terça-feira, janeiro 31, 2017

[Filme] La la land - cantando estações


Olá neblineiros! Tudo bom com vcs?

O maior evento cinematográfico está chegando e aquelas famosas palavrinhas... “..and the Oscar goes to...” que nos paralisa por alguns segundos, vai tomar as nossas telas no dia 26 de fevereiro. E é claro que eu não poderia deixar de assistir  “LA LA LAND – CANTANDO ESTAÇÕES” que recebeu 14 indicações, incluindo de Melhor Filme, igualando com “Titanic” e “A malvada”.  Só com essa informação já me senti no dever de conferir nas telonas!



Dirigido por Damien Chazelle, que inclusive concorre ao Oscar de Melhor Diretor, a história se passa em torno dos sonhos do pianista de Jazz, Sebastian (personagem contracenado por Ryan Gosling, indicado ao Oscar de Melhor Ator) e pela atriz iniciante, Mia (Emma Stone, que também concorre na categoria de Melhor Atriz). Na cidade de Los Angeles eles se conhecem e se apaixonam perdidamente, ao mesmo tempo que lutam pela chance do emprego que tanto amam.

Obviamente que com 14 indicações a minha expectativa estava lá no céu! Mas preciso te confessar que o filme superou! Logo eu que não sou lá tão fã de musical, o filme ficou incrível com cada parte sonora! Sem falar da pegada vintage que me fez recordar a eterna Audrey Hepburn.

Original é a palavra que me veio à cabeça logo que saí do cinema. Diferente de tudo que temos visto durante anos! E olha que nesses tantos anos tiveram filmes excelentes! No entanto, as características levam você jovem telespectador, que assim como eu infelizmente não é da Era do Ouro do Cinema (filmes hollywoodianos produzidos nos anos 20 aos 60), a embarcar num túnel retrô e ter a mágica oportunidade de ver algo muito semelhante nos dias de hoje! E se puder ter o privilégio de ir ao cinema, muito melhor! Quanto a você que vivenciou os anos 20 a 60... Ora, o que dizer a você?! Seria mais no estilo túnel do tempo nostálgico! Que inveja!

Críticas negativas? Eu realmente não tenho. A fotografia está ma-ra-vi-lho-sa!!! O elenco, mais que perfeito, principalmente os atores principais!!! (Meninas, Ryan Gosling está mais lindo e charmoso do que nuuuuuncaaaaaaaa! Hahahahaha!)

Bom, eu falei sobre sonhos, amor. A coisa é realmente linda! Mas tem aquela pegada da realidade que fez ganhar mais ainda meu coração. Ao escolher assistir este filme, você com certeza não estará indo ver nenhum conto de fadas. A grande questão são sobre as escolhas que fazemos. Toda escolha precisa de uma renúncia e, assim sendo, não significa que será fácil ou difícil. Todavia, somos movidos pelo que amamos e a cada um de nós cabe o seu preço. Isso é fato. E o filme traz essa abordagem de forma espetacular!

Minha classificação são 5 estrelas sem nem precisar pensar duas vezes! Alguma dúvida que você realmente precisa dar um pulinho no cinema?? Hahah

E se você já o assistiu me conta o que achou!!

Nos vemos na próxima, beijos!








segunda-feira, janeiro 30, 2017

[Autor do Mês] Dan Folter

Olá neblineiros!

Ontem eu fiz uma prova e acabei não conseguindo postar o nosso autor do mês. :(

Mas, sem demora vamos conhecer o autor Dan Folter, nosso autor parceiro:


Biografia


Daniel Regis Martins nasceu num sábado, pouco antes do carnaval de 1979 e, de lá pra cá, vem se esforçando para tornar o mundo um lugar menos entediante. Rasgou a garganta antes dos dois, foi mudo, fanho e finalmente, um tagarela. É técnico em eletrônica e analista de sistemas, mas está estudando letras para deixar esse mundo de exatas para trás. A literatura é só uma de suas muitas paixões como a fórmula 1, Led Zeppelin, cachorros, seus amigos mercenários e sua esposa Fernanda.


Abaixo, você confere a capas, do livro: "O Mistério de Boa Esperança":




O Mistério de Boa Esperança, foi lançado pela Chiado Editora e já está disponível nas melhores lojas.

domingo, janeiro 29, 2017

[Livro] Endgame: O Chamado



Olá, pessoal!
Desculpem pela ausência! Mas cá estou!
espero que estejam aproveitando essas férias ou, caso estejam trabalhando, que estejam tendo bons dias :D
Então, a resenha de hoje é de um livro que até já tinha ouvido falar, mas não dava muita bola haha Até por que já gostava de sagas, com as coisas da faculdade e, como disse, nunca me atraiu. Mas aí eu ganhei esse livro e ,bum, que história!
Estou falando de Endgame: O Chamado.

