terça-feira, maio 31, 2016

[Filme] Gabby Douglas

Olá neblineiros!

Eu avisei que tinha voltado, e como a Milla escreveu nesse post aqui, estamos nos organizando para trazer resenhas, e novidades para vocês.

Então, mudando de assunto, vamos falar sobre o filme de hoje:

Título Orginal: The Gabby Douglas Story
Diretor: Gregg Champion
Nacionalidade: Americano
Duração: 86 min

☁ ☁ ☁ ☁ 


Sinopse: A história da ginástica fenômeno internacional que superou todas as adversidades para se tornar a primeira Afro-Americana em ginástica artística nos Jogos Olímpicos.


O filme de hoje é um pouquinho diferente, aproveitando que lá em Março a Bruna fez a indicação da série Dance Academy e que estamos em ano de Olimpíadas, resolvi assistir a um filme que traz um pouco desse assunto.

Gabby Douglas, conta a história real da ginasta que se destacou nas Olimpíadas de Londres em 2012, superando muitas adversidades.

Gabby, é americana e negra, e por isso vemos algumas cenas de preconceito no filme, mas nada disso a impediu de seguir o seu sonho de ir para as Olimpíadas. aos 16 anos.

De origem humilde, sua mãe enfrentou uma barra para educar a ela e mais 3 irmãos mais velhos, chega um determinado momento que uma de suas irmãs, abre mão de praticar esportes para que a mãe invista em Gabby.

É uma história de motivação e superação. O filme está disponível no Netflix, e claro é para os fãs de dança e de ginástica. Em certos momentos, ela mesma pensa em desistir, porém, ela sempre conta com o apoio do mãe Natalie Hawkins.

Abaixo você confere um video de Gabby nas Olimpiadas de Londres.




Depois, de um sucesso meteórico, Gabby acabou se afastando das barras, porém em 2014 voltou a treinar e pretendia competir nas Olimpíadas desse ano. Não achei nada sobre a Seleção Americana, nos resta acompanhar o que vai acontecer até Agosto, e Claro torcer pelas meninas do Brasil. :)



domingo, maio 29, 2016

[Primeiras Impressões] Sleepy Hollow

Olá neblineiros!

Essa semana, começamos com resenha de série e terminamos com as Primeiras Impressão de uma série. Vamos conferir?

Título Original: Sleepy Hollow
Criadores: Roberto Orci, Alex Kurtzman, Phillip Iscove, Len Wiseman 
Nacionalidade: Americana
Duração: 42 min

☁ ☁ ☁ ☁



Sinopse: Em 1781, durante a Guerra de Independência dos Estados Unidos, Ichabod Crane (Tom Mison) era um soldado que lutava ao lado do General George Washington. Em enfrentamento com um cavaleiro inimigo, Ichabod o decapita ao mesmo tempo que o cavaleiro mata Ichabod. Agora, nos dias modernos em Sleepy Hollow, o soldado retorna à vida depois que o Cavaleiro Sem Cabeça é convocado de volta de seu túmulo. Agora, junto à Tenente Abbie Mills (Nicole Beharie), Crane auxilia na investigação a respeito do Caveleiro, que matou o Xerife August Corbin. Ao mesmo tempo, ele precisa entender e se adaptar à nova vida no Século XXI.

Sabe aquela série que fica aparecendo na sua lista de sugestões do Netflix? Então, isso aconteceu comigo e com essa série. Então aproveitando o feriado eu resolvi assistir ao primeiro Episódio intitulado "Piloto". 

O início é meio inusitado, e você é apresentado a uma personagem que está lutando pela Revolução Americana, ok,você observa uma guerra e não sabe identificar muito bem o que está acontecendo.  E de repente o cara aparece em uma caverna, e tcharam está no século 21. 

Ok...ok, parece um absurdo,  mas garanto que ao longo do piloto coisas interessantes vão acontecendo, e eu não vou me delongar se não teremos muitos spoilers.

