segunda-feira, fevereiro 29, 2016

DreamCast - A Seleção

Olá neblineiros!

Aproveitando que a fofa da Kiera Cass é a nossa autora do mês, vamos fazer algo diferente. A Milla e eu resolvemos fazer um DreamCast da Seleção, que teve seus direitos de exibição comprados pela Warner Bros. 
Essa será a terceira (sim, terceira) vez que a produção tenta chegar nas telas. Há cerca de dois anos atrás, tentou-se produzir uma série de TV, que seria exibido no canal americano CW. Contudo, o piloto foi recusado duas vezes e o projeto, colocado dentro da gaveta (Acreditem, a decisão foi boa, por o preview que eles liberaram... só Merlin na causa). A expectativa agora é que os livros de Kiera virem filme. Dá uma olhada no elenco principal anterior:


1- América - Aimee Teegarden / Yael Grobglas
2- Maxon - Ethan Peck / Michael Malarkey
3- Aspen - William Moseley / Lucien Laviscount

Eu (Milla) não gostei muito dessas escolhas, com exceção talvez do Michael. E sim, a Yael ia fazer uma América loira (oi?).

Então vamos conhecer o elenco dos sonhos de cada uma de nós?

[DreamCast - Talita]

América Singer - Audrey Hollister

A Audrey já é conhecida dos leitores, já que ela é a modelo que dá vida a América nas capas dos livros da série. Não consigo imaginar outra pessoa para o papel.


Maxon Schreave - Matthew Dadario

Para quem tem acompanhado a série Shadownhunters, podemo ver que o desempenho de Matthew, tem melhorado bastante.  Eu acho que ele tem características parecidas com a do Maxon, (fora que o cara é lindo).


Aspen Leger - Andrew Garfield

Essa é uma personagem complicada, já que Aspen...bom é o Aspen certo? Andrew tem desenvolvidos ótimos papeis, e acredito que poderia se sair bem nesse também.



[DreamCast - Milla]

América Singer - Jane Levy

Jane foi protagonista da série Suburgatory (que eu amava, diga-se de passagem). Além de ser linda e super fofa, ela é uma ótima atriz. Consigo facilmente imaginar ela como America.


Maxon Schreave - Beau Mirchoff

Não tenho uma escolha tão fechada assim para o Maxon, mas acho que o Beau, ator da série da MTV "Awkward", daria um bom Maxon.


Aspen Leger - Daniel Sharman

De novo, não é uma escolha que eu defendo com unhas e dentes. Estou abertas a negociações rs Mas pelo visual, acho que o Daniel faria um bom Aspen


E ai gostaram das nossas sugestões? Ou preferem outros atores nos papeis? Deixem um comentário aqui em baixo com o seu Dreamcast ;)

domingo, fevereiro 28, 2016

[Filme] Perdido em Marte

Olá  neblineiros!

Faltando algumas horas para a entrega do Oscar 2016, trago para vocês mais uma resenha especial.

Título Original: The Martian
Diretor: Ridley Scott
Nacionalidade: Americano
Duração: 2h 24 min

☁ ☁ ☁



Sinopse: O astronauta Mark Watney (Matt Damon) é enviado a uma missão em Marte. Após uma severa tempestade ele é dado como morto, abandonado pelos colegas e acorda sozinho no misterioso planeta com escassos suprimentos, sem saber como reencontrar os companheiros ou retornar à Terra.

Perdido em Marte, entra na onda dos filmes espaciais, porém com um proposta totalmente diferente.

Somos apresentados aos tripulantes da Ares III, onde na personagem de Matt Damon (Mark) é  deixado para trás e dado como morto.

São feitas muitas pompas para a sua morte por parte da NASA, porém alguns takes depois descobrimos que ele está  bem porém  machucado e chateado por ter sido abandonado.

O filme nos leva a imaginar o ar faríamos na situação passada pelo personagem, afinal ele está em um planeta onde nada cresce e o clima eq totalmente diferente do  nosso. Como ele mesmo diz, a sorte dele é  ser Botânico. Com ideias geniais e algumas explicações científicas ao longo das cenas ele vai nos mostrando as suas ideias para plantar batatas.

De forma genial, vemos como os responsáveis da maior agência espacial do mundo tentar resolver como trazer Mark de volta. Recheado de efeitos especiais e ótimas interpretações mergulhamos na história e quando vemos tudo está sendo resolvido, porém nem tudo são flores, quando as coisas estão indo muito bem... tcharãm.. algo acontece e somos levados a resolver outro problema junto ao personagem.

Sobre a nota, eu estava tão cansada que não conseguiu ver a parte do salvamento de Mark, mas, isso não quer dizer que o filme é ruim, muito pelo contrário para os fãs de ficção científica e das viagens tripuladas para Marte esse filme é um prato cheio. 

Lembrando que o filme está concorrendo ao Oscar de:

Melhor Direção
Melhor Ator
Melhor Roteiro Adaptado
Melhores Efeitos Visuais
Melhor Edição de Som
Melhor Mixagem de Som
Melhor Direção de Arte

Vamos ficar na espera e acompanhar ao Oscar e ver quais estatuetas o filme irá levar. 
esperamos que tenham gostado do nosso especial Oscar 2016. Fiquem ligados aqui no Blog para mais resenhas.
Ah... não esqueça de deixar o seu comentário aqui no final dizendo o que achou da resenha e do filme. Beijão e até a próxima.


sábado, fevereiro 27, 2016

[Filme] Brooklyn

Olá neblineiros!

Mais um filme com indicações para Oscar 2016. Brooklyn está concorrendo em três categorias: melhor filme, melhor atriz e melhor roteiro adaptado.
Esse drama, baseado no livro de Colm Tóibín, traz Saoirse Ronan (indicada ao Oscar de melhor atriz) como a jovem irlandesa Ellis Lacey. Atuação impecável, vou torcer muito por ela. Lembrava dela em Desejo e Reparação (ainda criança, mas já bem expressiva), fez também Cidade das Sombras (2008), A hospedeira (2013) e mais recentemente O Grande Hotel Budapeste (2014 - vencedor de 4 Oscar).


Título Original: Brooklyn
Diretor: John Crowley
Nacionalidade: anglo-canadense-irlandês
Duração: 112 minutos




Brooklyn conta a história da emigrante irlandesa Ellis que em 1952, a pedido da irmã, vai para New York, Estados Unidos, em busca de um futuro melhor. Ela sai de uma cidade pequena, onde todo mundo sabe da vida de todo mundo e se encontra num grande centro, sem família e sem amigos, na pensão da Sra. Kehoe onde vive outras moças irlandesas. Só a trajetória dela de navio, e todos os percalços até carimbar o passaporte para entrar no país já dá o tom do sofrimento que é sair de casa e ter de enfrentar tudo isso tão jovem e sem experiência.


