domingo, fevereiro 19, 2017

[Filme] Aliados


Olá neblineiros! Tudo bom com vcs?!


Nesse final de semana tive o privilégio de assistir mais um filme bom nas telonas do cinema! “Aliados”, protagonizado por nada menos que Brad Pitt e a linda atriz francesa Marion Cotillard, é um filme dirigido por Robert Zemeckis que superou minhas expectativas, subindo na lista dos melhores filmes que já assisti.


A história se passa na Segunda Guerra Mundial com uma importante missão para executar o embaixador nazista na Casablanca, Marrocos. Ora, falar sobre essa época já não é fácil levando em conta ser um dos maiores pesadelos já vividos na história da humanidade. Requer, portanto, cuidado, atenção, amor para com aqueles devastados da alma até a morte dos seus entes queridos.

Uma mistura de ódio para com aqueles terrores do tempo somado ao amor de dois colegas que se unem com o propósito de eliminar uma figura pública do alto escalão hierárquico, Max (personagem vivenciado por Btad Pitt) e Marianne Baeausejour (protagonizado por Marion Cotillard) devem ser excepcionais em seus trabalhos, além de uma forte conexão e experiência. E tudo isso eles têm de sobra!

De um casal em missão para um casal apaixonado, embora sejam tempos ruins, um pouco de amor caiu muito bem sobre eles e aqui eu faço um parêntese para parabenizar esses ilustres atores que com certeza deram o melhor de si nesse trabalho, pois do meu modesto ponto de vista, a interação e talento dos dois os tonaram impecáveis a título de Oscar. 

Eles casam e tem uma filha. Tudo parece literalmente saído do cinema, se não fosse por um pequeno detalhe: Marianne corre suspeitas de ser uma espiã e estar, por conseguinte, unida aos alemães. Toda essa informação é sigilosa e Max, como se não bastasse sofrer as perseguições da guerra, agora vive de um mal tão grave quanto dormir ao lado de uma mulher, todos os dias, que na verdade pode ser sua pior inimiga. Aquela que é mãe da sua filha, porém, amiga íntima dos nazistas.

O que resta fazer? A investigação começa e a grande “sentença” é decretada: se Marianne for mesma uma espiã, cabe a Max assassiná-la. Se não o fizer, os dois serão.


A coisa parece que ficou bem puxada, não?! E você não faz ideia até realmente checar de pertinho e de preferência nos cinemas! Porque filmes bons como esse merecem serem vistos naquelas poltronas mágicas... e se você é de Londrina, a sala VIP do catuaí é a que está transmitindo! Nem preciso dizer o quanto aquela sala é deliciosa né?! E nem estou ganhando absolutamente nada por essa propaganda! Hahahaha! Apenas para te dar a “dica” que esse filme vale a pena e com uma sala das boas é a combinação perfeita! ;)

E se você já assistiu, deixe sua opinião! Vou adorar bater um papinho!

Uma ótima semana! E até breve!





quarta-feira, fevereiro 08, 2017

[série] Santa Clarita Diet

Oi neblineiros, tudo bem?

A review hoje é sobre uma das novas apostas originais da Netflix: a série Santa Clarita Diet, protagonizada por ninguém menos que a queridinha de Hollywood, Drew Barrymore! 



A sinopse do episódio piloto é a seguinte: "O casamento de Joel e Sheila melhora quando ela desenvolve uma nova personalidade e começa a topar tudo. E pensar que eles eram tão normais..."

MUITA CALMA NESSA HORA! Por mais que pareça, não tem nada tão  pesado acontecendo! Sheila apenas virou um...zumbi! Simples assim. Da noite para o dia! E ela e Joel vão tentar adequar seu novo "estilo de vida" ou seria melhor dizer de morte? para continuarem a ter uma vida normal como corretores de imóveis e com sua filha Abby. Porque é super normal morrer e voltar como uma zumbi que come carne humana né gente? 



A série, obviamente, é uma comédia. O que é uma boa aposta para a netflix já que a Drew é ótima nesse gênero cinematográfico, mas sabem, confesso para vocês que comédias não me prendem. Não me julguem. sou uma garota de ação hohoho. 
Tenho certeza que eu já tinha falado aqui para vocês que a única série de comédia que prendeu minha atenção até hoje havia sido Jane the virgin. Pois é, agora Santa Clarita Diet entrou para minha lista de comédias viciantes também.

A série tem toda uma pegada de comédia trash, típica do conteúdo produzido nos anos 80/90, onde ocorrem várias coisas no sense, absurdas e irreais, mas foda-se ela é tão boa por isso! Você pira nas loucuras que vão rolando e fica louco para saber o que vai acontecer a seguir. A série surpreende sabe? Não é previsível. Ela te tira da monotonia! 

A 1ª temporada completa já está disponível na netflix e ela é composta por 10 episódios. Mal posso esperar por mais! 



sexta-feira, fevereiro 03, 2017

[Livro] Diário de um Banana - Bons Tempos

O décimo volume da série Diário de um Banana, uma febre entre os mais jovens, é o livro de hoje aqui no Livro e Neblina. Conhecida por sua linguagem próxima dos diários e blogs adolescentes, a série mostra seu diferencial ao apresentar ilustrações simples (como tirinhas de jornal, em preto e branco) acompanhando uma narrativa próxima do vocabulário juvenil. As situações cotidianas e facilmente identificáveis pelo público, um dos principais trunfos de seu sucesso, mostram que as aventuras de Greg Heffley devem ter vida longa entre os leitores.

Título Original: Diary of a Wimpy Kid
Autor: Jeff Kinney
Páginas: 217

☁ ☁ ☁ ☁ ☁




O história em questão, de subtítulo Bons Tempos, começa quando a mãe de Greg, saudosista dos tempos em que a tecnologia ainda não era tão presente na vida das pessoas, resolve promover um abaixo assinado em seu bairro para fazer um final de semana entre os moradores sem qualquer tipo de equipamento moderno, como celular, computador, televisão e até mesmo despertador. Greg, um grande entusiasta dos confortos e facilidades que a vida moderna proporciona, entra em desespero só de pensar na ideia da mãe.
As divergências entre as gerações atuais com as antigas é a princípio o tema principal, mas o livro, apesar de curto, está longe de ficar preso aos mesmos conflitos durante toda a narrativa, o que poderia ser até prejudicial à comédia, se renovando constantemente a cada acontecimento. É uma leitura rápida e dinâmica.

A comicidade da história, além de nonsense em alguns momentos, é inteligentemente sutil, uma vez que o livro é narrado na ótica do ‘’banana’’ Greg, caindo no humor involuntário ao demonstrar as fraquezas e pensamentos próprios, causa principal das confusões em que se mete, vítima de seu raciocínio bobo, por vezes ingênuo, mas sempre bem intencionado.

Importante também destacar o bom trabalho feito pela tradução brasileira, que frequentemente deve deparar-se com expressões culturais e convenções tipicamente norte-americanas, presentes inclusive nos desenhos e muitas vezes crucias para a ação do humor, transportando-as para a língua portuguesa de forma muito eficiente.

É nítido que a série, depois de mais de dez volumes já publicados e outros continuamente anunciados, possa apresentar um cansaço em relação aos primeiros livros e um grande risco de esgotamento de assuntos para sua continuidade, mas ainda assim há bons momentos criativos e até mesmo boas surpresas. Diário de um Banana segue sendo um entretenimento de qualidade e uma ótima oportunidade de iniciação na leitura aos menores.