A série aparenta ter muito pontos fortes, como uma trilha sonoro de dar nos nervos, ahh... esqueci de dizer a série é voltada para os fãs de terror, por isso as vezes você leva alguns sustos. Efeitos visuais, eu gostei bastante, principalmente por estar acostumada com os efeitos de OUAT. 

Vamos falar do elenco!? Eu não conheço os atores para ser bem sincera, porém Tom Mison, que interpreta a personagem Ichabod Crane, de origem britânica, o ator é pouco conhecido entre os brasileiros, já que participa de série e do teatro britânico. 



Nicole Beharie, é uma atriz Americana que dá vida a personagem Abbie, uma personagem de personalidade forte e bem determinada, também é pouco conhecida aqui no Brasil, por participar de filmes não comerciais. 


Curiosidades

A cor do Uniforme: O Cavaleiro Sem Cabeça é decapitado usando o tradicional uniforme vermelho do exército britânico. Porém, os mercenários contratados pela Inglaterra estariam usando seus próprios uniformes, distintos, com coloração diferente.


A Lenda do Cavaleiro sem cabeça: Assim como o filme dirigido por Tim Burton em 1999 (A Lenda do Cavaleiro Sem Cabeça), a série é uma adaptação da popular lenda americana que, na verdade, surgiu na Irlanda. O conto de Washington Irving, homônimo, surgiu baseado na história popular.

Fonte: Adorocinema

Achei legal trazer as curiosidades acima, porque essa não é a primeira adaptação do livro de Washington Irving. Em 1999 Tim Burton trouxe a estória a público através do filme de mesmo nome: A Lenda do Cavaleiro sem cabeça, com Johnny Depp e Cristina Ricci e você pode conferira resenha do filme aqui

O episódio de 42 minutos prende o telespectador na tela e faz você querer assistir ao próximo e ao próximo, e em poucos dias você assiste a primeira temporada. Lembrando que no Netflix e no Now ( para os assinantes da NET), temos 2 temporadas disponíveis. A Terceira, não localizei na FOX, apenas na versão online, porém no dia 05/06 a 1hr da manhã,  o canal irá passar a reprise da 1ª temporada, nos resta esperar para saber como eles vão proceder com a 3ª. A 4ª temporada já foi aprovada pelo canal americano (FOX) e já causou polêmicas, com uma das personagens principais. 

E você, já assistiu a série? OU esse é o primeiro contato com ela? Deixe o seu comentário aqui em baixo e me diz o que achou. 

E fiquem atentos aqui no blog, pois vamos trazer mais resenhas para vocês. 

terça-feira, maio 24, 2016

[Filme] Uma noite no museu 2

Olá neblineiros!

Promessa é divida!

Eu comecei lá em Março, um especial sobre os filmes de Uma Noite no museu, você pode conferir a resenha do primeiro filme aqui. Então, vamos voltar ao mundo de Larry?


Título Original: Night at the Museum: Battle of the Smithsonian
Diretor: Shawn Levy
Nacionalidade: Americano
Duração: 1h 45 min

☁ ☁ ☁


Sinopse: Larry Daley (Ben Stiller) deixou o posto de guarda noturno há dois anos, abrindo sua própria empresa. De vez em quando ele volta ao Museu de História Natural, onde trabalhava, para rever os amigos que, à noite, ganham vida. Só que o museu está prestes a passar por uma reforma visando sua modernização, o que fará com que vários dos bonecos de cera sejam substituídos por máquinas que permitem a interação com o público. Eles são enviados ao Instituto Smithsonian, em Washington, o maior complexo de museus do mundo. Um dia Larry recebe um telefonema desesperado de Jedediah (Owen Wilson), o caubói diminuto, pedindo sua ajuda. Larry invade o Smithsonian e descobre que o faraó Kahmunrah (Hank Azaria) despertou, tornando-se uma ameaça não apenas para seus amigos como para o planeta.