É quase palpável a saudade que ela sente de casa, faz com que o telespectador crie de imediato uma empatia com a personagem, que se esforça para construir uma nova vida do outro lado do oceano. Eu sofri junto com ela! Eu tenho duas irmãs que vivem em Paris e, mesmo com toda essa tecnologia que temos hoje, ainda sinto muito a falta delas. Imagina ela sozinha deixando para trás a mãe e a irmã, naquela época. E que amor lindo de irmãs elas transmitem através das cartas. Preparem os lenços… 

Com a ajuda do padre amigo de sua irmã ela faz um curso de contabilidade e aos sábados frequenta o baile dos irlandeses. Sabe aqueles bailes antigos, onde as mocinhas ficam sentadas esperando serem convidadas para uma dança? É ali que Ellis conhece Tony Fiorello, um descendente de italianos que adora garotas irlandesas. 


Tony é o tipo de rapaz que você apresentaria para sua melhor amiga, mas só se você fosse comprometida. Ele trabalha bastante, mas arruma tempo para ir buscá-la na porta do curso, só para acompanhá-la até em casa. Apaixonado, a apresenta para sua família e demonstra com atitudes que quer algo sério com ela. 

Quando tudo parece ir bem acontece algo inesperado e ela precisa voltar para a Irlanda… Em casa de novo, parece que toda a cidade a vê com outros olhos. Reencontra sua melhor amiga, recebe uma proposta de trabalho na área de contabilidade e ainda desperta o interesse do bom partido da cidade. Dali para frente, dividida é a palavra que define nossa mocinha! Quem nunca se encontrou dividida que atire a primeira pedra!

Paro por aqui para não estragar o final, mas garanto que de todos os filmes que assisti do Oscar 2016 esse foi o que mais gostei. Numa primeira passada de olhos pode parecer um romancezinho clichê, mas basta mergulhar na trama e na profundidade da personagem que verá que tem muito mais. Para uma romântica incurável como eu, é natural que eu tenha assistido esse filme três vezes nessa semana! Espero que gostem tanto quanto eu! Inclusive fiquei muito interessada em ler o livro.

Só mais uma cena que não podia deixar citar… O que é aquele irlandês cantando no almoço de natal dos carentes? Não entendi uma palavra do que ele cantou, mas senti todo o sofrimento da canção na alma. É de arrepiar!

Preparem a pipoca e o guaraná! Enjoy!


Beijos! Bom filme e até a próxima! <3



sexta-feira, fevereiro 26, 2016

[Filme] O Regresso

Olá neblineiros!

Última semana do mês de Fevereiro, e como estamos próximos da entrega do Oscar, vamos conhecer um pouco mais um dos indicados, que está concorrendo a várias estatuetas.

Título Original: The Revenant
Diretor: Alejandro González Iñárritu
Nacionalidade: Americano
Duração: 2h 36 min

☁  




Sinopse: 1822. Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma árdua jornada em busca de vingança.

O que dizer desse filme?  Sendo sincera ele não me agradou não. O filme é parado e com poucas cenas de ação, e são elas que fazem o espectador ficar atento ao filme.  É claro que ele tem um elenco de peso, e paramos por ai.

A história, é muito boa, pois nos leva a conhecer um pouco mais de como eram os Estados Unidos em 1822 (Brasil ainda atrasado, acabava de se declarar independente de Portugal). Toda a questão indígena envolvida e como os Europeus o viam e tratavam. Temos algumas cenas fortes. mais possíveis de assistir.

O que eu amei de verdade no filme, foi a sua fotografia. muito encantadora (abaixo algumas curiosidades sobre o filme), já que toda a luz natural foi aproveitada.  A atação de Leonardo DiCaprio chama a atença e isso justifica muito a indicação a estatueta (porém, ele merece faz tempo não é? ) Nos resta aguardar a noite tão esperada noite do Oscar e torcer por ele.

10 curiosidades sobre o Filme o Regresso

Baseado em Fatos reais
Filme todo rodado com luzes naturais
Filmagens exigiram sacrifícios pessoais e profissionais
Criaram avalanche de verdade na cena
Cena de abertura precisou de um mês de ensaios
O filme tinha seu próprio metereologista
Pele de urso de verdade
Coisas que aconteceram com o Leo (spoilers)
Cenas que não aconteceram com o Leo (spoilers)
O mistério do urso

Fonte: Adoro Cinema

Indicações

Melhor Ator
Melhor Filme
Melhor Diretor
Melhor Ator Coadjuvante
Melhor Fotografia
Melhores Efeitos Visuais
Melhor Edição de Som
Melhor Montagem
Melhor Figurino
Melhor Direção de Arte
Melhor Mixagem de Som
Melhor Maquiagem e Penteado

E vocês o que acharam do filme? Deixem a sua opinião nos comentários.
Beijão

terça-feira, fevereiro 23, 2016

[Filme] A Garota Dinamarquesa

Olá, gente! Continuando nosso "especial" Oscar 2016, falando um pouco dos filmes indicados neste ano, trago para vocês a resenha de "A Garota Dinamarquesa", estrelado por Eddie Redmayne ("A Teoria de Tudo", "Os Miseráveis") e Alicia Vikander ("O Amante da Rainha", "Anna Karenina").

Título Original: The Danish Girl
Diretor: Tom Hooper
Duração: 120 min

☁ ☁ ☁ ☁ 





O filme, dirigido por Tom Hooper, também responsável por "Os Miseráveis" e "O Discurso do Rei", está indicado a 4 oscars: dois técnicos, "Figurino" e "Design de Produção", e dois de elenco "Melhor Ator" para Eddie e "Melhor Atriz Coadjuvante" para Alicia.

Quero começar dizendo que Alicia deveria ser indicada na categoria de "Melhor Atriz", pois o sentimento que eu tive, para não dizer que ela ofuscou Eddie, foi que ela estava sobre "a mesma luz" de seu colega. Não estou em nenhum momento dizendo que Redmayne entregou uma performance ruim! Pelo contrário! Achei que ele foi muito delicado interpretando Lili Elbe. Eddie passou com facilidade a complexidade de Lili, que antes vivia como Einar Wegener. Fora que diversas vezes me surpreendi no quão feminino ele conseguiu ser. Contudo Alicia Vikander interpretou a forte Gerda Wegener, uma personagem que me emocionou diversas vezes durante o filme, além de ser extremamente cativante. Não é a toa que ela tem ganho prêmios como o Critic's Choice e o SAG Awards. Espero que ela fique com o Oscar.

O filme foi baseado no livro de David Ebershoff, "A Garota Dinamarquesa", que é um romance apenas baseado em Lili Elbe. Lili foi uma das primeiras pessoas a passar pela cirurgia de mudança de sexo. 


Assim levanta-se a questão do transgênero. Lili, durante o filme, é levada à médicos, que apontavam doenças "clínicas", uma espécie de desequilíbrio químico que causava sua "confusão quanto sua sexualidade" (ele foi até colocado como homossexual), até doenças psiquiátricas como a "esquizofrenia". Porém Einar nunca foi Einar. Ele se obrigou a viver como era, pois assim funcionava o mundo. Ele nascera como homem, então assim deveria ficar. O que é forte e que eu achei que foi muito bem trabalhado é como Einar não se sentia homem. Ele na verdade enxergava Einar como um "erro", pois Lili lutava por libertação dentro de si.