Resultado de imagem para endgame

Título Original: Endgame - The Calling
Autor: James Frey e Nils Johnson-Shelton
Páginas 504

O livro mostra a história de doze adolescente, de doze linhagens lendárias, as quais, geração após geração, foram treinadas para o Endgame. Fora treinadas em idiomas, vários tipos de lutas e no uso de diversas armas. São pessoas altamente letais, mas, disfarçadamente, enquanto tinham rígidos treinamentos, levavam uma vida normal. Até que acontece O Chamado. Doze jovens entre treze e vinte anos irão lutar entre si até que um seja vencedor.
Até que lembra Jogos Vorazes, não? Mas são universos totalmente distintos. em Jogos Vorazes, as lutas são televisionadas, aqui é tudo secreto. Além das linhagens, ninguém mais sabe do Endgame, nem que, quando um lutador morre, sua linhagem corre risco. Pois apenas a linhagem vencedora pode sobreviver ao evento, que ninguém sabe o que ou quando é.
Como eu disse, não esperava nada, não sabia nada da história e fui bem surpreendida. Gostei muito do livro e já tô lendo o segundo, A Chave do Céu.
São doze linhagens, doze jovens, de diversas partes do mundo. Temos Sarah Alopay, de Omaha EUA; Jago, do Peru; An Liu, da China, entre outros cada um disposto a fazer o que for pra salvar sua linhagem das consequências do Evento. Conhecemos suas vidas antes do Chamado, um pouco de suas personalidades, ideologias a respeito do Endgame...
Quem sabe, ao ler, vocês acabem torcendo por alguém, ou tendo personagem favorito? Quem sabe? rs
Valeu supera pena a leitura, gostei muito de endgame. Dificilmente um livro com uma capa dourada tão linda seria ruim. Ok, não julguem um livro pela capa haha
Até!

segunda-feira, janeiro 23, 2017

[filme] Triplo XXX: reativado



Eu vi os primeiros 20 minutos de Triplo XXX: reativado na Comic Con 2016 e claro que fiquei muito curiosa em ver o restante do filme. Esses minutos iniciais já me mostraram que o filme teria muita comédia e ação e eu adoro esses gêneros!  Além do mais, Hey, eu conheci a Nina Dobrev e o Vin Diesel! É claro que eu veria o filme deles! 







Então, fui ver Triplo XXX: reativado em seu dia  de estréia na rede cinemark da minha cidade.
No terceiro filme da franquia Triplo X, Vin Diesel é Xander Cage, atrás de recuperar um equipamento mortal chamado "caixa de pandora" junto da sua equipe, escolhida a dedo por ele, os melhores e mais loucos Triplo X do mundo.

O que falar do filme? Em triplo XXX: reativado tem explosões, lutas, carros, luta entre carros, motos andando no mar e pessoas com roupas sexy ao extremo. É, é engraçado e meio doido, mas é bom. 
O filme tem algumas cenas bem exageradas, seja em efeitos especiais ou em enaltecimento ao protagonista Xander Cage, mas no geral esse é um ponto que te diverte. Algumas cenas são previsíveis também, o que era de se esperar nesses filmes de ação.

Pontos que me ganharam:
Nina Dobrev - a personagem dela é uma fofa! Todos sabem que A-DO-RO a atriz, admiro demais seu trabalho e posso não estar conseguindo ser parcial, mas amei Becky!

O filme tem ação o tempo todo! Sério, os personagens vivem intensamento do começo ao fim do filme. O que é surreal, mas também é muito bom de se assistir! 

Quer minha opinião? Se deixe levar, entre na onda dos persos de esperar tudo de Xander Cage se divirta!

Aposto que teremos sequência! 

Vocês assistiram? Me contem suas opiniões.

até mais!


domingo, janeiro 22, 2017

[LIVRO] IT - A Coisa



Olá neblineiros! Hoje vou estrear minha primeira resenha de meu autor favorito, Stephen King, que já li doze maravilhosos livros dele. Esse é o segundo maior livro que já li (o primeiro lugar é outro do King, A Dança da Morte, com 1248 páginas pela Ed. Objetiva), mas que justifica bem o seu tamanho e a necessidade de não dividir a história em volumes. Pelo tamanho e pela complexidade da trama vou passar pelo mesmo o conceito básico aqui.


Título Original: It
Autor: Stephen King
Páginas: 1103
 




  A história é alternada entre partes da história que se passa em 1958 e 1985, seguindo os personagens em sua infância e fase adulta. Inicialmente, nós seguimos a história de sete garotos (Bill, Richie, Eddie, Stan, Mike, Ben e Beverly) durante sua infância na peculiar cidade de Derry em 1958. Conhecemos respectivamente suas famílias, personalidades, sonhos, medos (principalmente) e todos os detalhes possíveis de serem dados para que aquelas crianças sejam tão reais ao leitor ao ponto de confundir com um de seus próprios amigos de infância.


  Vemos como esses garotos, cada um é deslocado de seu jeito, criam um maravilhoso vinculo de amizade que os ajuda a passar por várias situações difíceis em sua infância. Dentre essas, nada de muito preocupante, o fato de que há uma série de desaparecimentos e assassinatos brutais de crianças na cidade.


  Alguma coisa está assombrando Derry, uma coisa que há nenhuma e todas as formas ao mesmo tempo. Mas se você a encontrar, seja dentro de um bueiro escuro ou em seus sonhos, provavelmente ela aparecerá como o aparentemente simpático Pennywise, o Palhaço Dançarino.