Depois de um filme, digamos eletrizante e um pouco de comédia, voltamos para Nova York, e encontramos Larry em outra condição, e seus amigos no museu estão passando por maus bocados. É nesse momento que ele retorna e descobre que o museu vai passar por uma modernização, e os bonecos serão enviados para Smithsonian.

Quando, você acha que nada pode piorar, ele é chamado pelos amigos a ir até o museu em Washington.  Só que, o lugar é enorme e para vasculhar o local e encontrar os amigos ele conta com a ajuda de Amelia Earhart (Amy Adams).  O filme, em si, tem quase as mesmas piadas que o anterior. O ponto alto é a participação de Amy, como Amélia, ela trás energia e dinâmica para o filme.

Robbin Willians, fica em Nova York, e temos apenas o vislumbre de seu busto no museu. Hank Azaria, também entra para o elenco como o faraó Kahmunrah, irmão mais velho de Arkmenra.  O filme é envolto de mistérios envolvendo a placa. Mais, eu não vim aqui falar do filme, vim falar da atuação do elenco, efeitos visuais e Abraham Lincoln.

Destaque para Hank Azaria, que interpreta 3 personagens no filme, o faraó, a estátua de O pensador.
e ninguém menos que a estátua de Abraham Lincoln, que está no capitólio.





Ok...ok, ele dá voz as personagens,provando o quanto ele é versátil  Amy Adams também, foi uma ótima aquisição para o elenco, trazendo um pouco da coragem e determinação de Amélia, está certo que ela é um pouco espevitada, mais ela traz leveza e sabedoria para o filme.

Como uma pessoa, não fã do Ben Stiller, a atuação dele é boa, mais não sinto a sua veia cômica, que fica or conta dos macaquinhos e dos mini Einstein.

OS efeitos visuais ficam, evidentes em cenas como o polvo gigante, e quando Lincoln, vai falar com Amelia e Larry.

Os atores roubam a cena, temos efeitos visuais e os macaquinhos fofos que realmente roubam a cena quando aparecem.

No geral é uma ótima comédia para se assistir com a família, ou sozinho mesmo porque o importante é dar risada. Uma curiosidade sobre o filme, ele realmente foi gravada no museu Smithsonian, foi o primeiro filme a conseguir esse fato, e só por observar toda aquela arquitetura já vale a pena.

E você já assistiu ao filme? Deixe a sua opinião sobre ele aqui nos nossos comentários. Beijos e até a próxima.


segunda-feira, maio 23, 2016

[Filme] O Destino de Jupiter

Olá neblineiros!

Para compensar a minha falta em Abril, resolvi trazer mais algumas resenhas para vocês nessa semana, e teremos resenhas de livro, filme, menos de série (todos choram), porque eu ainda não consegui me atualizar. Então, vamos a mais um filme.

Título Original: Jupiter Ascending
Diretor: Andy Wachowski, Lana Wachowski
Nacionalidade: Americano
Duração: 2h 07 min

☁ ☁ ☁ ☁ ☁



Sinopse: Jupiter Jones (Mila Kunis) é a descendente de uma linhagem que a coloca como a próxima ocupante do posto de Rainha do Universo. Sem saber disto, ela segue sua vida pacata trabalhando como empregada doméstica nos Estados Unidos, país onde vive após deixar a Rússia. Um dia, ela recebe a visita de Caine (Channing Tatum), um ex-militar alterado geneticamente que tem por missão protegê-la a todo custo e levá-la para assumir seu lugar de direito.

Fazia um tempinho que eu queria ver esse filme, e ai que a HBO ficou com o sinal aberto por causa de GOT, e eu aproveitei para ver o filme (menos GOT, porque né... são 6 temporadas ... u.u) 

E gente... não é que a espera valeu muito a pena? O filme tem tudo o que um fanático por alienígenas gosta, além de se superar nos efeitos visuais, em fotografia, maquiagem e figurino.