No caso do trans, ele não se identifica com o gênero que lhe foi dado, seguindo o exemplo do filme, ser homem. Einar era mulher. Eu, por exemplo, sou "cis", ou seja, me identifico com o gênero concedido biologicamente, o feminino. É importante salientar que gênero e orientação sexual são coisas diferentes. 

Ser trans não quer obrigatoriamente dizer que ele é homossexual. O filme não deixou totalmente explícito, mas acho que Lili era heterossexual. Confundiu? O trans pode ser hétero, bi ou homossexual, inclusive pan ou assexual, até onde eu imagino. A questão é que se não se identificar com seu gênero não obrigatoriamente está ligado com sua orientação sexual. Me arrisquei a entrar num assunto até pouco tempo desconhecido pra mim, espero que tenha explicado certo. Se vocês quiserem entender mais, podem acessar o "Canal das Bee" no youtube, que tem um vídeo explicando ou a comunidade do face "Homens Transgêneros". Deixarei o link no fim do post.


A única coisa que me deu um leve incômodo nesse filme foi a reação da sociedade, digamos assim. Como a própria produção mostra, na época o homossexualismo era visto como doença, desvio, perversão, que dirá um homem transgênero (o mundo não mudou muito, não é? infelizmente...). As pessoas ao redor de Lili/Einar, ao contrário, reagiam muito bem, encantados pela figura de Lili/Einar. Acho que essa questão poderia ser mais explorada.

A última cena do film foi lindíssima e eu derramei algumas lágrimas. Inclusive fique até uns cinco minutos depois do término bem emocionada. O filme é forte, traz uma questão complexa com muita delicadeza e atuações sensacionais. Vale muito a pena!

Fonte:

domingo, fevereiro 21, 2016

[série] Dance Academy



Viciante para apaixonados por ballet. Apaixonante para os que não são. 
Assim é Dance Academy. 

Ano passado, em uma manhã tediosa, em vi alguns episódios aleatórios de Dance Academy no canal Boomerang. Assisti a todos os transmitidos naquela manhã e não me esqueci mais da série de dança com pegada teen e uma dose de drama.

Nessas férias, decidi procurar pela série e dei sorte de encontrá-la disponível no netflix. Voltei para o ballet recentemente, então decidi que era o destino. Comecei a assisti-la e já me senti conectada a história no 1º episódio. 

Sinopse: A protagonista é Tara Webster, que sonha em ser a primeira bailarina da Academia Nacional de Dança, em Sidney, Austrália. Depois de passar pelo sufoco de ser aprovada na audição, a garota começa a descobrir as verdadeiras dificuldades para conquistar seu espaço. Ela não está sozinha nessa jornada. Os perrengues da profissão também são enfrentados por Katrina Karamakov, Ethan Karamakov, Samuel Lieberman, Abigail Armstrong e Christian Reed, que se tornam amigos de Tara.
A série traz a rotina dos estudantes da Academia Nacional de Dança e assim sendo, nos vemos envolvidos com a rotina dos aspirantes a bailarinos e claro, com todos os problemas que a adolescência traz. A série aborda de uma forma leve todos os reais desafios de quem tem o sonho de dançar: a necessária disciplina, os inevitáveis desapontamentos, a cansativa competição, mas principalmente, a magia que a dança tem de unir as pessoas. 



A forma como a série é narrada e os pequenos problemas do cotidiano dos personagens, trabalhados a cada episódio, te prendem naquele universo.  As lições da série vão muito além da dança,  às vezes elas são sobre superação de problemas, sobre a aceitação de nossos limites para não impormos metas irreais a nós mesmos,  e às vezes, sobre problemas familiares, amizades e amor. 

Afirmo para vocês com toda convicção que Dance Academy entrou para o rol das minhas séries queridinhas para sempre. É envolvente e cativante. Assistam e confirmem o que digo!

Ponto negativo: eu não consigo gostar do casal principal junto. Não via a química que os criadores tentaram passar ali. Preferia muito mais a Tara com sua primeira paixonite, então a série praticamente não teve teor romântico pra mim, o que não fez, em momento algum, que eu gostasse menos da história por isso.

Ponto negativo II: os episódios duram, em média, 20 minutos e só há três temporadas.

Ponto positivo: a trilha sonora é maravilhosa. Quero todas as músicas da série no ipod já!


Ponto Positivo II: há rumores que haverá um filme de Dance Academy. Aguardo ansiosamente!


sexta-feira, fevereiro 19, 2016

[Filme] Deadpool

E ai, neblineiros? Quem curte filmes de super heróis? Será que também curtem filmes de anti-heróis?


Deadpool. Confesso que X-men nunca foi uma das minhas criações da Marvel favoritas. Sempre torci o nariz para todo o Universo que os envolvia, então eu não estava realmente animada com o filme, mas após assisti-lo, em nada me surpreende que ele tenha se tornado o novo queridinho dos cinéfilos/fãs de adaptações.

Para vocês terem uma noção, o filme nem havia estreado no cinema e a Fox já havia confirmado sua continuação!

O personagem já me ganhou pelo bom humor e pela quebra da quarta parede nos primeiros minutos de filme, então a partir dai, abandonei meu bullying com os mutantes e me deixei curtir a história.
Vocês já sabem que adoro cenas sangrentas, então devem imaginar o quão divertido assistir Deadpool foi para mim! 

Diferente dos outros filmes de heróis a qual nos acostumamos vide Capitão América ou Thor o humor é bem mais pesado, muito mais ácido. Deadpool é hilário, é insano, é muito bom, mas não levem seus filhos para assistir. Há cenas de violência, sexo e palavreado sujo, o que só deixa os fãs mais felizes, pois a obra fica bem fiel ao HQ, mas pode ser demais para crianças.

Ryan Reynolds fez muito bem em lutar pela produção da obra. Ele nasceu para interpretar Wade Wilson! 

Fiquei muito feliz em ver uma brasileira em um papel principal também! Morena Baccarin garante cenas divertidas e está super bonita na produção.

Enfim... como minha amiga Giovana ( beijo, miga) disse: o filme é hilário! Só...assistam e voltem aqui comentar comigo sobre o humor louco de Deadpool. 

XoXo



domingo, fevereiro 14, 2016

[Filme] Divertida Mente

Olá neblineiros!!


Para os fãs de desenhos, hoje teremos resenha de um filme que está concorrendo ao Oscar de melhor animação. Vamos conferir?

Título Original: Inside Out
Diretor: Pete Docter
Nacionalidade: Americano
Duração: 1h 35 min

☁ ☁ ☁ ☁ ☁


Sinopse: Riley é uma garota divertida de 11 anos de idade, que deve enfrentar mudanças importantes em sua vida quando seus pais decidem deixar a sua cidade natal, no estado de Minnesota, para viver em San Francisco. Dentro do cérebro de Riley, convivem várias emoções diferentes, como a Alegria, o Medo, a Raiva, o Nojinho e a Tristeza. A líder deles é Alegria, que se esforça bastante para fazer com que a vida de Riley seja sempre feliz. Entretanto, uma confusão na sala de controle faz com que ela e Tristeza sejam expelidas para fora do local. Agora, elas precisam percorrer as várias ilhas existentes nos pensamentos de Riley para que possam retornar à sala de controle - e, enquanto isto não acontece, a vida da garota muda radicalmente.


