoro um desafio, eu acabei correndo da dobradinha civil/penal e estudo outra área onde pretendo, inclusive atuar profissionalmente após terminar a graduação.

Mas isso não quer dizer que How to get away with murder não fez eu me lembrar dos meus dias de caloura quando eu ansiava por estudar as entranhas do direito penal e conseguir aprender os truques para saídas geniais em casos de quebrar a cabeça!

É claro que nosso direito é bem diferente do direito americano. Os dois tem origens diferentes, mas podemos ter uma provinha do que se passa em seus tribunais em nossos tribunais do júri! É bem interessante e super indico que assistam um pelo menos uma vez na vida! Não irei fazer merchan, mas tem uns penalistas na minha cidade que arrasam! (  cof.. cof.. foi meu Prof. #ficadica!)

Mas, vamos voltar a falar da série ou eu não paro nunca de tagarelar sobre meu curso!
Nos é mostrado 4 jovens com um grande problema em mãos e em seguida retroagimos para meses antes, onde podemos os conhecer melhor e entender tudo que os levou até aquela situação. Conhecemos nesse percurso a mentora genial dos mesmos, Annalise Keating. Ela é professora de direito penal e tem um jeito particular de ensinar os alunos seus conhecimentos da área. Eu creio que isso traz um dos pontos chave para tornar a série tão interessante: ela nos mostra algo que não temos acesso por aqui. E parece tão estimulante! Eu gostei muito do ponto de vista trabalhado nela!

Para ser mais suscinta em meu comentário sobre a série, eu vou enumerar os pontos forte do mesmo ( na minha singela opinião, claro).

1) Os protagonistas são as mentes brilhantes da turma. Yey! Adoro quando dão o devido crédito as pessoas esforçadas. Todos são ambiciosos, inteligentes e nos surpreendem conforme vão nos mostrando até onde são capazes de ir para garantirem que serão os melhores. #fightfightfight

2) A série não tem aquele estereótipo de personagem padrão. Temos brancos, negros, héteros, homossexuais, ricos, pobres, filhos de poderosos e pessoas que simplesmente decidiram se esforçar para estar ali. Anneline escolhe quem trabalha para ela pura e simplesmente por mérito. É minha visão de mundo ideal, minha gente!

3) Viola. Ela é uma atriz extremamente talentosa e que conseguiu transmitir a personagem a personalidade forte que alguém famoso no ramo como Annelise Keating precisaria ser! Ela é a melhor. Sério! Pode ser durona e exigente, mas mesmo assim, nos momentos certos a personagem deixa transbordar seu lado emotivo e humano! #violaisthebest

4)  a série sempre nos surpreende com o que acontecerá depois. Os personagens - mesmo os mais óbvios - conseguem te enganar e mudar completamente sua visão sobre eles dentro de poucos capítulos. Mesmo nos mostrando desde o inicio o ponto crucial do que aconteceu entre aqueles jovens através de flashbacks, a série em momento algum pôde ser taxada de desinteressante.

Pra quem não viu ainda, vou deixar aqui embaixo o trailer da série. Vale muito a pena gastar minutos do seu dia com How to get away with murder. Virou meu novo vicio!


E ai, quem já assistiu? Me contem o que acharam! Vamos debater os fatos e seus nexos causais por aqui!