O filme é dirigido pelas Irmãs Wachowski, da trilogia Matrix e Sense 8. Eu nunca assisti Sense 8 e achei Matrix bem confuso,  mas a história de Júpiter flui tão bem que você não consegue desgrudar da TV.

Os efeitos visuais são o ponto alto do filme, dando vida a alguns alienígenas. A fotografia nos leva ao espaço e em alguns lugares dos Estados Unidos.

O que dizer do elenco? Para quem não é fã da Mila Kunis, pode se surpreender com ela durante a evolução do filme. Ponto alto é a interpretação de Eddie Redmayne (Animais Fantásticos e Onde habitam e Teoria do Tudo), ele é um dos vilões do filme, e conforme ele vai ganhando espaço você percebe o grande potencial que ele têm .

Figurino

O figurino que na minha opinião, ficou espetacular, ficou a cargo de  Kym Barrett, ela foi figurinista da série Matrix. Abaixo, algumas fotos:








Confiram abaixo o trailer:

Trailer



Vale apena conferir. Depois, passe aqui e deixei o seu comentário sobre o filme. Até a próxima. 



quinta-feira, maio 19, 2016

[Reassistindo] Batman versus Superman: A Origem da Justiça

Oi, pessoal!
Como estão?
Eu vou indo haha
Mas não vi falar de mim. Vim lhes trazer uma resenha.
O filme estreou há séculos, mas sabe, só assisti essa semana por motivos de sem dinheiros. Aliás, a Bruna escreveu uma resenha alguns dias antes da estreia, leia aqui.

Enfim, o filme em questão é Batman versus Superman: A Origem de Justiça.



O filme começa com as mortes dos pais de Bruce. Antes de falarem SPOILER, vocês sabem que a morte dos pais dele é um dos fatores de Bruce se tornar Batman, não sabem?
Pois bem. Pais do Bruce morrem. Agora temos Bruce adulto (Ben Afleck).
Após os eventos ocorridos em o Homem de Aço, o Cavaleiro de Gotham City e outros cidadãos questionam que tipo de herói é o Superman (Henry Cavil). Metrópolis foi destruída pela metade durante O Homem de Aço, causando diversas mortes e prejuízo, além de o Superman ser visto como um deus por algumas (muitas) pessoas (ele é um alien, lembram? Super força, olhos laser, etc), já que ele passa seu tempo salvando-as.



Além disso, os dois acham que o outro é um assassino. Quer dizer, os jornais noticiam criminosos mortos/capturados pelo Morcego, enquanto o Homem de Aço é dito como responsável pelo pejuízo e mortes na guerra contra Zodd no filme anterior.
No meio disso, temos quem? A melhor pessoa do filme: Alexander Luthor (Jesse Einseberg).
Ele é outro que vê Superman como ameaça e tenta fazer com que a kriptonita seja importada pra ele examinar e quem sabe fazer algo que conrole ou derrote o Superman.
Após determinados eventos, Luthor faz com que eles dois sejam forçados a lutar contra o outro.
Bem, não posso contar muita coisa se não revelarei demais.



Pra ser sincera, em alguns momentos fiquei bem "???", principalmente no final., em dois momentos. Um é "Martha", o outro é quando Batman tem A. PIOR. IDEIA. DE TODAS.

Mas, apesar disso, vale a pena assistir sim. O filme não é só "a maior batalha de gladiadores do mundo", como descreveu Luthor. Trata de proteger aqueles de ama, de até onde você iria pra salvá-los, do que é de fato a justiça, e também de xenofobia. O Superman é visto como o inimigo por alguns por ser diferente. Algumas pessoas se machucaram durante a batalha contra Zodd, mas numa guerra sempre há perdas. O Homem de Aço salva as pessoas sem esperar nada em troca. Batman também, apesar de sua motivação pessoal.
O problema é a narrativa. Não foi muito bem contada,as motivações de um e outro pra se engalfinharem poderiam ser resolvidas numa simples conversa ao meu ver rs e a motivação do fim da briga é igualmente ridícula.
Batman versus Superman, mesmo que não conte bem sua história, vale a pena ser assistido. Me deixou ansiosa pra Liga da Justiça.