Tem como não amar uma animação da disney Pixar? Esse filme, nos leva a conhecer algumas emoções que estão entranhadas na nossa mente.  No filme, somos apresentadas as principais: Alegria, Raiva, Nojinho, Medo e Tristeza.  Riley tem como emoção dominante a Alegria. Até que uma mudança de cidade bagunça toda a sua mente, e nos leva a momento reflexivos.

Por exemplo, porque a tristeza deve sempre ser isolada?  Pois, é isso que observamos em quase todo o filme. Vemos também, como a cabeça dos pais funcionam, e como a todo momento tentamos mandar sinais de como estamos para as pessoas ao nosso redor.



Mesa de comando 
Quando, as memorias felizes de Riley são perdidas, Alegria e Trsiteza, partem em uma aventura o subconsciente. "Descobrimos" o que acontece com nossos memórias, principalmente para aquelas de quando eramos pequenos.

E o porque de algumas músicas, mesmo as mais bobas, invadem as nossas mentes nos momentos mais inapropriados.

No final, você percebe que deve existir um equilíbrio de todas as emoções, e o momento certo de deixa-las extravasar.



Como podem ver pelo trailer, o filme chama a atenção das crianças e dos adultos, justificando a indicação de melhor animação.  No meu ponto de vista merece a indicação e o premio (levando em consideração que não assisti aos outros filmes). No entanto, nos resta aguardar para o dia da entrega do prêmio.

Os indicados para filme de Melhor Animação são:

Divertidamente
Anomalisa
As memórias de Marnie
Shaun, o Carneiro
O menino e o Mundo (animação brasileira de Alê Abreu)

E vocês quem acham que sairá vencedor dessa disputa? Digam, nos comentários. Em breve, mais resenhas dos indicados ao Oscar.


[Especial Valentine's Day] Filmes sem Romance

Olá, pessoal!
Temos aqui mais um especial de São Valentim. Dessa vez, eu listarei alguns filmes que não são românticos.
Lista para quem está sem um valentine ou apenas para quem não curte romance.

-O Bebê de Rosemary (1968)



É um filme antigo, de suspense. Não é como Invocação do Mal, por que o propósito não é dar susto. Pode até dar um pouco de medo nas pessoas mais sensíveis, mas você não terá pesadelos rs
enfim, o filme se trata de um jovem casal, Guy e Rosemary, que se mudam para um apartamento novo. Conhecem um casal de idosos que mora perto, mas são enxeridos. Ficam olhando o apartamento, fazendo perguntas, entrando sem aviso... Mas isso não é tudo. Rose e Guy querem um filho, e tem um pouco de dificuldade nisso, mas, após algum tempo, eis que ela engravida. Mas é aí que começa a trama: a princípio, Rose não ganha peso, se sente estranha, entorpecida... E começa a desconfiar do casal de idosos e teme por si e seu bebê.
É um clássico do suspense, vale a pena.

-Star Wars - Episódio iv: Uma Nova esperança (1977)



Ah, esse filme. Essa saga <3 Esses personagens <3
Não é segredo que sou apaixonada por Star Wars, né, e não poderia deixar de recomendar esse filme. Primeiro na ordem de lançamento e quarto na ordem cronológica, esse filme começa com a nave de Leia (Carrie Fisher) sendo atacada por tropas imperiais lideradas pelo vilão mais famoso do cinema, Darth Vader (David Powrse/James Earl Jones). Vader queria que ela devolvesse os planos para construção da Etsrela da Morte, uma estação bélica, mas ela foi esperta e o escondeu no robô R2D2, e este, junto com C3PO, escapam da nave e param em tatooine, onde mora Luke (Mark Hammil), que os compra.
Pode até ter um romance ao longo dos filmes, mas não é foco. é outro clássico do cinema, obra maravilhosa do George Lucas

-Harry Potter e a Pedra Filosofal (2001)



Outra saga que amo. Minha favorita. Não poderia deixar de citar também, não é?
Sim,eu sei, há romantismo mais pro final, mas não é o foco dos filmes. Ainda mais nesse, que Harry é criança.
Não preciso dizer que esse filme conta a história de Harry (Daniel Radcliffe <3 <3)), um garoto cujos pais morreram e foi morar com os tios. No 11º aniversário, ele descobre ser bruxo e que vai estudar em Hogwarts. O resto você sabem de cor e salteado haha

-O Sexto Sentido (1999)



Outro clássico do suspense haha
Nele, vemos um psicólogo infantil (Bruce Willys) ter a casa invadida por um dos pacientes que não conseguiu ajudar. Tempos depois, ele vê a oportunidade de se redimir ajudando Cole Sear (Haley Joel Osment), que tem problemas de relacionamento.

-Kill Bill (2044)



Clássico de Quentin Tarantino, esse filme conta como A Noiva (Uma Thurman) vai atrás dos assassinos de seu noivo Bill, que correu enquanto ensaiavam a cerimônia. Foi um massacre, todos morreram, ela quase morreu também, mas ficou alguns anos em coma e acordou querendo vingança.

Claro que há muitos outros filmes que poderiam ser assistido esses são apenas alguns.
Até a próxima e Feliz Dia de São Valentin!

[Especial Valentine's Day] Filmes Românticos

Olá, neblineiros e neblineiras!

Cá estamos com mais um post especial de Dia de São Valentin! Dessa vez, eu listarei alguns filmes que talvez possam ser visto nesse dia, seja sozinha, seja acompanhada.

Valentine's Day - (2010)



Esse filme retrata várias histórias que se passam no dia 14/02. Temos um florista (Ashton Kutcher) que pede a namorada em casamento, sua melhor amiga (Jeniffer GArner) que vai a outra cidade ver o namorado, temos outra moça que odeia o dia dos namorados (Jessica Biel), temos um reporter que faz diversas matérias sobre o dia (Jamie Foxx), temos uma recepcionista e atendente de telesexo (Anne Hathaway) cujo namorado não sabe desse segundo emprego... enfim, temos vários personagens cujas histórias se entrelaçam ao longo do dia. Dificilmente não nos identificamos ao menos com um deles, ou lembramos de alguém parecido.

Sexo Sem Compromisso (2011)



Mais um filme com Ashton Kutcher! Nesse, ele interpreta Adam, amigo de longa data da Emma ( Natalie Portman <3). Perdem contato por um tempo, mas se reencontram. Após Adam descobrir que seu pai namora sua ex, ele acaba no apetamento dela, e eis a proposta: terem uma relação apenas sexual. O que acontece depois? Spoiler ;-)
Mas pra quem curte romance fica meio previsível, mas o filme é legal.