  It é um livro que trata da diferença em como uma criança e um adulto enxergam e encaram seus medos.  Que ao passar dos nos eles aparentemente mudam segundo nossas prioridades e realidade em que vivemos. Vampiros se transformam em desilusões amorosas. Lobisomens em contas atrasadas. Zumbis em medo de ficarmos sós.


  Mas no fim das contas, não importa a forma que se apresenta o medo, a sensação ainda é a mesma. O que importa de verdade é nossa reação para ele. Deixaremos que nos paralise, domine e nos devore? Ou o enfrentaremos de uma vez por todas?


  O livro trabalha com os dois lados do horror clássico: o psicológico e o sobrenatural. O psicológico se vê no drama pessoal dos personagens, no desenvolvimento do elemento humano no decorrer da história (tratando de temas como traumas paternos, obesidade, hipocondria, infertilidade e outros). Já o sobrenatural vem na própria figura do Pennywise. 


  Nos dois lados é um livro pesado (talvez tanto quanto Pet Sematery), que apenas durante a leitura se perceberá qual forma que mais afeta nós pessoalmente. O elemento sobrenatural é tratado de forma peculiarmente lovecrafitiana, que é meu elemento favorito dela, onde as regras e conceitos são tão abstratamente fora de nossa realidade e compreensão comum que só funciona quando associamos em analogia com vários elementos de nosso dia a dia.


  Apesar de ter um grande trabalho neste subcontexto do horror fantástico, o que mantém essa história viva é se o leitor se importará com a construção dos garotos de Derry e em como eles reagem aos eventos. It é uma ótima oportunidade para quem nunca se aventurou na literatura do horror, que fará uma excelente transição para outros maravilhosos clássicos desse gênero.


  DICA: Há uma adaptação cinematográfica feita em 1990 do livro, que, apesar da icônica representação de Tim Curry de Pennywise, falha em vários aspectos na adaptação da história. Este ano será lançado outra versão pelo diretor Andrés Muschietti, que conta com a bênção do próprio autor King (juntamente com a outra adaptação que será lançada esse mesmo ano, The Dark Tower) e uma impressionante primeira impressão do Palhaço Dançarino por Bill Skarsgard.       

sexta-feira, janeiro 20, 2017

[Livro] O Velho e o Mar

Olá, Neblineiros. Minha primeira resenha de 2017 será sobre um livro escrito por um autor de escrita única: ''O Velho e o Mar'', uma das obras mais famosas do premiado autor Ernest Hemingway, que dois anos após a publicação, ganhou o Prêmio Nobel de Literatura. O livro é curtíssimo, não chega sequer a ser dividido em capítulos, e pode ser lido de uma vez só.


Título Original: The Old Man and the Sea
Autor: Ernest Hemingway
Páginas: 114

☁ ☁ ☁ ☁ ☁


‘’O Velho e o Mar’’ conta a história de Santiago, ou apenas ‘’o velho’’, um idoso pescador que está há 84 dias sem pescar um peixe. Seu jovem ajudante de pescaria, Manolin, ‘’o menino’’, foi obrigado pelos pais a abandona-lo e mudar-se para um barco dito ‘’de sorte’’, mas ele não consegue desfazer-se da amizade com o velho e o incentiva a continuar tentando. Perseverante, Santiago vai ao oceano esperançoso de finalmente conseguir um bom peixe para vender, resolvendo navegar até o mar alto. A história segue narrando as dificuldades que ele terá de enfrentar para conseguir seu objetivo, destacando as conversas que o pescador trava com o mar, seu velho companheiro, causadas principalmente pela solidão de passar horas sozinho e pelo cansaço causado pela longa odisseia, chegando até a falar em voz alta, como quem conversa consigo mesmo. Se é loucura ou não, cabe ao leitor julgar.

Apesar da triste realidade mostrada pelo livro, uma mina de ouro para uma abordagem mais dramática e lacrimosa, o autor mantém do início ao fim o mesmo tom descritivo e direto de passar a história ao leitor, não se alterando sequer no momento de clímax. A trama apenas não tem caráter documental por se deixar levar pelos pensamentos do velho Santiago, que divaga pelas idas e vindas de sua jornada de forma ora filosófica ora realista, mas com um raciocínio sempre esperançoso, que o leva a não desistir e encarar de forma prática seus desafios. Explica melhor o escritor Luiz Antonio Rocha, na apresentação da edição publicada pela editora Bertrand Brasil: ‘’Hemingway buscava uma prosa calcada na linguagem jornalística (…) sem embelezamentos, econômica e contundente, quase descritiva, baseada em verbos e substantivos e não em adjetivos ou no que considerava excessos emotivos.’’

Em resumo, ‘’O Velho e o Mar’’ é um livro realista. Não pretende se mostrar mais do que realmente é, e nem por isso é menos capaz de causar reflexão. Ao contrário, pode até dar possibilidade maior ao leitor de captar sua mensagem da forma mais natural possível, e liberdade de velejar pelo oceano envolto nas esperanças de um simplório pescador.