segunda-feira, maio 16, 2016

[Série] Scorpion

E aí, galera, como andam? Estamos um pouco sumidas, porém estamos tentando nos organizar para trazer mais resenhas para vocês :)

Hoje eu vou falar um pouquinho do seriado "Scorpion", indicado por uma amiga:

País: Estados Unidos
Duração dos episódios: Entre 30 e 40 minutos
Gênero: Crime, Drama, Ação

☁ ☁  

Sinopse: A série é baseada na história de Walter O’Brien, o homem com um dos QI (Coeficiente de Inteligência) mais elevados do mundo, maior até que o de Albert Einsten. A trama segue o excêntrico Walter (Elyes Gabel), responsável por montar a "Scorpion", uma equipe de gênios que unem suas mentes contra ameaças do mundo moderno. Além disso, eles possuem outro desafio, talvez ainda mais contante: o de se socializar. Entre os membros da equipe estão Toby (Eddie Kaye Thomas), um gênio especializado no comportamento humano; Happy (Jadyn Wong), gênio da mecânica; e Sylvester (Ari Stidham), um gênio das estatísticas. 

"Scorpion" chega com uma proposta já conhecida, explorada em produções como "CSI" e "NCIS", onde um grupo de pessoas se reúne para encontrar a solução para crimes diversos. Um dos diferenciais do seriado em questão, é que o mesmo baseia-se na história de vida real de uma pessoa, o que já é bem bacana. Walter, um homem gênio, que esbanja excentricidade, se junta com mais três amigos, também gênios, também bem excêntricos, e a princípio a equipe não consegue muita coisa. Não é até a chegada do Agente Cabe Gallo (Robert Patrick), um antigo conhecido de Walter e Paige (Katharine McPhee), uma mulher que trabalha de garçonete e que possui um filho gênio, que o grupo ganha liga.

Outro diferencial é que, como eu disse, Walter, Toby, Happy e Sylvester são bem singulares, onde lê-se: possuem pouquíssimas habilidades sociais, ou segundo os próprios, um coeficiente emocional baixo. Não tem como não se identificar! Eu, particularmente, não sou a louca das relações sociais, sempre fico tímida e um tanto ansiosa, então obviamente rolou aquela identificação com os personagens. Só me faltou a parte de ser gênio mesmo rs. Acredito que esses quatro personagens são o grande ponto de atenção para o show, embora Walter particularmente possa te irritar em alguns momentos. Toby, Happy e Sylvester são só amor, gente!

Verdadeiro Walter O'Brien :)

"Scorpion" traz uma mistura boa de "humanas" e "exatas" (e "biológicas" também rs), principalmente de exatas, falando sobre coisas de matemática, física, computação, entre outras áreas, que sinceramente eu dou uma viajada e não consigo acompanhar muito, embora seja inevitável aprender uma coisa ou outra. Contudo a série também peca, e como peca, "justamente pelo mesmo motivo". Acontece que ao abordar o tema das ciências, as situações nas quais eles se envolvem beiram, e por vezes passam, a linha do acreditável. Essa tem sido uma pontuação constante feita pelas pessoas que acompanham o show e os "absurdos" incomodam. Os efeitos especiais, quando utilizados, também não possuem tão boa qualidade.

Dito isso, foram os personagens que me fizeram gostar da série e são o motivo pelo qual continuo a assistir. Ainda espero bastante desenvolvimento deles e maior exploração de suas histórias pessoais, porém isto vem sendo trabalhado num ritmo bom.

A série já está se encaminhando para a terceira temporada, que estréia no segundo semestre deste ano.

Fica aí uma indicação para quem gosta de séries com personagens nerds (essa é uma em que eles são maioria <3), resoluções de crimes e claro, um pouquinho de romance *-*

sábado, maio 14, 2016

[Filme] Um conto do destino

Olá neblineiros!