Eu Odeio O Dia dos Namorados (2013) - sugestão da Talita



Esse não assisti, mas, pelas pesquisas, Débora (Heloisa Perissè) recusa um pedido de casamento de seu namorado Heitor (Daniel Boaventura), pois queria ficar na carreira de oublicitária. Ao ir a Tóquio, ele o reencontra. Bem, se tem Heloisa no elenco, deve ser bacana, e engraçado.


Diário de Uma Paixão (2004)



Ah, esse filme <3
Gosto muito dele, e preciso ler o livro! Provavelmente o único do Nicholas que lerei rs
Enfim, nesse filme, vemos Duke (James Garner), um senhor que mora num asilo, ler regularmente a história dos jovens Noah (Ryan Gosling) e Allie (Rachek McAdams) para uma das moradoras, que tem Alzheimer . Noah e Allie se conhecem no verão dos anos 40, quando ela foi passar férias na cidade onde ele morava. Se conheceram num parque, ela não deu muita bola no começo, porém, ele a conquistou e ficaram apaixonados. Mas tem dois problemas: ela é rica; ele, pobre (bem, para sua mãe isso é um problema), e em breve ela voltará para sua cidade natal. No decorrer do filme, vemos com isso se desenrola.


10 Coisas Que Odeio em Você (1999)



Outro filme que gosto bastante. Já passou  várias vezes na Sessão da Tarde, mas vale a pena ser assistido.
Inspirado n'A Megera Domada, do lendário William Shakespeare, vemos Cameron (Joseph Gordon-Levitt <3) chegar numa escola nova e imediatamente se apaixonar por Bianca (Larisa Olenyk), porém, Bianca tem uma irmã, a Kat (Julia Stiles), que é insuportável e o pai delas só permite que Bianca namore quando Kat namorar. Ou seja...
Mas nem tudo está perdido, com a ajuda de seu novo amigo, Mcihael (David Krumholtz), eles pedem a Patrick (Heath Ledger <3) para chamar Kat para sair.


Bem, eis aqui alguns filmes para vocês assistirem nesse dia tão romântico. Em breve postarei outros filmes para ver nesse que não tem romance rs

Até!

[EspecialL Valentine's Day] Casais

Olá, pessoal!
Continuando o especial de um dos dias mais românticos do ano, o Valentine's Day, trago aqui alguns casais da ficção que gosto muito. Não estou falando que são os melhores, até por que cada pessoa tem um gosto. E também há muitos casais que ficarão de fora e que são tão legais quando os da lista. Mas enfim, eis os casais.

Aviso: alguns casais podem ser considerados SPOILERS, então, cuidado.


- Rony Weasley e Hermione Granger


Potterhead que sou, não poderia faltar um casal dessa saga, não é mesmo?
É o casal favorito de muito fã da saga rs
Não preciso falar muito, não é? Nos filmes, vemos o desenvolvimento do casal de forma até natural. Não foi amor a primeira vista, não houve declarações forçadas, etc. E a química entre eles foi melhor do que a de Harry e Gina, e olha que gosto de Harry e Gina.

-Alec Lightwood e Magnus Bane

 

MEU SHIP, NINGUÉM SAAAAAAAAI!
Da saga Os Instrumentos Mortais, de Cassandra Clare, Alec é um Caçador de Sombra e Magnus o alto feiticeiro do Brooklin. Magnus se interessa por Alec de cara, mas Alec é reprimido e começa a sair com ele às escondidas. Com o tempo, eles vão se conhecendo, se apaixonando e a (enorme) diferença de idade eles é um mero detalhe rs

-Fitzwilliam Darcy e Elizabeth Bennet


Outro casal que gosto pra caramba. E é um casal que começou não gostando um do outro rs Mas com o tempo foram se entendo e se gostando <3

-Leia Organa e Han Solo

(-Eu te amo.
-Eu sei)

Casal de Star Wars. Se conheceram na Estrela da Morte, quando Luke (Mark Hammil) foi resgatá-la. No começo não se gostaram, é claro. ele era contrabandista, e meio excêntrico. Ela era uma senadora ficada em acabar com Império. Mas nada que uma guerra não resolva HAHAHHE

- Spock e Nyota Uhura


Eles são de Star Trek. Nos primeiros filmes e na série original, foram interpretados por Leonard Nimoy (saudades) e Nichelle Nichols. Nos filmes dirigidos por J J Abrams (Star Trek e Star trek Into Darkness) foram interpretados por Zachary Quinto e Zoe Saldana.
O curioso é que Spock é vulcano, raça alienígena conhecida por ser prioritariamente lógica, deixando emoções de lado. Porém, Spock é mestiço: mãe humana e pai vulcano, o que lhe permite sentir emoções de forma diferenciada dos vulcanos. O romance deles é pouco explorado, até por que Star Trek é uma série de ficção científica rs Mas enfim, eles foram um casal legal.



Então, são apenas cinco, mas ainda tem muitos casais por aí que são muito fofos/legais, etc

sábado, fevereiro 13, 2016

[Especial Valentine's Day] TOP 10 - As melhores declarações de amor

Valentine's Day sem declaração de amor, não é Valentine's Day. Por isso selecionei as que mais me fizeram suspirar, algumas até me fizeram chorar, sentir dor... E como diz Fernando Pessoa "O poeta é um fingidor. Finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente." Talvez suas escolhas sejam diferentes, então vou gostar se deixar nos comentários as declarações de amor que encontraram eco em você.

Contém spoilers!


Top 10 - Gus se declara para Hazel.

"Eu estou... Eu estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um dia em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você."












Top 9 - Declaração de Patch para Nora.

"Quero acordar com você todas as manhãs e adormecer a seu lado todas as noites… …Quero protegê-la, amá-la e cuidar de você de um jeito que nenhum outro homem jamais poderia. Quero mimá-la… cada beijo, cada toque, cada pensamento meu, tudo isso lhe pertence. Vou fazê-la feliz. Todos os dias… … Encontrei este anel pouco depois de ser banido do paraíso. Eu o guardei para me lembrar de que minha sentença era infinita, de que uma pequena escolha pode ser eterna. Guardei-o por muito tempo. E agora quero que fique com ele. Você pôs fim ao meu sofrimento. E me deu uma nova eternidade. Seja minha, Nora. Seja meu tudo."











Top 8 - Mia está em coma e Adam se declara esperando que de alguma forma ela escute.

"Fique. Não há como descrever o que aconteceu com você. Não tem um ponto positivo nisso. Mas existe um motivo para você viver… …Tudo que consigo pensar é em como vai ser uma merda se a sua vida acabar agora. Sei que a sua vida vai ser uma droga de qualquer jeito, depois do que aconteceu. E não sou tão idiota assim para achar que posso desfazer isso ou que qualquer outra pessoa possa. Mas não consigo me conformar com a ideia de que você não vai envelhecer, de que não vai para Juilliard tocar o violoncelo na frente de uma plateia enorme para eles ficarem tão arrepiados quanto eu fico toda vez que vejo você pegar o seu arco, toda vez que vejo você sorrir para mim. Se você ficar, vou fazer tudo o que você quiser. Vou sair da banda e vou para Nova York com você. Mas, se quiser que eu saia da sua vida, vou fazer isso também… …talvez seja mais fácil para você apagar todos nós de sua vida. Vai ser uma barra pesada para mim, mas posso aguentar. Aceito perder você desse jeito, se eu não perdê-la hoje."



Top 7 - Depois do choque de quase perdê-la, Anthony se declara para Kate.


"Eu não queria amá-la. Era o que eu mais temia. Já estava bastante acostumado a meu curioso modo de ver a vida. Era muito conveniente, para ser sincero. Mas o amor… Eu conheci o amor verdadeiro. Eu não era o sujeito cínico que a sociedade me fazia parecer. Sabia que esse sentimento existia. Minha mãe… meu pai… Eu tinha tanta certeza de que o amor era a única coisa que poderia fazer isso… isso… essa consciência de mortalidade… O amor era a única coisa que tornaria essa consciência insuportável. Como eu poderia amar alguém de maneira profunda e verdadeira sabendo que estou condenado? ...Quando me apaixonei por você, eu soube. Mesmo que eu esteja certo, ainda que esteja destinado a morrer com a mesma idade de meu pai, sei que não estou condenado. Eu tenho você, e não vou desperdiçar nem um segundo que temos juntos… …Significa que o amor não tem nada a ver com o medo de que tudo acabe, mas com encontrar alguém que o complete, que faça de você um ser humano melhor do que jamais imaginou ser. É olhar nos olhos de sua esposa e ter a certeza de que ela é a melhor pessoa que você já conheceu… …Quando achei que você tinha morrido… …Tenho que lhe dizer. Foi a primeira vez, mesmo depois de todos esses anos esperando minha morte, que eu realmente soube o que significava morrer. Porque, se você não tivesse sobrevivido… eu não veria mais motivo para viver."

Top 6 - Há declarações de amor que não são ditas, mas sentidas. Esse é o caso de Louisa Clark e Will Traynor.


"Cheguei o rosto tão perto do dele que suas feições ficaram confusas e comecei a me perder nelas. Passei a mão nos seus cabelos, no seu rosto, na sua testa com a ponta dos dedos, as lágrimas escorrendo por meu rosto, meu nariz encostado no dele e ele não parava de me olhar em silêncio, atento como se guardasse cada molécula minha. Ele já estava indo para algum lugar impossível de alcançá-lo.
Beijei-o, tentando trazê-lo de volta. Deixei meus lábios nos dele de maneira que nossa respiração se misturou e minhas lágrimas viraram sal na sua pele e disse a mim mesma que, em algum lugar, pequenas partículas dele virariam pequenas partículas de mim, ingeridas, engolidas, vivas, eternas. Queria apertar cada parte minha nele, deixar alguma coisa minha nele, dar a ele cada pedaço da minha vida e obrigá-lo a viver."





Top 5 - Tudo por amor (Título Original: Dying Young) - Hillary (Julia Roberts) se declara para Victor (Campbell Scott).
"Então, viva, Victor. Você não sabe o que vai acontecer. Não sabe quando vai morrer. Ninguém sabe. Mas estamos vivos agora. Então lute, Victor. Viva comigo… … Porque eu te amo. Se você voltar comigo para o hospital e lutar por nós,  se lutar por nós, eu jamais o deixarei, Victor. E, se você melhorar, quando melhorar, eu estarei lá com você. E se você morrer, eu seguro a sua mão. Eu seguro a sua mão. E eu serei a última coisa que você verá, porque eu te amo. Eu te amo!"

Top 4 - Sr. Darcy faz se declara para Elizabeth em dois momentos.

"Tentei lutar, mas em vão. Não consigo mais. Não posso reprimir meus sentimentos. Você tem de me permitir dizer com quanto ardor eu admiro e amo você."

"… Não nego que o desejo de fazê-la feliz deu mais força às outras considerações que me levaram a agir. Mas a sua família nada me deve. Por mais que os respeite, creio só ter pensado em você… …Você é generosa demais para zombar de mim. Se os seus sentimentos forem os mesmo de abril passado, diga-me logo. Os meus sentimentos e desejos não mudaram, mas diga-me uma palavra, e eu os silenciarei para sempre."









Top 3 - Romeu entra no jardim dos Capuletos e Julieta se declara.


"Romeu, Romeu! Ah! Por que és tu Romeu? Renega o pai, despoja-te do nome; ou então, se não quiseres, jura ao menos que amor me tens, porque uma Capuleto deixarei de ser logo...
...Meu inimigo é apenas o teu nome. Continuarias sendo o que és, se acaso Montecchio tu não fosses. Que é Montecchio? Não será mão, nem pé, nem braço ou rosto, nem parte alguma que pertença ao corpo. Sê outro nome. Que há num simples nome? O que chamamos rosa, sob uma outra designação teria igual perfume. Assim Romeu, se não tivesse o nome de Romeu, conservara a tão preciosa perfeição que dele é sem esse título. Romeu, risca teu nome, e, em troca dele, que não é parte alguma de ti mesmo, fica comigo inteira."








Top 2 - Há dois duas declarações nesse livro: uma de Catherine falando sobre Heathcliff com Nelly e a outra é Heathcliff falando sobre Catherine após a morte dela. Abaixo respectivamente:

"…ele nunca saberá como eu o amo; e não é por ele ser bonito, Nelly, mas por ser mais parecido comigo do que eu própria. Seja qual for a matéria de que nossas almas são feitas, a minha e a dele são iguais… "(Nelly percebe que Heathcliff escutava escondido, ele sai e Catherine, sem notar, continua) "…Os meus grandes desgostos neste mundo foram os desgostos de Heathcliff, e eu acompanhei e senti cada um deles desde o início; é ele que me mantém viva. Se tudo o mais perecesse e ele ficasse, eu continuaria, mesmo assim, a existir; e, se tudo o mais ficasse e ele fosse aniquilado, o universo se tornaria para mim uma vastidão desconhecida, a que eu não teria a sensação de pertencer. O meu amor pelo Linton é como a folhagem dos bosques: irá se transformar com o tempo, sei disso, como as árvores se transformam com o inverno. Mas o meu amor por Heathcliff é como as penedias que nos sustentam: podem não ser um deleite para os olhos, mas são imprescindíveis. Nelly, eu sou Heathcliff. Ele está sempre, sempre, no meu pensamento. Não por prazer, tal como eu não sou prazer para mim própria, mas como parte de mim mesma, como eu própria. Portanto, não voltes a falar na nossa separação, pois é algo impraticável, e…"

"Pois que desperte em tormento! - bradou ele com assustadora veemência, batendo o pé e soltando um grito, num súbito paroxismo de cólera incontrolada. - Por que ela mentiu até o fim? Onde está ela? Não está aqui, nem no céu, nem morta! Onde está então? Oh! Disseste que não te importavas que eu sofresse! Pois o que eu te digo agora, vou repetir até que a minha língua paralise: Catherine Earnshaw, enquanto eu viver não descansarás em paz! Disseste que te matei. Pois então assombra-me a existência! Os assassinados costumam assombrar a vida dos seus assassinos, e eu tenho certeza de que os espíritos andam pela terra. Toma a forma que quiseres, mas vem para junto de mim e me enlouquece! Não me deixe só, neste abismo onde não te encontro! Oh! Meu Deus! É indescritível a dor que sinto! Como posso eu viver sem a minha vida?! Como eu posso viver sem a minha alma?!"