Como passaram a semana?
Conferiram o nosso especial do Dia das mães, publicado no domingo passado? Se não, pode conferir nesse link 

Título Original: Winter's Tale
Diretor: Akiva Goldsman
Nacionalidade: Americano
Duração: 1h 58 min

 ☁ ☁



Sinopse: Esta história fantástica, baseada em um romance literário, se desenvolve tanto na Manhattan dos dias atuais quanto no século XIX. Durante um inverno rigoroso, Peter Lake (Colin Farrell), um mecânico irlandês, decide roubar uma imensa mansão, fechada como uma fortaleza. Ele tem certeza que a casa está vazia, mas acaba encontrando uma garota (Jessica Brown Findlay) no interior. Quando ele descobre que ela está prestes a morrer, nasce uma história de amor entre os dois.

Eu peguei o filme por acaso, achei  por uma pechincha na Americanas (Melhor Loja para comprar DVD), enfim a sinopse me chamou a atenção e resolvi assistir.  O filme é longo e decepciona. Na metada do filme eu já havia perdido o interesse o papel de Colin Farrell não é muito convincente. Ganha pontos com a trilha sonora, fotografia e efeitos visuais.

O filme passa mais fa metade do tempo no século XIX, e conta a história triste de Peter, que foi abandonado pelos pais, devido a um deles estar com tuberculose, a muitos anos atrás a doença era contagiosa e matava com facilidade, devido as condições de higiene. Os anos passam e Peter é um homem feito em Nova York. Gratas aparições de Russell Crowe e Will Smith, como Satan.

Os efeitos visuais são muito bons, principalmente nos momentos em que Crowe se transforma, e a fotografia. muito bem elaborada. Agora, vamos falar do enredo, apesar de ser muito bem escrito, poderia ter sido muito melhor explorado, afinal o filme é uma adaptação de um livro do mesmo nome.

Se você gosta de magia esse filme vai atender as suas expectativas. Se você gosta de romance, também irá se encantar, assim como os fãs de dramas.

Trailer




Curiosidades

Winter's Tale é uma adaptação do romance de mesmo nome, escrito por Mark Helprin em outubro de 1983. Em 2006, o New York Times Book Reviews fez uma grande enquete para escolher os romances americanos mais importantes dos últimos 25 anos, e Winter's Tale foi um dos 22 títulos escolhidos.

Não se esqueçam, de deixar nos comentários as impressões sobre o filme. Até a próxima.

domingo, maio 08, 2016

Especial Dia Das Mães

Olá neblineiros!

Hoje é um dia muito especial, afinal hoje é o segundo domingo de maio, e estamos comemorando o dia Das Mães. Então, para comemorar esse dia, resolvemos escolher algumas escritoras que também se destacaram em outra atividade, a de ser mãe. Vamos conhece-las? 


J.K. Rowling

Claro, que a nossa autora favorita, não poderia ficar de fora dessa lista não é? J.K, é a autora da famosa série Harry Potter e mãe de: Jessica Arantes, Mackenzie Murray, David Murray



Clarice Lispector

Foi uma premiada escritora e jornalista pernambucana e mãe de : Paulo Gurgel Valente, Pedro Gurgel Valente.
















PC Cast

É autora da série House of  Night que ela curiosamente escreve com a sua filha: Kristin Cast.


Agatha Cristie

A Rainha do crime não poderia ficar de fora. Apesar de ter um passado misterioso Agatha, que foi casa duas vezes, teve uma fílha no primeiro casamento: Rosalind Hicks













Jamie McGuire

É a autora  da série  Belo Desastre, e mães de três filhos.

















Richelle Mead

É autora da série academia de Vampiros, e em 2011 teve seu primeiro filho e em 2014 o segundo.















E vocês, conhecem alguma mamãe escritora? Nos conte aqui nos comentários.