Top 1 - Carta de Frederick Wentworth para Anne Elliot em Persuasão (Jane Austen).

"Não consigo mais ouvir em silêncio. Tenho de falar com você com os meios que estão ao meu alcance. Você trespassa a minha alma. Sou agonia e esperança. Não me diga que é tarde demais, que tais preciosos sentimentos se foram para sempre. Eu volto a me oferecer a você, com um coração ainda mais seu do que quando você quase o partiu, oito anos e meio atrás. Não ouse dizer que os homens se esqueceram mais rápido do que as mulheres, que o amor deles morre mais cedo. Só a você tenho amado. Posso ter sido injusto, fui fraco e ressentido, mas nunca inconstante. Só por você vim a Bath. Só por você eu penso e faço planos. Será que você não viu? Será que você não consegue entender meus desejos? Não teria esperado nem estes dez dias se tivesse podido ler os seus sentimentos, como acho que você entendeu os meus. Mal consigo escrever. Estou a cada instante ouvindo coisas que me esmagam. Você abaixa a voz, mas posso distinguir tons nessa voz que aos outros passariam despercebidos. Criatura excessivamente boa, excessivamente excelente! Você nos faz justiça, sem dúvida. Acredita que o verdadeiro afeto e constância existam entre os homens. Creia que tal afeto é mais do que fervoroso e mais do que constante em F.W.
Tenho de ir, incerto de meu futuro, mas vou voltar para cá ou acompanhar o seu grupo, assim que possível. Uma palavra, um olhar serão o bastante para decidir se entrarei na casa de seu pai esta noite ou nunca mais.


Espero que gostem e se inspirem para vivenciar com ainda mais paixão esse Valentine's Day! Mas lembrem-se que ainda melhor do que se declarar é demonstrar com atitudes o quanto se ama…

Beijos! Até a próxima! <3 <3 <3

And the Oscar goes to...

Olá neblineiros!

Como estão? Carnaval passou e já voltamos a todo o vapor com as resenhas. Viram que temos colunista nova? 

vamos aproveitar o clima de festa e falar do momento mais esperado de Fevereiro, o Oscar 2016!!


Vamos conhecer os indicados


Melhor Filme

The Big Short
Bridge of Spies
Brooklyn
Mad Max: Fury Road
The Martian
The Revenant
Room
Spotlight

Melhor Diretor

Lenny Abrahamson – Room
Alejandro G. Iñárritu – The Revenant
Tom McCarthy – Spotlight
Adam McKay – The Big Short
George Miller – Mad Max: Fury Road

Melhor Ator

Bryan Cranston – Trumbo como Dalton Trumbo
Matt Damon – The Martian como Mark Watney
Leonardo DiCaprio – The Revenant como Hugh Glass
Michael Fassbender – Steve Jobs como Steve Jobs
Eddie Redmayne – The Danish Girl como Lili Elbe / Einar Wegener

Melhor Atriz

Cate Blanchett – Carol como Carol Aird
Brie Larson – Room como Joy "Ma" Newsome
Jennifer Lawrence – Joy como Joy Mangano
Charlotte Rampling – 45 Years como Kate Mercer
Saoirse Ronan – Brooklyn como Eilis Lacey

Melhor Ator Coadjuvante

Christian Bale – The Big Short como Michael Burry
Tom Hardy – The Revenant como John Fitzgerald
Mark Ruffalo – Spotlight como Michael Rezendes
Mark Rylance – Bridge of Spies como Rudolf Abel
Sylvester Stallone – Creed como Rocky Balboa

Melhor Artiz Coadjuvante

Jennifer Jason Leigh – The Hateful Eight como Daisy Domergue
Rooney Mara – Carol como Therese Belivet
Rachel McAdams – Spotlight como Sacha Pfeiffer
Alicia Vikander – The Danish Girl como Gerda Wegener
Kate Winslet – Steve Jobs como Joanna Hoffman

Melhor Roteiro

Bridge of Spies – Matt Charman, Ethan Coen e Joel Coen
Ex Machina – Alex Garland
Inside Out – Pete Docter, Meg LeFauve, Josh Cooley e Ronnie del Carmen
Spotlight – Josh Singer e Tom McCarthy
Straight Outta Compton – Jonathan Herman, Andrea Berloff, S. Leigh Savidge e Alan Wenkus

Melhor Roteiro Adaptado

The Big Short – Charles Randolph e Adam McKay por The Big Short de Michael Lewis
Brooklyn – Nick Hornby por Brooklyn de Colm Tóibín
Carol – Phyllis Nagy por The Price of Salt de Patricia Highsmith
The Martian – Drew Goddard por The Martian de Andy Weir
Room – Emma Donoghue por Room de Emma Donoghue

Melhor Filme de Animação

Anomalisa
O Menino e o Mundo
Inside Out
Shaun the Sheep Movie
Omoide no Marnie

Melhor Filme estrangeiro

El abrazo de la serpiente (Colômbia)
Krigen (Dinamarca)
Mustang (França)
Saul fia (Hungria)
Theeb (Jordânia)

Melhor Documentário em Longa Metragem

Amy
Cartel Land
The Look of Silence
What Happened, Miss Simone?
Winter on Fire

                                            Melhor Documentário em Curta Metragem

Body Team 12
Chau, Beyond the Lines
Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah
A Girl in the River: The Price of Forgiveness
Last Day of Freedom

                                                            Melhor  Curta Metragem

Alles wird gut
Ave Maria
Day One
Shok

Stutterer

Melhor Animação em Curta Metragem

Historia de un oso
Mi ne mozhem zhit bez kosmosa
Prologue
Sanjay's Super Team
World of Tomorrow

Melhor Trilha Sonora

Thomas Newman – Bridge of Spies
Carter Burwell – Carol
Jóhann Jóhannsson – Sicario
John Williams – Star Wars: The Force Awakens
Ennio Morricone – The Hateful Eight

Melhor Canção Original

"Earned It" por Fifty Shades of Grey – The Weeknd, Belly, Jason Quenneville e Stephan Moccio
"Manta Ray" por Racing Extinction – J. Ralph e Antony Hegarty
"Simple Song #3" por Youth – David Lang
"Til It Happens to You" por The Hunting Ground – Diane Warren e Lady Gaga
"Writing's on the Wall" por Spectre – Jimmy Napes e Sam Smith

Melhor Edição de Som

Mad Max: Fury Road
The Martian
The Revenant
Sicario
Star Wars: The Force Awakens

Melhor Mixagem

Bridge of Spies
Mad Max: Fury Road
The Martian
The Revenant
Star Wars: The Force Awakens

Melhor Direção de Arte

Bridge of Spies
The Danish Girl
Mad Max: Fury Road
The Martian
The Revenant

Melhor Fotografia

Carol – Ed Lachman
The Hateful Eight – Robert Richardson
Mad Max: Fury Road – John Seale
The Revenant – Emmanuel Lubezki
Sicario – Roger Deakins

Melhor Maquiagem

Mad Max: Fury Road
Hundraåringen som klev ut genom fönstret och försvann
The Revenant

Melhor Figurino

Carol – Sandy Powell
Cinderella – Sandy Powell
The Danish Girl – Paco Delgado
Mad Max: Fury Road – Jenny Beavan
The Revenant – Jacqueline West


Melhor Edição

The Big Short – Hank Corwin
Mad Max: Fury Road – Margaret Sixel
The Revenant – Stephen Mirrione
Spotlight – Tom McArdle
Star Wars: The Force Awakens – Maryann Brandon e Mary Jo Markey

Melhores Efeitos Visuais

Ex Machina
Mad Max: Fury Road
The Martian
The Revenant

Star Wars: The Force Awakens

E ai ansiosos para a entrega?  Continuem a nos acompanhar, pois estaremos fazendo a resenha de alguns indicados. 

quinta-feira, fevereiro 11, 2016

[Livro] O Duque e Eu

Olá neblineiros!

Sou nova na equipe e estou adorando o privilégio de fazer parte desse cantinho maravilhoso que essas meninas lindas cuidam com tanta dedicação, competência e carinho.
Pensei em começar com resenhas do gênero que mais gosto: romances históricos! Não dá para falar deles, na atualidade, sem falar em Julia Quinn. Foi a autora mais jovem a entrar para a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos, seus livros foram traduzidos para 26 idiomas, apareceu na lista dos mais vendidos do New York Times por 18 vezes. Por isso escolhi começar por ela com O Duque e eu, o primeiro da série Os Bridgertons.


Título Original: The Duke and I
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Páginas: 288
Ano: 2013

Eu sou muito apaixonada por Jane Austen e quando eu li O Duque e Eu, me senti revisitando os lugares e a cultura que tanto me conquistou. A história se passa na Inglaterra em 1813, que me faz lembrar que Orgulho e Preconceito foi publicado pela primeira vez também em 1813. E o meu preferido da Jane (tipo íntima…rsrsrs), Mansfield Park em 1814. As semelhanças não param por aí, também se pode esperar por diálogos recheados de ironia e humor ácido, um pouco mais escancarado com Julia abandonando a sutileza calculada de Jane. Outros pontos que gostaria de ressaltar são sobre as relações familiares, a riqueza com que abordam a trivialidade, suas percepções da natureza humana com seus defeitos e qualidades, a crítica social (talvez um pouco mais marcante em Jane) e há mais onde, no decorrer da leitura, talvez, possam sentir um dedinho de Jane inspirando Julia. Mas o que vai fisgar o leitor(a) que gosta do gênero, é que ambas românticas incuráveis nos levam a suspirar, cada uma a sua maneira: Jane mais conservadora, com pouquíssimas cenas de intimidade (Gênia, não precisa de nada além para nos fazer se apaixonar por suas histórias) enquanto Julia com delicadeza consegue ir mais longe, leva o leitor para o leito dos amantes, mas sem, em momento algum, ser vulgar.

Sinopse: Simon Basset, duque de Hastings, teve uma infância difícil. Seu pai, após perceber que o filho sofria de gagueira, o considerou morto, agia como se não tivesse um filho, como se o menino fosse uma pária indigno do sobrenome e do título que herdaria. Sua mãe morreu no parto e foi criado pela ama que fez de tudo para ajudar o garoto a superar o problema da gagueira e a ausência do pai. Aos 11 anos depois de muito treino, muito esforço em aprender a falar, achou que conseguiria enfrentar o pai. Mas o nervosismo trouxe a gagueira que o menino já conseguia disfarçar e mais uma vez foi humilhado. "Se não podia ser o filho que o pai queria, então seria exatamente o oposto." Se tornou o maior libertino que poderia ser, inteligente, disfarçava a gagueira que jamais era notada. As pessoas tomavam sua pouca fala, como reserva, o que fez dele ainda mais respeitado. Uma única certeza o acompanhava: nunca iria se casar, porque aquele título morreria com ele. Mesmo depois que o pai morreu, isso era um gosto que jamais daria a ele. O título que era tão importante para o pai, não teria nenhum valor para o filho.

Daphne era a mais velha das garotas da família Bridgerton, dum total de 8 irmãos (4 mulheres e 4 homens), com três irmãos mais velhos: Anthony, Benedict e Colin. Como em toda família com 4 mulheres, para sua mãe Violet (viúva) a maior preocupação era casar bem as filhas. Mas era algo complicado quando a filha era uma garota como Daphne, inteligente, espirituosa, e apesar disso os homens que se interessavam por ela, ou eram velhos demais, ou desprovido de inteligência ou sem charme; os que a interessavam gostavam tanto de conversar com ela que a tratavam como um deles. Tudo que Daphne não queria era ter que ficar a mercê da mãe e de seus planos mirabolantes para lhe arranjar um marido.

Depois de 6 anos fora, Simon, melhor amigo de Anthony (irmão mais velho de Daphne), vai para o baile com o intuito de entrar e sair em menos de meia hora. O que ele não imaginava era que agora um duque, mesmo libertino declarado, atrairia tanto as mães casadoiras de plantão. Irredutível quanto a jamais se casar vê na amizade de Daphne uma saída para se livrar das garras dessas mulheres. Faz a ela uma proposta que beneficiaria a ambos: fingir que a corteja. Ele não teria moças pulando em seu colo e ela atrairia vários pretendentes, uma vez que um duque estava interessado nela, outros a olhariam com outros olhos. E ele deixaria que o rompimento fosse feito por ela.

A farsa caminha bem, mas quanto mais tempo passam juntos mais se torna difícil não se apaixonar… (Não podemos culpar a Daphne, impossível resistir a esse libertino de olhos azuis… De tirar o fôlego!) E quando seus desejos sobrepujam o bom senso e são pegos em uma situação comprometedora, desafiado por Anthony para um duelo, ele prefere morrer a se casar com ela! Leia e descubra o que acontece...

Eu li três vezes! A primeira em menos 6 horas devorei a história. A segunda vez foi numa ocasião em que minha sogra se encontrava em minha casa e eu queria incentiva-la a ler, comecei a leitura com ela, mas ela precisou ir embora e eu terminei de ler sozinha e a terceira foi algo parecido só que com minha manicure que não gosta de ler, mas gosta quando eu leio para ela. Disse que eu faço as vozes e ela consegue enxergar os personagens e que sozinha não é a mesma coisa. Pois a cada semana que ia lá eu lia um trecho e deixei de ler no auge da história para ver se ela conseguia concluir sem mim (só que não), mas eu precisava do final e mais uma vez li sozinha o que faltava.

Já ia me esquecendo, seria um pecado não comentar sobre o jornal de fofocas de Lady Whistledown, chorei de rir por várias vezes… Todo mundo fala mal, mas ninguém deixa de ler!

Presenteei mais de meia dúzia de pessoas com esse livro. Será que eu gostei?! rsrsrsrs